E porque hoje é 25 de Novembro…

…tenho de prestar homenagem a Jaime Neves, o verdadeiro herói da liberdade, e aproveito para me associar à iniciativa do 31 da Armada.

23 pensamentos sobre “E porque hoje é 25 de Novembro…

  1. Caro HM, quer-me falar das “práticas democraticas” da extrema-esquerda derrotada por Jaime Neves?

    Caro Pi-Erre, preferia que nos tivessemos transformado na “Cuba da Europa”?

  2. JJ Pereira

    Justíssimo.
    Infelizmente não lhe foi permitido ir até ao fim. “Correcções políticas”, já nesse tempo…
    O resultado rstá à vista do respeitável público…

  3. Pi-Erre

    “Caro Pi-Erre, preferia que nos tivessemos transformado na “Cuba da Europa”?”

    Que falta de imaginação!…

  4. “Que falta de imaginação!…”

    Também digo caro Miguel.
    Cuba não era bem o objectivo dos defensores do “Sol da Terra”.
    Era mais uma espécie de mistura de Albania, Bulgária e Alemanha de Leste.
    .

  5. “Infelizmente não lhe foi permitido ir até ao fim.”

    Caro JJ Pereira

    Por isso mesmo é que Jaime Neves foi um verdadeiro herói da Liberdade e é um Homem.
    Ele cumpriu rigorosamente, com risco da própria vida e com o sacrifício da vida de dois Comandos as operações de que o incumbiram.
    Se quisesse podia ter “limpo o sarampo”, justificadamente a uma data de cobardes e não o fez porque é um Homem.

  6. “Caro Pi-Erre, preferia que nos tivessemos transformado na “Cuba da Europa”?”

    Mas em que mundo vives tu, ó Miguel? Vives num mundo de rambos, em que os heróis rimam com fealdade? Cuba não estava no horizonte dos actores daquela época, ao contrário do Chile, que andava na boca de muitos. Mas essa outra estória, certamente recalda no teu mundo 😉

    PS. Por que é que o Melo Antunes sentiu necessidade de vir dizer que o Partido Comunista Português era necessário à democracia?
    PS2. O Cunhal sabia que, aqui em Portuga, um regime como os que vigoravam a Leste da Europa era inviável, por causa da détente que então vigorava na Europa. O PC não ia embarcar nessas avanturas. E foi por isso que não houve guerra civil, felizmente!
    PS3. Com este artigo conseguiste ultrapassar o douto Gabriel e o aquecimento global 😉

  7. Deves andar distraido Marvão. Muitos ex-comunistas, já confirmaram esta história. Mas é natural que alguém que durante largos anos viu Cuba e a URSS como o “sol da terra” não queira admitir isto.

    “Por que é que o Melo Antunes sentiu necessidade de vir dizer que o Partido Comunista Português era necessário à democracia?”
    Porque tinha medo que isso fosse desencadear uma guerra civil. Não que o PCP fosse propriamente democrata ou necessário. Até o Costa Gomes confirma esta história. Normalmente cada um tenta puxar o mérito para si mas a histíra é a mesma

  8. Jose Domingos

    Uma referência para a juventude, se é que a história lhes interessa para alguma coisa, ou talvez prefiram a visão marxista, que se vai ensinando, nas escolas de inuteis.
    Este Senhor, um Patriota.
    HONRA

  9. “Infelizmente não lhe foi permitido ir até ao fim. ”

    E esse “ir até ao fim” seria o quê? Se era o que eu suspeito (ilegalizar o PCP e a extrema-esquerda) isso acabar por dar origem a uma espécie de ditadura (mesmo que a intenção não fosse essa)

  10. Por outro lado, se n´~ao tivessem tido garantias que o Jaime Neves não iria atã ao fim, o PCP não teria mandando as suas forças recuar, o Otelo não teria ido dormir e o JN teria sido uma espécie de Kornilov.

  11. Acerca do PCP ser ou não necessário: duvido que um regime democrático conseguisse funcionar com a hostilidade aberta do que à época era para aí 1/5 da população e a maioria eleitoral em vastas regiões do país.

  12. CN

    A esta distancia do tempo o que sobressaiu foi o melhor da alma portuguesa, a capacidade para nem os extremos extremarem em violência (os comunistas na verdade conseguiram conter a extrema-esquerda), a convivência acabou a ser o melhor e possível caminho, Portugal não está agora assim por causa dos comunistas (que acabaram a assimilar-se e passar a fazer um bom trabalho ao nível local e cuja estrutura organizativa para o bem e mal é um exemplo de eficácia), mas sim por causa do seu centro.

  13. “Se era o que eu suspeito (ilegalizar o PCP e a extrema-esquerda) isso acabar por dar origem a uma espécie de ditadura (mesmo que a intenção não fosse essa)”
    Porquê?

  14. “Acerca do PCP ser ou não necessário: duvido que um regime democrático conseguisse funcionar com a hostilidade aberta do que à época era para aí 1/5 da população e a maioria eleitoral em vastas regiões do país.”
    Bem, em Espanha mais propriamente no Páis Basco conseguem. Não me parece que sejam anti-democrátricos

  15. “não está agora assim por causa dos comunistas”
    Eu diria que a “factura” do PREC ainda não foi completamente saldada. Destrui-se toda a estrutura produtiva.

  16. “Por outro lado, se n´~ao tivessem tido garantias que o Jaime Neves não iria atã ao fim, o PCP não teria mandando as suas forças recuar, o Otelo não teria ido dormir e o JN teria sido uma espécie de Kornilov”
    Teriamos tido quase de certeza uma guerra civil mas eu não dava por garantida a derrota dos moderados. Haviam planos para transferir o governo para o Norte e apoios internacionais garantidos.

  17. Obrigatório

    “duvido que um regime democrático conseguisse funcionar com a hostilidade aberta do que à época era para aí 1/5 da população”

    Se o problema é a hostilidade aberta de, pelo menos, 1/5 da população então não se percebe como o regime democrático conseguiu sobreviver desde 76.

    Mas o problema não era a mera “hostilidade” comuna…

    Os meios anti-democráticos e violentos de corporizar essa hostilidade é que eram o problema.

    Mas, nesse caso, porque razão é que a ilegalização dessas forças era anti-democrática ?

  18. A história recente do país está ainda envolta em mistério e imensos equívocos.
    De qualquer modo, Jaime Neves foi um “homem providencial” numa fase muito crítica.
    Mas não acham que é uma situação muito vulnerável a de um país esperar sempre por “homens providenciais”?
    Para depois os oportunistas irem à boleia? Oportunistas = os que vêem as oportunidades que outros abriram com esforço, coragem e audácia e, por vezes, sofrendo as consequências.
    Os portugueses parecem-me uns seres estranhos que só têm coragem em grupo, raramente
    é uma coragem individual.

  19. “Se o problema é a hostilidade aberta de, pelo menos, 1/5 da população então não se percebe como o regime democrático conseguiu sobreviver desde 76.”

    O PCP não tem hostilizado abertamente o regime.

  20. Manuel de Portugal

    Porque razão é que o Ocidente há-de admitir partidos comunistas, quando se sabe que nos regimes comunistas há só um partido, o comunista.
    Se “aquilo” era tão bom porque não havia emigração para leste mas só para ocidente. Repararam que nas équipas de futebol “deles” não havia um único negro. Porque seria?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.