A primeira promessa não cumprida

Com que então, não ia haver aumento de impostos. Pois. Preparem a carteira.

3 pensamentos sobre “A primeira promessa não cumprida

  1. Miguel: Mas claro que esta nao e uma promessa nao cumprida. E apenas uma forma de castigar esses perigosos “neo-liberais”. Ja que todos sabemos, nenhum verdadeiro proletario se aventura na compra de accoes.
    Como tal, esta medida nao conta. As medidas que contam sao as que os perigoso radicais de extrema direita do CDS-PP propoe…As que mexem no bolso do povinho que votou no “Engenheiro” Socrates.
    Ja que Portugal e uma sociedade na via do socialismo ( cada vez restam menos duvidas ), ate acho coerente este governo demonstrar a forca das convicoes logo nas primeiras medidas.

  2. Carlos

    Para nao falar da taxa sobre cafes e refrigerantes, queria apenas chamar a atencao para o novo regime de roubalheira:
    http://economia.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1405052&idCanal=57
    Acho muito bem que se equipare o regime dos casados ao das unioes de facto. Afinal todos sabemos que assinar o papel ( sim, porque ja nao falo do “pecado” que e casarmo-nos pela Igreja, essa instituicao reaccionaria ) e um gesto que apenas os mais refinados burgueses encaram.
    O futuro da revolucao passa evidentemente pelo socialismo das unioes: os mesmos direitos, nenhum dos deveres. E o estado a roub…perdao “tributar” o necessario para poder continuar a assegurar a justica social e os amanhas que cantam.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.