A liberdade de expressão não é para pessoas moderadas (2)

I don’t believe there’s any word that should be supressed

– Zappa

É de ouvir o repugnante discurso do opositor do Zappa e trocá-lo pelos novos fascistas. E tantos que eles são, meu Deus!

24 pensamentos sobre “A liberdade de expressão não é para pessoas moderadas (2)

  1. Pedro

    Helder, tudo isso é maravilhoso, queremos ser todos maravilhosamente livres, como a gaivota da outra, sem peias nem amarras, como dizia outro ainda, mas… que tal um pequeno teste ao seu extremado zelo pela liberdade de expressão absoluta? Duas hipóteses:
    1 – O que faria se num telejornal à hora de jantar, o jornalista dissesse: “O caralho do Socrates quer ir á cona da Manuela”?
    2 – O que faria, se nesse mesmo telejornal, dois jornalistas fizessem sexo ao vivo?
    3 – O que diria se aparecesse em tempo de antena na RTP um partido muçulmano radical a apelar à morte dos ocidentais?

    Tenho mais hipóteses.

  2. Vasco Ribeiro

    Pedro

    Porque é que não pensa antes de falar…

    1 – Se isso acontecesse num telejornal, esse canal perderia audiência. Como nenhum canal quer perder audiência para não perder receita tal coisa nem faz sentido ser mencionada.

    2 – A mesma coisa do ponto 1 (a não ser que os jornalistas fossem excelentes e a coisa entusiasmasse o pessoal)

    3 – Voltamos ao ponto 1…

    O que está em causa é eu ter liberdade de escolher o que quero ver sem restrições.
    EU sei tomar decisões por mim, não preciso de um governo para o fazer.

  3. Pedro

    Vasco, dois pontos:

    1 – Tem a certeza absoluta de que o canal perderia audiência, ou isso é só um desejo seu?
    2 – E ainda que isso acontecesse, qual é a relevância da audiência para o caso que tratamos? Qualquer empresário pode ter também plena e absoluta liberdade para esbanjar o seu dinheiro como quisesse, ou não? Haverá por aí concerteza muitos fanáticos dispostos a gastar quantias milionárias para fazerem o que lhes der na gana. Aliás, pode-se exercer a tal absoluta liberdade de expressão, gastando muito pouco: olhe, colocar um painel à beira da estrada com uma cena pedófila. Ou os pedófilos são uma excepção à liberdade plena, absoluta, etc, de expressão? Não, não é por aí, Vasco.

    Desculpe-me Vasco, mas isso é evitar e lateralizar a questão.

  4. AA

    Notável Zappa. É impressionante como os fascistas do politicamente-correcto e da moral-e-bons-costumes se assemelham na visão colectivista da sociedade e na ânsia de tudo controlar…

  5. Pedro

    Só uma coisa: Eu não quero de maneira nenhuma limitar a liberdade de ninguém a chamar fascista a outrem. É um direito natural, já os founding fathers o diziam, é direito divino, natural, etc, etc, e Deus me livre, longe de mim, manifestar-me contra isso. Mas alguém me sabe então elucidar sobre a melhor maneira de me indignar, perdão, de… reagir, vamos lá, contra a utilização da palavra fascista a torto e a direito?

  6. Pedro

    Muito obrigado, AA, nem imagina como fico mais descansadinho e aliviado. Você também é muito elegante. Mas tem a certeza? Olhe lá…

  7. Pedro

    Onde está o Vasco? Disse-me ali em cima que eu não pensava antes de falar. Eu acho que você pensa demais antes de falar… ;). never mind

  8. Pedro #3

    1- Não sei, podia achar interessante ou mudar de canal (deixei de comprar o Público);

    2 – Ai nesse caso ficava a ver quase de certeza. mas enfim, depende (não compro nem o Expresso nem o Sol).

