Totalitarismo Chic no Fantasporto

Che (o Argentino) na sessão de abertura do Fantasporto:

Che (The Argentine)

Finalmente, o cinema americano rendeu-se a um dos seus maiores inimigos e aqueles que ainda hoje se passeiam de t-shirt e boina ao Ernesto “Che” Guevara, têm a hipótese de conhecer a verdadeira história do herói que veneram.  “Che” é o olhar do mais independente dos realizadores americanos sobre a lenda de um dos grandes revolucionários do século XX. Depois da trilogia “Oceans”, Steven Soderbergh não resistiu ao fascínio da vida romanesca, aventurosa e apaixonante deste argentino sem pátria que continua sendo um mito para sucessivas gerações.

A história de Che retratada neste filme foi obviamente distorcida e romanceada, para se adequar aos seguidores do Culto Che Chic. Estes nada questionam sobre o seu herói,  não separam o homem do mito, e recusam-se mesmo a aceitar as evidências relatadas pelo próprio guerrilheiro: o ódio puro que sentia por quem tivesse um punhado de dólares, o deleite em assassinar a sangue frio qualquer opositor ou o prazer em supervisionar execuções de meros suspeitos.

“Comissão depuradora” deve ser mesmo um conceito estranho. Prisão La Cabaña? Não é Guantanamo, por isso o que interessa…

A ideologia totalitária, as políticas falhadas, a crueldade e o culto da morte são meros rumores certamente perpetuados pelos neo-liberais.

Na sessão de abertura do Fantasporto, muitos idiotas úteis estarão por lá, com as suas t-shirts de Che, boinas revolucionárias e os agora indispensáveis keffiyehs (graças ao marketing e ao capitalismo, mas isso é apenas um pormenor).

Tudo montado para prestar o culto a Guevara, que se ainda fosse vivo, não hesitaria sequer um segundo, em privar os seus seguidores dos seus pertences, propriedade privada, da liberdade de pensamento ou mesmo das suas vidas.

Leitura Anterior: Hollywood e Che Guevara

Anúncios

7 pensamentos sobre “Totalitarismo Chic no Fantasporto

  1. Jeronimo

    Embora genericamente de acordo com o teor do post, não concordo nada com os exageros pouco verosímeis “(…) o ódio puro que sentia por quem tivesse um punhado de dólares, o deleite em assassinar a sangue frio qualquer opositor ou o prazer em supervisionar execuções de meros suspeitos.(…)”
    Eu também li a biografia de Che (uma seca de livro, note-se), e não consta lá nada deste tipo.

  2. Bonifácio

    “Eu também li a biografia de Che (uma seca de livro, note-se), e não consta lá nada deste tipo.”
    Qual biografia? Há milhares. E será que algo não constar de um escrito qualquer é prova de que não existe?
    Já lestes o cabrão do Régis Debray? O FDP do comuninha conta tudo o que a sua biografia escondeu, e o faz em tom de elogio.
    Já fizestes alguma pesquisa sobre la Cabanã? Verás que não era só gente de dinheiro que Che fuzilava pessoalmente, também gostava de estourar cabeças de camponeses com a sua pistola. Mas no campo de batalha ficava sempre atrás.
    Já pesquisastes acerca de El Coreano, o mercenário que treinou os porcos no México? Ele conheceu muito bem o Che. Uma das coisas que não te devem ter contado é como ele tratava os pretos, índios e mestiços, para além de não gostar de banho.
    Já lestes alguma coisa escrita pelo Mad Mike acerca do Che no Congo? Verás que o FDP nada sabia menos de guerra do que de economia. Só digo que se pudesse escolher um oponente, escolheria o Che, e depois iria dormir descansado, o gajo era um perigo para ele próprio.
    Enfim, sabes como reagiu o herói ao ser capturado na Bolívia? Gritou:
    – No disparem! Soy el Che! Valgo màs vivo que muerto.
    Ou seja, nem precisou levar um tapinha para dizer tudo.

  3. Daniel Azevedo

    Caro Bonifácio

    Não sei o que é que o Che fez ou dizem que fizm ou se alguma vez se saberá quem foi realmente, debaixo de tanta publicidade (positiva ou negativa).
    Mas uma coisa sei: a sua linguagem deixa muito a desejar.
    Não tem mais argumentos, do que o vulgar palavrão, para chegar à sua verdade?

    Cumprimentos

  4. Ainda bem que esses idiotas lá vão ao Fantasporto e outros idiotas não vão.

    O que importa é que no meio de tanta idiotice se explique o pretende Obama fazer em relação aos terroristas cubanos ( Posada Carriles, Manolo Reyes e Rigoberto por ex.) que actualmente residem na Florida? Será que o vai enviar para Guantanamo (reabrindo a prisão). Ou será que os vai enviar para o rancho de Bush, já que este gosta tanto deles??

  5. A. R

    E que fará Castro ao camarada Arnaldo Ochoa? Ah … bolas foi fuzilado pela revolução. E afilha de Castro … ah … bolas fugiu.

  6. Pingback: “I’m getting uncomfortable” « O Insurgente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.