O problema de Obama

Ontem, Obama teve que fazer um discurso para ver limitava os danos feitos pela divulgação dos discursos racistas proferidos pelo pastor da igreja a que Obama pertence, o Rev. Jeremiah Wright.

É claro que, como de costume, houve (os convertidos) quem achasse o discurso brilhante, comparando-o com Lincoln ou Kennedy, mas depois de lido e ouvido, não tenho, nem de longe, nem de perto, a mesma opinião.

Além disso, houve uma passagem que me desagradou profundamente, que foi quando comparou as declarações racistas do Rev. Wright com o medo que a sua avó branca teve de um negro que passou por ela. Disse Obama:

I can no more disown him than I can disown the black community. I can no more disown him than I can my white grandmother — a woman who helped raise me, a woman who sacrificed again and again for me, a woman who loves me as much as she loves anything in this world, but a woman who once confessed her fear of black men who passed by her on the street, and who on more than one occasion has uttered racial or ethnic stereotypes that made me cringe.

A comparação é completamente absurda, como já bem o notaram blogs como Gateway Pundit ou Melanie Phillips, por exemplo. Tal como diz esta última:

Yes, Obama is a person who would trash his own grandmother to gain the American presidency!

Mas, pior do que isso, parece que Obama generalizou o discurso da avó a partir de um acontecimento muito concreto, descrito no seu livro Dreams from My Father: A Story of Race and Inheritance, pp. 88-91. A comparação entre o que foi dito no discurso de Obama e o relato feito pelo mesmo Obama no referido livro pode ser vista nesta entrada de Steve Sailer. Não me parece que Obama fique muito bem na fotografia.

Mickey Kaus realça alguns dos problemas do discurso de Obama. Sinceramente, não sei se Obama conseguiu ultrapassar este problema, ma, francamente, o discurso não impressiona. E o facto de ter metido a avó a despropósito, numa falsa analogia, ao barulho, comparando-a com alguém que é racista, diz-me que este é um homem em que não posso confiar.

De qualquer modo, são os americanos que têm que ajuizar sobre o assunto.

4 pensamentos sobre “O problema de Obama

  1. André Azevedo Alves

    Excelente post.

    A melhor análise do discurso de Obama que li até agora em português.

  2. “I can no more disown [Jeremiah Wright] than I can disown the black community. I can no more disown him than I can my white grandmother – a woman who helped raise me, a woman who sacrificed again and again for me, a woman who loves me as much as she loves anything in this world, but a woman who once confessed her fear of black men who passed by her on the street, and who on more than one occasion has uttered racial or ethnic stereotypes that made me cringe.

    These people are a part of me. And they are a part of America, this country that I love.”

    Recomendo:
    http://www.time-blog.com/swampland/2008/03/obamas_speech_2.html

    Curiosamente, é a parte do discurso que mais desagradou o caro Rui que eu achei mais brilhante. Opiniões… e é no minimo curioso como todos os citados pelo Rui cortam a última frase da citação – e aquela que confere parte do brilhantismo ao discurso. Funny.

    A análise do Mickey Kaus então na Slate vai mais longe, reduz a citação a isto:

    “I can no more disown him than I can disown the black community. I can no more disown him than I can my white grandmother – a woman who helped raise me, a woman who sacrificed again and again for me, a woman who loves me as much as she loves anything in this world, but a woman who once confessed her fear of black men who passed by her on the street …. [E.A.]”

    O “more than one occasion has uttered racial or ethnic stereotypes that made me cringe” não está lá para nada, especialmente a parte do “more than one”… é por isso que como sugere o Rui, isto tudo deriva de “um acontecimento muito concreto”.

  3. Pingback: Em Português… « Eleições Americanas de 2008

  4. Judith

    I am not a Christian, but I know Rev. Wright is a wise man. Religion should never be a main judgment in politics…that’s unAmerican. My best wishes go out to his family and church. In hard times we must remember that…this too shall pass. Education and unity should be the focus of our leaders…….United we stand..Divided we fall.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.