FOBIA E HISTERISMO

Não tenho o hábito de ver um desagradável e pouco inteligente programa que passa no canal SIC Notícias aos Sábados. Ontem à noite um acidente de zapping ocasionou uma excepção. Ouvi as palavras ‘Manuela Ferreira Leite’ e ‘casamento homossexual’ e parei logo. O que ouvi foi elucidativo. Mas só me surpreendeu pelo excesso. O programa cujo nome (bastante apropriado) é O Eixo do Mal, pode-se descrever em inglês como ‘one long sneer’. Não existe em português uma tradução exacta da palavra inglesa sneer que se emprega como verbo ou substantivo, ou sneering como adjectivo. ‘ Escárnio’ ou ‘sarcasmo’, talvez, mas nem a primeira palavra nem a segunda traz exactamente o sentido inglês. Sneer é o que as pessoas fazem quando detestam ou desprezam mas faltam-lhes os argumentos para criticar. É esse o tom normal de quase todos os participantes nestas sessões esquerdistas de maldizer.

Desta vez resolveram atacar a nova líder do PSD e pegaram numa parte da sua recente entrevista televisiva onde ela respondeu à pergunta: qual a sua posição quanto ao casamento de homossexuais. A MFL respondeu mais ou menos o seguinte: que ‘não era tão retrógrada que pudesse apoiar a discriminação contra os homossexuais. Pelo contrário, considerava que a opção sexual era do foro íntimo de cada um. Mas que não podia apoiar o casamento dos homossexuais porque o casamento tinha fundamentalmente a ver com a constituição de uma família.’

O que ela foi dizer! O Daniel Oliveira perdeu a cabeça e em tom histérico, torcendo os lábios e ficando ainda mais feio que o normal, gritou que Manuela Ferreira Leite era homofóbica. Que ainda não era reconhecido em Portugal, mas que o dia havia de chegar em que a homofobia fosse tratada como o racismo. O que o DO quer evidentemente dizer é que a oposição ao casamento dos gays seja criminalizada.

O seu objectivo é aterrorizar os políticos com um epíteto inventado pelo Lóbi Gay precisamente para esse efeito. Em vez de argumentos temos gritos e insultos.

Como não me canso de repetir uma fobia é um estado de espírito irracional. O que o DO sofre é de uma fobia contra argumentação lógica. Qualquer pessoa pode ter uma aversão racional à homossexualidade: aliás é o estado normal da imensa maioria da população A fortiori é também a opinião da imensa maioria ser contra o chamado casamento dos homossexuais. A exibição de ontem à noite era realmente contraproducente para a causa de DO. Muitos espectadores ficaram, com certeza, esclarecidos quanto aos verdadeiros desígnios do lóbi.

32 pensamentos sobre “FOBIA E HISTERISMO

  1. Sessões esquerdistas? Não tem mesmo o hábito de ver o Eixo do Mal. Porque é que os gays não podem constituir família? Não será mesmo homofóbica MFL? Chegou a altura da esquerda se unir em torno desta questão e fazer cumprir a Constituição, que não nega o direito de qualquer pessoa constituir família!

  2. Onde vivo sente-se intensamente o peso de uma sociedade de massas e pior de uma soc. pós Auchvitz que se recusa a pensar o que se passou para não tomar consciencia de que se tornou igual versão light, por exemplo, em clubes de sexo em grupo e de tropa de parceiros entre casais com indivíduos não individualisados que se reduzem a si mesmo a carne e a números. Mas durante anos perguntei-me porque é que os homosexuais também tinham sido enviados para os campos de concentração. Acho que o descobri por acaso mas deixo-vos a questão.

  3. o post traduz mais ou menos o que aconteceu. no entanto, não acho o programa assim tão mau, o único que é assim fraquinho é mesmo o DO… por acaso vi o momento de histerismo do senhor… lamentável!