    3 – Depende, é verdade que não leio leio o DN, mas também é verdade que nas alturas de agitação dos muçulumanos na Europa, isso é o que se vê mais. Nessas alturas os comedores de palha (vulgo jornalistas) chamam-lhes activistas e aos cartazes de “Behead those who insult Islam”, “reivindicações pela tolerância”, portanto…

    mas estou a perder tempo porquê? Peço desculpa mas tudo isto é demasiado estranho

  9. Vasco

    Pedro

    Desulpe o atraso na resposta mas tive mais cisas que fazer…

    1 – Com pessoas como você tenho a certeza que o canal perderia audiência.

    2 – a) Sem audiência os seus exemplos tornam-se ainda mais ridículos.
    b) A pedofilia é CRIME mas se você a defende é consigo.

    Volto a frisar, o ser contra a restrição de liberdades não significa que as pratique todas ou até que concorde com todas mas por não concordar com elas não implica que as queira ver proibidas.

  10. Pedro

    Vasco,
    1 – Nem toda a gente é como eu. Logo, o canal teria audiência. Vejo que ignorou a questão da livre disposição dos bens.
    b) De onde retiou a ideia de que eu possa defender a liberdade? Essa sua táctica, nem a qualifico… ;Mas em vez de de um cartaz de pedofilia, coloque um casal a foder`no largo do Chiado, o que quiser. Vasco, esta manifestação de liberdade, você queria ver proibida, sim. Não se faça de sonso. Você quer a regulação de liberdade, tanto como eu, o facista.

    Você percebeu muito bem.

  11. Filipe Abrantes

    Imagine-se uma oferta de 40 canais do serviço de TV por cabo A (não digo X por razões óbvias..). Mesmo que no serviço de base houvesse um canal pornográfico com filmes a toda a hora, o cliente teria a liberdade de recusar o canal telefonando para a linha de apoio, ou simplesmente poderia não o sintonizar no seu televisor.

    Mas eu percebo que para quem não gosta da liberdade, tudo tenha os seus problemas. Se não os houver, arranjam-se logo alguns.

  12. O interessante na minha opinião, Filipe, nem sequer é o absolutismo e intolerância de quem tem aversão à liberdade – é a crença que a acção burocrática/política resolverá o ‘problema’ sem mais consequências – mas que a acção descentralizada de um mercado que tem de obedecer aos padrões da sociedade não conseguirá encontrar milhentas soluções social e economicamente eficientes. Mesmo que se lhes aponte que até hoje em dia – segundo eles, um mundo laissez-faire (suspiro) – o mercado é extremamente subserviente ao politicamente correcto.

  13. Vasco

    Pedro

    A regulação de liberdade já existe. Chama-se justiça e rege-se pela lei. Se para si não existem leis suficientes para regular a liberdade é a sua opinião, a minha é a que já existem leis demais para estrangá-la.

  14. Vasco

    No que toca ao cartaz porno no chiado, não me choca. Duas pessoas a fazerem algo a que não são obrigadas retratadas numa circustância legal… há quem lhe dê as mais variadas adjectivações.

  15. Pedro

    Vasco, não entendo. Mas então concorda, ou não, com essa regulação estatal da liberdade que você diz que já existe? A questão é essa. Eu pensava que os fascistas assustadores eram os gajos que eram a favor da regulação da liberdade pelo estado. Não é isso que vos assusta assim tanto? Não é isso o fascismo? Quanto ao cartaz, está a gozar, não está? Quer-me agora convencer que é um tipo asim tão, tão, tão liberal? Quer um cartaz desses à sua porta? Melhor, e que tal organizarmos um bacanal à sua porta? Estou cheiinho de ideias libertárias, Vasco 😉 E que tal ir fazer um concerto de heavy metal para a sua rua, durante dez noites seguidas? Isto de facto é tudo divertido desde que o chato do Estado e suas leis não se metam 😉 Abaixo o Fassismo!Rock’n’Roll!
    Filipe existe um mundo fascinante de Liberdade de Expressão para alem da televisão! 😉 Não se prive!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.