Os maluquinhos das causas

Qual é a probabilidade de os participantes desta iniciativa, serem também:

a) militantes do Bloco de Esquerda?

b) ambientalistas?

c) defensores do Hamas da Causa Palestiniana?

d) defensores da causa do “Direito à Água”?

e) contra a barragem de Foz Côa?

f) contra o aumento de portagens na ponte 25 de Abril?

g) a favor de portagens à entrada das grandes cidades (a bem do ambiente)?

h) contra a educação religiosa nas escolas?

i) a favor da educação cívica nas escolas?

j)participantes assíduos nas 300 manifestações e causas publicitadas por semana no Arrastão?

47 pensamentos sobre “Os maluquinhos das causas

  1. Independentemente desta “causa”, observo nas opções do autor deste post algumas coisas prodigiosas, que me suscitaram dúvidas.

    Por exemplo, quem é defensor de um estado palestiniano, é obrigatoriamente defensor do hamas?

    Não se deve dar educação civica nas escolas, mas sim esducação religiosa?

    A água e o seu acesso não é um direito? Deve-se proibir as pessoas de terem acesso à água?

    As portagens devem ou não existir na entrada das cidades? Ou o ambiente que se amanhe sozinho…

    Agora quem defende uma causa também é maluquinho? Ou só vocês e as vossas causas é que são as correctas? AS transportadoras da verdade suprema?

  2. Omar

    O mais engraçado è que este senhor exige religiao e moral nas escolas… mas tb exige que o exercito israelita extermine o Hamas e pelo caminho mais centenas de inocentes inclusive mulheres e crianças.

    Alias… religiao e moral (catolicas) tem tudo a haver. è tudo uma historia de morte sangue.

    Mas afinal… nao foi cristo que nos veio salvar??? E depois aparecem estes inegrumes??? Nao sao os cristao/catolicos que falam em fraternidade universal??? paz??? e amor??? e nao se comovem com umas centenas de criancinhas palestinianas, afegas e iraquianas???

    P.S.- Mais uma vez te convido a censurar tudo o que nao va na tua linha de pensamento senil o Alves.
    P.S.- Se cristo soubesse que um dia haveria cristaos a “pregarem” ideias como a tua… tinha sido ele proprio a pregar-se na cruz.
    P.S.- Es tristemente senil… velhaco.

  3. Pingback: Os maluquinhos das causas e os media « O Insurgente

  4. Filipe Abrantes

    São pessoas como o Omar que simpatizam com estas manifestações? Afinal são manifestações pacifistas, deveriamos esperar que os seus participantes o fossem também. Afinal é só fachada, quem lá vai toma claramente partido por um dos lados.

    Pacifismo desses (que ainda por cima insulta de forma nojenta quem dele discorda), vou ali já venho.

  5. Ricardo

    Este grupo apesar de tudo, não faz mal a ninguém. Não afecta a vida de ninguém. É irrelevante a não ser para aqueles que não queiram.

    O mesmo não se pode dizer dos senhores que são a favor da educação cristã nas escolas, contra a educação sexual nas escolas, contra o casamento de pessoas do mesmo sexo, a favor da criminalização do aborto, etc.., etc…

    Eu sou de direita e sou liberal. E não tenho nada a apontar a um acto de liberdade. Agrada-me muito viver numa sociedade em que eles existem.

  6. Ricardo

    Número 10 : Acredito que não saiba. No espectro político com representação parlamentar só encontra direita conversadora. Pessoas que defendem a liberdade económica, mas no que respeita às liberdades individuais já gostam muito mais do controlo do estado.

    Verdadeiros arautos da coerência. (<- Isto foi ironia! Já aprendi com a MFL que não se pode usar com qualquer um.)

  7. Filipe Abrantes

    Helder,

    A esquerda social-democrata também diz defender a “liberdade económica”. É só mais um chavão que não quer dizer nada de concreto.

  8. “mas no que respeita às liberdades individuais já gostam muito mais do controlo do estado”

    Consta que há alguns que chegam mesmo ao ponto de ser contra a educação religiosa e de pretender que o Estado imponha o laicismo a toda a gente. E o pior é que tentam passar por “liberais”…

  9. “No espectro político com representação parlamentar só encontra direita conversadora.”