  4. «O Daniel Oliveira perdeu a cabeça e em tom histérico, torcendo os lábios e ficando ainda mais feio que o normal»

    Aqui sim, argumenta-se com profundidade.

  5. Filipe Abrantes

    Lamentável post. Não é preciso ofender o D.Oliveira, que, digo-o sinceramente, é o participante do programa que melhor cumpre o seu papel. Tenta discutir os assuntos, não abastarda a conversa, tem humor, deixa os outros falar e respeita os seus colegas. Já destes, repugna-me mesmo o seu comportamento. Desde o ódiozinho entre o senhor do Publico e o senhor Júdice à altivez e arrogância (e militância pelo PS) da C.F.Alves, passando pelos períodos de barafunda em que ninguém consegue falar, é um programa que vale pela genuinidade do D.Oliveira e pelos vídeos no final tirados do youtube.

    Ontem, voltando ao post, também foi de notar o “engagement” do moderador quando se falou de homofobia. A explicação será simples (e visível?), mas é sempre de lamentar e de denunciar quando os moderadores tomam partido nos debates. De costume, é para malhar no Bush. Ontem foi para defender uma causa que lhe será cara. Não temos direito a moderadores que se limitem a moderar e, quanto muito, a orientar os debates?

  6. planca12

    O Daniel Oliveira não sabe distinguir entre um argumento e uma constatação de factos. Que ele é feio é uma opinião; que gritou histericamente é um facto; que perdeu a cabeça, toda a gente viu. Dizer que Manuela Ferreira Leite é homófoba não é um argumento, nem racional nem profundo mas a demonstração de uma reduzida capacidade de raciocínio.

  7. Cara Patrícia Lança,

    Para quem acusa os demais de não ser capaz de manter uma discussão equilibrada, o seu post deixa francamente a desejar.

    Para além da habitual desumanização dos seus semelhantes que passa por pintar o outro como um lobby sem face e com designíos insondáveis, ao invés de identificar um conjunto de cidadãos que luta pelo reconhecimento dos seus direitos, a Patrícia Lança ainda teima em desviar a conversa para outro lado. Ninguém a quer silenciar com qualquer criminalização das suas palavras. A sua liberdade em ser contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo ninguém lha contesta.

    Prepare-se é para ser confrontada com a justa acusação de homofobia e discriminação. Deixo-lhe uma analogia que ilustrará o argumento do Daniel Oliveira no Eixo do Mal: assim como é hoje inaceitável que alguém defenda a proibição do casamento interracial, também o dia virá em que não haverá um pingo de dúvidas em remeter para o exterior do debate civilizado quem sustenta o tratamento discriminatório de casais homossexuais.

    Quanto à homofobia de Manuela Ferreira Leite ela é facilmente demonstrável, com recurso a argumentos: MFL demonstrou que está disposta a tolerar a homossexualidade, mas não a reconhecer direitos idênticos para todos, afirmando expressamente que pretende manter a discriminação existente na lei, porque perfilha uma concepção errada do que seja uma família. Que MFL tenha uma visão heteronormativa da sociedade é com ela. Que a queira continuar a impor a todos é que revela o carácter homófobo.

    Finalmente, dizer que Daniel Oliveira é feio é só sinal de má educação e totalmente escusado…

    Pedro Delgado Alve

  8. Filipe Abrantes

    A MFL não tem o direito de ser “homofóbica”? Afinal as fobias são irracionais, não é justo atacar as pessoas por isso. A não ser que, legitimamente, não goste de homossexuais e os queira prejudicar.

    Ora, isso não foge do paradigma do sistema político que temos desde sempre. Quem está no governo prejudica aqueles que bem entende, conforme os seus gostos/escolhas pessoais ou ideológicos. Não temos actualmente uma situação onde é tirado dinheiro a quem o tem para o dar a quem não tem? Isso é justo?

    Queremos a democracia representativa, não é? Então admita-se a possibilidade de chegar ao poder quem nos pretende discriminar.

