Notas

1. Estas autárquicas foram, como se esperava, favoráveis ao PSD que, justamente, pode reclamar vitória. No entanto o PS teve uma recuperação face aos resultados de 2005. Um sinal que deverá alarmar os que apostam num PSD autárquico. A hegemonia autárquica do PSD acabará algum dia e se o partido estiver entregue a herdeiros de Luís Filipe Menezes arrisca-se a terminar sem relevante expressão nacional ou local.

2. Uma derrota digna, a de Pedro Santana Lopes, mas derrota, e lá teremos uma filial do governo na CML.

3. Na SICN a diferença entre PSL e Costa é de pouco mais de 3%. Na sexta-feira as sondagens davam vantagem a Costa de mais de 10%. Algo de muito errado se passa com as nossas empresas de sondagens. Se é só incompetência, estranha-se que não tentem melhorar e persistam em ir de desaire em desaire.

4. Rui Rio, sem dúvida, o vencedor da noite.

Anúncios

15 pensamentos sobre “Notas

  1. bandiduh

    Costa com maioria absoluta. Lá vai a drenagem do orçamento de estado para a Secretaria de Estado de Lisboa.

    Ainda se vai candidatar Lisboa aos Jogos Olimpicos por razões estratégicas.

  2. José Barros

    António Costa, sem dúvida, o vencedor da noite. – HM

    Do ponto de vista dos resultados, sem dúvida.

    Da perspectiva do mérito político, dificilmente.

    Costa ganha por uma pequena diferença contra um candidato politicamente fragilizado e mediaticamente fustigado pela sua passagem infeliz pelo governo. Mais, para vencer Santana precisou de uma coligação contra-natura com “independentes” que defendem, em muitas questões, posições opostas às de Costa (quanto aos contentores, quanto ao aeroporto da Portela, etc…). Sem Roseta e o seu movimento de “independentes” muito dificilmente Costa teria ganho. O que só prova que eleitoralmente Costa vale pouco por ora. Terá de usar bem este mandato para poder aspirar a algo mais do que a Câmara de Lisboa…

  3. “se o partido estiver entregue a herdeiros de Luís Filipe Menezes arrisca-se a terminar sem relevante expressão nacional ou local”

    Mas olhe que o Luís Filipe Menezes obteve em Gaia uma vitória retumbante. Os seus “herdeiros” poderão não ser grande coisa, mas o próprio LFM vai de vento em pôpa!

  4. Adolfo Mesquita Nunes

    O PSD sozinho tem menos câmaras do que o PS sozinho. As presidências de câmara que tem a mais, e que lhe permite vencer a ANMP, são em coligação com o CDS 🙂

  5. Adolfo Mesquita Nunes,

    o número de lideranças de Câmaras pode ser relevante para liderar a ANMP – isto é, para ter lá aquele morcão trauliteiro de Viseu, de péssima figura – mas não é relevante para mais nada. As Câmaras que o PSD lidera são predominantemente de municípios de reduzida população e ainda mais reduzido valor económico.

  6. Caro Luís, isso é tipo dizer no fim do campeonato que não valem os pontos alcançados mas os golos marcados e que afinal o segundo classificado como marcou mais, ganhou o campeonato. Qualquer eleição é preparada, pelas várias direcções, para ser ganha de acordo com os critérios existentes.

  7. “de acordo com os critérios existentes”

    O critério “número de Câmaras” é apenas um dos vários existentes. Há também outros – número de vereadores, número de votos, e outros ainda. Segundo esses vários critérios houve diversos vencedores.

    O Adolfo está a pretender que existe um único critério – aquele que o Adolfo prefere – mas isso é falso, uma vez que nem todos os intervenientes na compita se revêem nesse critério.

  8. Maria João Marques

    HM, não concordo, e por duas razões: pela grande abstenção em Lisboa (45%) e pela escassa distância entre Costa e Santana. Rui Rio teve uma vitória muito mais expressiva.

    Adolfo, é certo. E por alguma razão eu não sou nada avessa a entendimentos entre PSD e CDS.

    Luís Lavoura, LFM vai de vento em popa… em Gaia. Os deuses o conservem por lá.

  9. Meu caro Luís,

    Eu não escolho nada. A Presidência da ANMP cabe a quem tem mais Câmaras e não a quem tem mais votos. Só isso. E tem sido usado pelo PS e pelo PSD, à vez, para corporizar o poder autárquico.

    O critério que eu prefiro é o que faz o do CDS o melhor ou um dos melhores, estilo câmaras que se mantêm (e sobem votação) apesar de mudar o presidente cessante.

  10. José Barros

    O critério que eu prefiro é o que faz o do CDS o melhor ou um dos melhores, estilo câmaras que se mantêm (e sobem votação) apesar de mudar o presidente cessante. AMN

    🙂

    Mas não deixa de ser um bom critério a acreditar que aquilo que o Portas disse sobre Ponte de Lima é verdade.

    Quanto ao critério de vitória, é evidente que só interessa o número de câmaras e juntas de freguesia. Só este ano, devido a uma máquina de propaganda bem oleada (veja-se a última hora da emissão de ontem dedicada aos discursos de Costa e Sócrates para dar a entender que o PS tinha ganho as eleições) é que se fala de critérios diferentes.

  11. “José, o que é que Portas disse sobre Ponte de Lima?
    Não ouvi as declarações.”

    Basicamente que, uma governação autarquica à CDS, com baixos impostos, politicas sociais correctas, protecção da família, permitia mudar de presidente e eleger 7 em 9 vereadores…

  12. E que noutras camaras e assembleias municipais, la estariam os eleitos do CDS a pugnar pelas mesmas politicas “à la carte”.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.