    Espero que isto seja ironia também. É que no caso português, só dá mesmo para ser lido como anedota…

  10. Carlos Guimarães Pinto

    Caros Ricardos, Omar:
    Aparentemente não consegui explicar bem a essência do post. O objectivo do post não é defender nenhuma das causas opostas às descritas. Isso até iria contra o seu sentido. Ninguém está aqui a defender o fim do direito à água (?!?) ou a pugnar pela educação religiosa nas escolas públicas. O objectivo do post é criticar aqueles que defendem qualquer causa progressista que lhes apareça: causas importantes, supérfluas, contraditórias entre si (desafio os ricardos e o Omar a encontrar 6 causas acima que provavelmente defendem, ou defenderam, que se contradizem)e disparatadas de todo. No fundo, criticar um certo grupo de pessoas da minha geração que tendo perdido a religião, busca desesperadamente algo que a substitua na sua vida, com o mesmo fervor das beatas de igreja.

  11. Filipe Abrantes

    Uma direita que não se insurge contra leis como por exemplo a do divórcio ou contra o assalto do estado ao bolso das pessoas não pode ser considerada conservadora! Temos uma direita em Portugal que em tudo se assemelha com a esquerda.

  12. Filipe Abrantes

    A geração do CGP cresceu com o neoliberalismo como sistema politico-económico (quem o diz é a Clara Ferreira Alves, e mesmo o Pedro Marques Lopes, que já disse que esta crise se devia a um excesso de liberalismo – sem explicar contudo os detalhes da tese).

  13. “A geração do CGP cresceu com o neoliberalismo como sistema politico-económico (quem o diz é a Clara Ferreira Alves, e mesmo o Pedro Marques Lopes, que já disse que esta crise se devia a um excesso de liberalismo – sem explicar contudo os detalhes da tese).”

    Caro Filipe Abrantes,

    Peço desculpa pelo reparo, mas acho que devia ser mais selectivo nos programas que vê.

  14. Filipe Abrantes

    Mas será que vale mesmo a pena discutir política com base nestas divisões/classificações? Os políticos estão onde estão para se servirem. São mafiosos (99%), mentirosos, aldrabões, corruptos, filhos da puta (como diz, bem, o Helder – Deus o guarde). O resto é conversa de observador (infelizmente).

  15. Filipe Abrantes

    André Azevedo Alves,

    Acredite que ás vezes me pergunto o porquê de ainda continuar a ver. Além de gostar de ver críticas de esquerda ao governo, tenho duas teses preponderantes:

    – é o que de menos mau há, no domínio do debate político aberto (i.e., sem excessivo politicamente correcto, gosto quando insultam políticos, por exemplo)

    – equiparo o meu gosto pelo programa a um gosto por espectáculo mórbido (tipo abrandar para ver um carro acidentado)

  16. “- é o que de menos mau há, no domínio do debate político aberto (i.e., sem excessivo politicamente correcto, gosto quando insultam políticos, por exemplo)”

    Eu, das poucas vezes que vi, achei politicamente correcto a um nível nauseante (excepto, em alguns temas, o Luís Pedro Nunes), mas posso ter tido azar. De qualquer forma, não tenciono experimentar mais vezes.

  17. “- equiparo o meu gosto pelo programa a um gosto por espectáculo mórbido (tipo abrandar para ver um carro acidentado)”

    Isso aí já compreendo, embora eu evite, em geral, espectáculos mórbidos.

  18. Filipe Abrantes

    Eu disse “sem *excessivo* politicamente correcto” (comparado com 90% dos debates na tv portuguesa). Mas acho que o Daniel Oliveira se enerva demais. 😉

  19. “Eu disse “sem *excessivo* politicamente correcto” (comparado com 90% dos debates na tv portuguesa).”

    Eu do que vi achei de um tipo de politicamente correcto pior do que a maioria, porque mais pretensioso.

  20. Filipe Abrantes

    Já que estamos numa de programas de debate: o pior (já que referi um dos melhores/menos maus) programa de debate é o Contraditório, na Antena1. Já não há pachorra para a arrogância paternalista e as teses rocambolescas do Carlos Magno (além do seu socratismo cínico).

    O Pros e Pros também tem os seus “momentos” (como o momento de inspiração de Augusto Santos Silva, no último, no qual desmonta a retórica enrolada e vazia do Joaquim Aguiar com um simples “qual é o argumento?”, deixando Aguiar boquiaberto, coitado não está habituado a que não entrem nos seus delírios explicativos e de conspiração), mas não tem contras e tem uma apresentadora analfabeta.

  21. Filipe Abrantes

    “Eu do que vi achei de um tipo de politicamente correcto pior do que a maioria, porque mais pretensioso.”

    Talvez. Mas comparado com as análises económicas 100% social-democratas que se vêem na tv, com a análise internacional quase sempre partidária ou com a análise política quase sempre tendenciosa e/ou opinativa a que se assiste nos restantes debates, acho que o Eixo do Mal consegue o seu toque de irreverência (pelo estilo, não pelo tipo de posições).