  9. Senhora Patrícia Lança,

    Confesso que a sua opinião sobre a minha aparência é-me absolutamente indiferente. Aliás, é um tipo de complexo que nunca tive na vida. Apenas registo o seu estilo absolutamente grosseiro.

    Quanto às suas opiniões, há muito as deixou claras em posts inesquecíveis sobre sexo anal

  10. Pois enfim, por aqui andei a ler mais um post da senhora Lança e como de costume me vou sem sentir grande engrandecimento por ter lido.
    Eu nao sei se o Daniel Oliveira sofre seja de que fobia for nem se sim ou se expressamente contra seja o que for; mas de uma coisa nao me resta duvida, a senhora, Lança sofre sim e nao sei se de mal sem cura.Para se expressar opiniao nao me parece necessario recorrer a insulto mais ou menos encapuçado, quando existe vera inteligencia conseguimos sempre ser muito mais eficazes e sem duvida imensamente mais interessantes.
    Nao me parece de todo o seu caso…

  11. Luís Lavoura

    “Qualquer pessoa pode ter uma aversão racional à homossexualidade”

    Racional, por quê?

    Como pode ser racional a aversão a um fenómeno natural muito amplo, que se manifesta nas mais variadas espécies animais (inclusivé abelhas e golfinhos), tal como é bem conhecido desde, pelo menos, Aristóteles?

    Como pode ser racional a aversão a um fenómeno que sempre se manifestou na espécie humana – tal como em muitíssimas outras espécies animais, de forma bem documentada – sem que nunca dele tenha resultado substancial prejuízo para a espécie, ou perigo para os restantes membros dela?

  12. Luís Lavoura

    “é também a opinião da imensa maioria ser contra o chamado casamento dos homossexuais”

    Mas o liberalismo não pretende seguir a opinião da maioria.

    As discriminações são consideradas ilegais, mesmo que se apoiem na opinião da maioria.

  13. Luís Lavoura

    “Em vez de argumentos temos gritos e insultos.”

    Eu diria que dizer que Daniel Oliveira é “feio” e que ele “[torceu] os lábios” é em si mesmo um insulto. Ou seja, a autora do post faz isso mesmo que critica.

  14. jpt

    “Qualquer pessoa pode ter uma aversão racional à homossexualidade”

    Claro que pode, mas tenho grandes dúvidas que aversões a estilos de vida dos outros, que em nada afectem o nosso estilo de vida, sejam racionais. MFL e a Patrícia Lança têm todo o direito de serem homofóbicas e de o expressarem. Mas os outros também têm o direito de denunciarem esse facto.

  15. Miguel

    Sou contra os casais homosexuais (casados ou não) a terem filhos simplesmente pq biologicamente não podem. De resto podem fazer os contratos que quiserem.
    Como diz L. Lavoura a homosexualidade é “fenómeno que sempre se manifestou na espécie humana – tal como em muitíssimas outras espécies animais, de forma bem documentada – sem que nunca dele tenha resultado substancial prejuízo para a espécie, ou perigo para os restantes membros dela” desde que nao criem filhotes.

  16. Filipe Abrantes

    “Racional, por quê?

    Como pode ser racional a aversão a um fenómeno natural muito amplo, que se manifesta nas mais variadas espécies animais (inclusivé abelhas e golfinhos), tal como é bem conhecido desde, pelo menos, Aristóteles?”

    O Luis Lavoura não tem uma aversão racional a fenómenos como a homofobia ou o racismo que, da mesma forma, são naturais e amplamente difundidos e de há muito verificados na espécie humana?

  17. O Filipe Abrantes esqueceu-se estrategicamente de citar o Luis Lavoura até ao fim no seu último comentário. Se o tivesse feito teria a resposta à questão que coloca a respeito da homofobia e racismo:

    “sem que nunca dele tenha resultado substancial prejuízo para a espécie, ou perigo para os restantes membros dela”

  18. Filipe Abrantes

    Só não pus essa parte pois um juízo desse tipo é, na maioria das pessoas, meramente subjectivo e intuitivo.

