EUR/GBP

Ontem a taxa de câmbio  da libra esterlina andou pelos 0,94 euros. Para quando a paridade?

Nota: só tenho agradecimentos para as políticas fortemente inflacionistas praticadas pela Grã-Bretanha e EUA. É que em 2010 estou a pensar fazer uma visita a Londres e/ou NY 😉

7 pensamentos sobre “EUR/GBP

  1. Então, BZ está contente, os ingleses também, de que se queixa?

    É normal e saudável que o câmbio da libra desça, dado o alto deficit da balança comercial do Reino Unido. Esta queda da libra estimulará muitas pessoas como BZ a visitar o Reino Unido e, portanto, a contribuir para reequilibrar a balança comercial.

  2. Os ingleses também estão “contentes” por pagarem mais pelos produtos que importam e/ou terem de optar por adquirir produtos ou serviços que, de outro modo, não escolheriam consumir???

    “É normal e saudável que o câmbio da libra desça”

    E é “saudável” que os ingleses percam poder de compra?

  3. patricio

    Olha, é saudável para mim que vivo e trabalho no RU mas recebo em euros. Claro que para a maioria dos emigrantes portugueses que aqui trabalha a situação está a tornar-se mais dificil.

  4. BZ, sim, é saudável que os ingleses percam poder de compra, sobretudo de compra de produtos importados, dado que nos últimos anos têm andado a consumir de mais e a sua balança de pagamentos está muito desequilibrada.

    E os ingleses estão contentes, sim, porque as políticas inflacionistas do seu governo estão a “apagar” o excesso de dívidas criado, tanto pelos bancos como pelas famílias britânicos. É o processo conhecido como inflating debt away. Estão também contentes por terem ainda muitos empregos – porque a inflação permite combater o desemprego.

  5. Luís Lavoura,

    Já que permite combater o desemprego, “apagar” excesso de dívidas e incentivar a compra de produtos nacionais então porque não inflaccionar ainda mais?

    Será que é por ter consequências negativas sobre as poupanças dos ingleses, eventualmente os preço dos produtos nacionais e, consequentemente, o salário real dos trabalhadores?

  6. Já agora, caro LL, se “a inflação permite combater o desemprego” então ainda vão ter de continuar a inflaccionar:

    “The unemployment rate was 7.9 per cent for the three months to August 2009. It is up 0.3 over the previous quarter and up 2.1 over the year. The number of unemployed people increased by 88,000 over the quarter and by 677,000 over the year, to reach 2.47 million. Short-term (up to six months duration) unemployment has fallen by 57,000 over the quarter to reach 1.36 million. This is the first quarterly fall in this series since the three months to March 2008.” (fonte)

  7. BZ,

    claro que inflacionar tem consequências negativas, que é preciso contrapôr às positivas.

    Pode-se tomar por exemplo o Japão. Esse país tem uma dívida externa do Estado monumental. Poderia fazê-la desaparecer inflacionando, isto é, desvalorizando o iene. Só que isso teria consequências negativas sobre a balança externa, que já é fortemente superavitária, e sobre as poupanças dos japoneses, que são muito grandes. É por isso que o Japão prefere não fazer isso.

    O caso do Reino Unido é diferente, dado que o povo inglês tem mais dívidas do que poupanças e dado que o país tem um grande deficit externo. Numa tal situação, desvalorizar a libra parece ser uma política razoável.

    Quanto a “inflacionar ainda mais”, espere para ver. Não duvido de que isso acontecerá…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.