  22. Filipe Abrantes

    Claro que o ideal era surgir uma Insurgente TV (com financiamento secreto vindo da Mossad e da CIA, assim como do Bilderberg, seria assim um canal ao serviço do capitalismo neoliberal).

  23. Ricardo

    Caro André (Comentário #14),

    Há uma diferença enorme entre não ter uma educação religiosa nas escolas públicas e impor o laicismo.

    Que eu saiba, a religião não é proibida em Portugal, nem tão pouco o seu ensino. Agora o papel da escola é ensinar, não é catolizar.

    Não há que misturar alhos com bugalhos. Os palestinianos e Israelitas são especialistas neste tipo de confusões e não se têm dado nada bem.

    Ter religião a ser ensinada nas escolas tem tanto sentido quando obrigar os padres a escrever as equações do Electromagnetismo sempre que disserem que Deus é a luz que ilumina o mundo.

  24. Ricardo

    Caro Carlos (Comentário #16),

    De acordo : há pessoas que se metem em todas, sem saber no que se metem.

    Mas parece-me que diz também que é forte a probabilidade de se ser do Bloco de Esquerda sempre que se abraça uma dessas causas. Isso é que me parece excessivo.

    É perfeitamente possível a alguém de direita abraçar vários dos pontos que constam na sua lista (e até, andar sem calças no metro… 🙂 ).

  25. Caro Carlos.

    Então a falta da religião numa pessoa, faz com que estas andem constantemente à procura de algo?

    Primeiro, o andar à procura de alguma coisa não é sinónimo de alguma desorientação. A vida é uma busca constante, caso deixe de ser, arriscamo-nos a ficar para trás e amarrados ao passado.

    Quanto a causas progressistas, no verdadeiro sentido do termo, são positivas, uma vez que tem sido o progressismo a causa dos avanços da civilização e do mundo. Ou pensava que a produção em série surgiu ao acaso. Surgiu por alterações de mentalidades, sendo os progressistas os pioneiros.

    Agora, existem muitos grupos que defendem causas que de progressistas pouco têm. E outros nem causas são. Como a relatada no post.

    No que diz respeito ao conservadorismo reinante neste blog, devo referir que o conservadorismo nunca foi causa de progresso, quer técnico, quer de mentalidades, mas é necessário para obrigar às mentalidades progressistas a reflectir se o progresso será benéfico e irá no sentido correcto. Um exemplo de tal passou-se com o fim da discriminação racial nos Estados Unidos. Os conservadores queriam manter a discriminação racial a todo o custo. Actualmente os mesmos conservadoras entram em pânico quando se fala de casamento entre homossexuais.

  26. Caro Ricardo Ferreira,

    Sim, as religiões não surgiram por acaso. Surgiram porque havia (há) uma necessidade humana que só a religião pode suprir. Neste momento, há um movimento de substituição da religião por movimentos para-religiosos como o estado social ou a causa ambiental. Tal como nas religiões, também nestes casos existe um ente superior invísivel (o bem comum ou a mãe natureza), sacrifícios que têm de ser feitos em sua honra (impostos e todas as charadas ambientais) e castigos (a extinção da espécie, a subida das águas do mar, a desordem social,…). Tal como no religião, há pessoas que beneficiam com o estado social e o ambientalismo sem realmente acreditarem naquilo que pregam. O aumento de importância de ambos os movimentos aconteceu, e acontece, com o decréscimo da importância das religiões comuns.

    O progresso não é um bem em si mesmo: a bomba nuclear, a eugenia e o estado social são bons exemplos. Outros progressismos, como bem indica, não são sequer progresso. Por exemplo, o ambientalismo era uma posição tipicamente conservadora no final do século XIX, dificilmente pode ser considerada como progresso embora seja apoiada por progressistas

    Não querendo falar por todos neste blog, não me parece que este blog seja conservador da maneira que você o define. Neste blog são defendidas muitas mudanças, bem mais e mais relevantes do que as que encontra em blogs ditos progressistas.

  27. “tem sido o progressismo a causa dos avanços da civilização e do mundo”

    Já percebi a névoa de confusão que habita a cabeça do Ricardo e que o compele a escrever tanta asneira: confundir progresso com
    progressismo, só podia redundar nisto.
    É pena…quem fala do que não sabe, convencido que sabe do que fala, não só nada sabe, como nem isso sabe.