    Um homofóbico vê a homossexualidade como um perigo para a perpetuação da espécie e um perigo para a homogeneidade cultural da sociedade e um atentado aos bons costumes (e à moral).

    Também quem tem dinheiro não constitui um prejuízo para a espécie nem um perigo para os membros da sociedade, e não é por isso que 95% da sociedade deixa de considerar justo que se lhes tire dinheiro para o dar aos outros. Isso já é racional?

  19. Filipe Abrantes

    Além disso, o enfoque no comentário do Luis Lavoura era (penso) este:

    Não faz sentido ser contra algo que é natural. Ora a homofobia é tão natural como a homossexualidade. O racismo como o anti-racismo. Etc

    A questão de saber se são ideias consistentes e condizentes com os factos é independente da primeira.

  20. tric

    Execelente Post!!

    como é possivel,que o “JUDEU” Daniel Oliveira andar a passar a mensagem impunemente, que o ESTADO LAICO=JACOBINO deve fazer uma “conversão em força”( criminalização) a fim de DOUTRINAR as pessoas que não partinham dos valores do Daniel Oliveira( esquerda toina mas perigosa) em relação aos Gays !!???

  21. Luís Lavoura

    Filipe Abrantes, quando escrevi que a homossexualidade é “natural” quis dizer que ela é “pertinente à Natureza”, isto é, que é um fenómeno da natureza tal como, por exemplo, as trovoadas, a tectónica de placas ou o facto de os peixes porem ovos.

    A homofobia não é “natural” nest sentido, uma vez que é uma opinião ou aversão humana, e não um fenómeno da Natureza.

  22. Luís Lavoura

    “Um homofóbico vê a homossexualidade como um perigo para a perpetuação da espécie”

    A homossexualidade sempre existiu e a espécie humana teve qualquer dificuldade em perpetuar-se. A população mundial está aliás a crescer a uma taxa superior a 1% ao ano, atualmente.

    “um perigo para a homogeneidade cultural da sociedade”

    Mais uma vez, a homossexualidade sempre existiu, ao contrário da homogeneidade cultural da sociedade, a qual é só aparente.

    “um atentado aos bons costumes (e à moral)”

    Isso são juízos relativos (subjetivos), que me abstenho de comentar.

  23. Luís Lavoura

    No comentário anterior falta um “nunca”: “nunca teve dificuldade em perpetuar-se”.

  24. Ca para mim as orientaçoes politicas sexuais culturais, etc nao deveriam nunca ser motivo para descriminaçoes ou ataques , incomodos ou cheliques mais ou menos intempestivos seja de quem for.As pessoas sao diferentes e se as suas escolhas nao constituirem ameaça a vida e bens de outrem nao vejo qual o mal em se escolher ser diferente.A natureza ensina a diferença a quem a quiser olhar , ha diferença na cor e no tom, na forma e expressao;ensina-nos tambem a arte.
    Portanto a elevaçao de voz , quando procura atingir a pessoa /pessoas , pelo seu agrupamento de escolha ou ate mesmo pela escolha individual e porque nao solitaria , que conduz a separaçao do que se pode definir socialmente como de bom ou mau tom, parece-me sempre ridicula e bacoca expressao do medo no seu sentido mais baixinho.Ver na homossexualidade uma especie de perigo catrastrofico para a perpetuaça da especie( ah o que eu gosto destes termos academicos frios e controlados ) humana ou uma qualquer ameaça para o bom comportamento hormonal e social dos rapagoes de familia, que se querem rijos e atirados na direcçao do equilaterotriangulo das normalidades felizes, tambem me parece tristinho, ate porque muitas vezes , por detras dessa fachada se escondem mundos muitas vezes bem mais complicados que nao conduzem a felicidade.O que nao deixa de ser curioso e interessante sao aqueles que se arrepiam e vociferam contra a homossexulidad masculina , para no esconso do seu intimo se enrolarem em devaneios mais ou menos obscuros no imaginario das homossexulidades femininas.Que contradiçoes; ou talvez aquele pensamento rudimentar de que tudo e possivel desde que seja com os filhos ou filhas dos outros.
    Descansem no entanto os que temem que a boa raça lusitana ou mundial do homem macho desapareça da face da terra mais a sua grandeza social e familiar erigida em tao extraordinarios alicerces porque , tanto quanto se sabe homossexuais ha-os desde o principio do mundo e nem por isso se deixaram de fabricar belos casamentos , notaveis fortunas e muitas muitas criancinhas, para dar continuaçao a nomes e aventuras mais ou menos alegres ou tristes.

    Portanto essa historia das fobias , homo ou nao ; mais essa da moral e do perigo aos bons costumes, lol nao e caso para tanta apoquentaçao.O que e verdadeiramente caso para apoquentaçao sao as tremendas injustiças exercidas a cada dia da criaçao contra os mais pobres, contra os que nao tem quem os defenda , contra aqueles que sao afinal e desde o principio do mundo explorados, humilhados assassinados e violentados pelos tipos do costume. Isso a que alguns chama de medo de perda da de raça e bons costumes , outra coisa nao e senao o medo do convivio em paz e em liberdade com os outros. Falta de habito , diria eu, porque esta coisa dos habitos , quando sao melhorzinhos , demoram muito tempo a instalar, e tao mais rapido reduzir o mundo a nossa imagem quando ela e pequenina e insultar um porque e judeu , ou se pensar que chamar-lhe judeu e um insulto eficaz( va la imaginar-se porque) ou preto ou amarelo , ou seja la que o que lembrar as cabecinhas pequenas que usam e abusam de tais adjectivos.

    Quanto ao post da dona lança ja disse o que penso, e mal escrito , pobrezito, padece de falta de imaginaçao recorrendo como de costume ao insulto bacoco e simplista.Ser feio nao e nem nunca foi sinonimo de falta de inteligencia ou incapacidade para argumentaçao, veja-se o caso de Bernard Shaw que sempre pensou nao dever nada a beleza e a quem tanto devemos, pela forma como expressou inteligencia…

  25. Filipe Abrantes

    O Luis Lavoura não percebeu o que eu disse. Os “homofóbicos” têm a sua opinião, que em regra é consensual, sobre os homossexuais. Não lhe pedi a comentar.

    Haver homofóbicos é tão natural como haver homossexuais.

  26. Filipe Abrantes

    ““um atentado aos bons costumes (e à moral)”

    Isso são juízos relativos (subjetivos), que me abstenho de comentar.”

    Também não lhe pedi para comentar. É um facto, pensam assim. Quer mudar isso mostrando desprezo?

  27. Pingback: cinco dias » Fobias II

  28. Isto de agora passar ao nível da pura grosseria personalizada é para ver se voltam a chamar a atenção de mais pessoas? É que francamente estes posts são tão “mais do mesmo” que já nem se vê o interesse em responder a sério – a senhora já provou à saciedade que não tem capacidade para entrar num debate de argumentos.

  29. André Azevedo Alves

    “É que francamente estes posts são tão “mais do mesmo” que já nem se vê o interesse em responder a sério”

    Fica então explicado o comentário da “FuckItAll “…

  30. André, sabe a diferença entre responder a sério à substância de um post e comentar apenas o tom do dito e a atitude de quem o escreve? Pelos vistos não. E isso explica muito do que aqui se passa.

  31. André Azevedo Alves

    “André, sabe a diferença entre responder a sério à substância de um post e comentar apenas o tom do dito e a atitude de quem o escreve?”

    Felizmente posso contar com os comentários de leitores como a “FuckItAll” para me esclarecer.

    “E isso explica muito do que aqui se passa.”

    Não há segredos para a Insurgentologia.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.