  28. De resto, “progressismo” está para “progresso”, na mesma medida em que “bestial” está para “besta”, ou “democracia” está para “República Democrática da Coreia do Norte”.

    Que, de resto, não está no radar das “causas”, sabe Deus porquê.

  29. Claro. Só as mudanças que vocês defendem são importantes. Mudanças que dizem respeito às pessoas, pouco interessam.

    No que diz respeito a causas ambientais, de certeza que existem factos científicos, e eu conheço-os das más consequências da poluição das águas, ou dos solos. Mas se para si isto é para-religião, então percebe-se a sua sensibilidade para estes temas.

    Quanto ao Lidador, já que vem com comentários desse calibre, eu pedia-lhe ajuda do altar alto em que se encontra e me esclarecesse então.

  30. Caro Ricardo, aqui mesmo no Insurgente tem sido referida basta bibliografia sobre o tema.

    Não a vou resumi aqui, isto não é uma ideologia, não se pode resumir a ciência num slogan.
    O seu caso é típico: quer estar do lado do “bem” e tudo à volta lhe martela o que é o “bem”.
    Você não sabe patavina dos assuntos em questão, mas se “toda a gente” diz que o “bem” é assim, você sente-se feliz e vai com a manada. É como os rebanhos. Vai tudo atrás uns dos outros, porque cada um pensa que é para ali que há erva verde. Na verdade nenhuma ovelha sabe, muito menos a que vai à frente.
    Mas todos correm furiosamente e ansiosos por chegar.

    Sobre isto, bastaria que o Ricardo tentasse responder por si, a uma questão simples:

    Visto que a paleoclimatologia demonstrou, para além de qq dúvida ( sondagens no gelo), que pelo menos desde há centenas de milhões de anos a terra atravessou ciclos de calor e gelo, e uma vez que o sapiens “neoliberal e “capitalista”, só anda cá há uns milhares ( um cagagésimo da idade da terra), QUEM CAUSOU ESSAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS?

    E visto que não foi o sapiens, como pode alguém ter a certeza de que DESTA VEZ É O SAPIENS?
    E como pode alguém garantir que uma coisa tão complexa como o clima, VAI SER ASSIM OU ASSADO daqui a 100 anos, se nem sequer introduz na bola de cristal ( o Modelo) factos que desconhece, que não é possível modelar, ou que pura e simplesmente introduzem comportamentos estocásticos?

    Se conseguir que algum catastrofista lhe responda a isto de forma cientifica e clara, dou-lhe um prémio.

  31. Mas quem é que falou em mudanças climáticas?

    Eu falei em poluição das águas e do solo, como exemplos. Ou para vocês o ambiente resume-se às alterações climáticas? Se o é, então possuem uma visão muito redutora.

    Quanto ao não saber patavina dos assuntos. Ainda bem que lá do alto do altar onde encontra, me alertou para esse facto. Deve-se prevenir então a FAculdade de Engenharia da Universidade do Porto, que lecionou erros na sua Pos-graduação em Engenharia do Ambiente.

    Apresente-se. Pode ser que o contratem para dirigir um departamento. Ou prefere ficar lá no alto do seu altar, a debitar “factos”? No fundo a única diferente entre sí e os que critica é que o Lidador vai contra umas manadas, mas segue outras manadas.

  32. Meu caro, não respondeu a nenhuma questão, o que é lamentável.
    A poluição?
    Sabe qual foi a consequência climática erupção do Pinatubo?
    Sabe qual o efeito dos aerossois, naturais e artificiais, no clima?

    Não exiba galões, porque não sabe quais os de quem o confronta. Exiba conhecimentos, respondendo às míseras questões que lhe coloquei.

    Quanto aos plásticos e patati patatá, é uma questão de tempo…hão.de ir parar ao interior da terra, e hão-de ser reduzidos pelo fogo, como tudo o que hoje está à superfície da terra.

    E, já agora, os plásticos por exemplo, são criados por nós, e nós somos criados pela Natureza.
    Porque carga de água você acha que a Natureza errou ao criá-lo a si? De onde lhe vem tão divina sabedoria?
    Ou acha que, sendo como é, não faz parte da natureza?

  33. Fernando (in brazil)

    Se eu entendi corretamente:
    Os ambientalistas são militantes do bloco de esquerda. Os quais por definição são os proprietários de fato e direito d’água, sem barragens e sem pontes, mas obviamente cobrando pedágios e outras taxas pertinentes. São contra a educação religiosa na Palestina. Assim após participarem de 300 manifestações, dando aula de educação cívica. Retornam aos seus lares sem calças….
    Alguém disse: idiotas
    Concordo inteiramente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.