WTF?

A Quercus, sempre interventiva na problemática dos excessos de embalagem, da florestação e do desperdício de energia, entregou hoje um postal com quatro metros quadrados no Ministério da Economia, com o intuito de apelar à proibição das lámpadas de incandescência em 2011.

Não consta que entre as públicas limitações do ministro da economia esteja alguma limitação da visão. Como tal, questiona-se a necessidade de desperdiçar quatro metros quadrados de papel, dos recursos florestais associados, da energia que foi empregue no seu fabrico, e das tintas (sabe-se lá com que toxicidade) que foram utilizadas na sua concepção.

Estes fundamentalistas da ecologia são estranhos…

Anúncios

9 pensamentos sobre “WTF?

  1. AS

    Porém, para compensar, viajaram até ao destino de bicicleta, pelas aprazíveis ciclovias das colinas de Lisboa, e não fumaram. Se o cartaz fosse mais pequeno teriam de viajar de automóvel (contrariados) e teriam de fumar (contrariados).

  2. Daniel Azevedo

    E no entanto a medida (a substituição, não a proibição) sería bastante acertada. Com lampâdas de incandescência o consumo energético é bastante superior (A luz produzida com 60W de uma lâmpada de filamento, corresponde a uma fluorescente de 11W).
    Mas há sempre esta malta que à falta do que fazer resolve pensar com a barriga das pernas.

    Eu, na minha casa só tenho dessas lâmpadas para poupar – a minha mulher chama-lhes as lâmpadas poupadoras de LUZ, porque demoram a aquecer e iluminar em pleno. 😀

    Cumprimentos

  3. AS

    Ao comparar a eficiência energética de soluções alternativas de iluminação doméstica há que ter conta, nomeadamente, as seguintes variáveis:
    – o custo de investimento;
    – o período de vida útil;
    – a adaptabilidade da lâmpada aos suportes existentes;
    – o custo energético associado ao próprio fabrico de cada solução;
    – o custo de reciclagem (mercúrio);
    – o custo de consumo (sendo que a factura de electricidade tem componentes que são independentes do consumo).

    Mas o post trata da incoerência entre o que se proclama e o que se pratica.

    Olhar só para o consumo, ignorando as restantes variáveis de análise, e ser complacente com a hipocrisia dos promotores da acção é … sei lá, pensar com a barriga das pernas ou ter falta de tempo para pensar ?

  4. Doe, J

    Daniel Azevedo diz:
    “Eu, na minha casa só tenho dessas lâmpadas para poupar”

    Pois eu não. Tenho lâmpadas economizadoras onde elas se justificam. Porque, como estas lâmpadas demoram algum tempo até atingirem o ponto óptimo, tenho também das incandescentes para aqueles pontos de luz que se acendem por pouco tempo seguido. Para, por exemplo, dar aquele pulo rápido ao frigorífico e que normalmente já está despachado ainda antes da economizadora ter tido tempo de acender totalmente. 😉

    Claro que os pontos de luz que ficam ligados por mais tempo de cada vez estão devidamente equipados com as economizadoras. 🙂

  5. Daniel Azevedo

    “Olhar só para o consumo, ignorando as restantes variáveis de análise, e ser complacente com a hipocrisia dos promotores da acção é … sei lá, pensar com a barriga das pernas ou ter falta de tempo para pensar ?”

    Bom, se quisermos ser justos podemos dizer que para grandes problemas, grandes iniciativas.
    Não se trata de justificar a hipocrisia, ainda que considere que há pessoas que realmente se preocupam com estas questões! Eu incluído. Podem é ter uma forma de o demonstrar que é pouco pensada.

    “Olhar só para o consumo, ignorando as restantes variáveis de análise, e ser complacente com a hipocrisia dos promotores da acção é … sei lá, pensar com a barriga das pernas ou ter falta de tempo para pensar ?”

    Lamento mas não justifiquei a hipocrisia, apenas referi que talvez não fosse má ideia, considerar a hipótese de tal mudança ocorrer.Para tal tería que ser realizado um estudo.
    Agora a forma como cada um procede para chamar a atenção é com ele. Podemos aceitar ou não.

  6. Daniel Azevedo

    Caro Doe, J

    Devo acrescentar que o que me levou a comprar as lampadas poupadouras foi o facto de na casa que comprei, toda a iluminação ser feita através de lâmpadas embutidas (tão na moda nos dias que correm), em cada divisão da casa tinha 4 lâmpadas dessas, cada uma a 100W.
    Ainda por cima direcionais, era o solarium para quem se punha debaixo delas.
    A 400W por divisão penso que valeu o investimento.

  7. Carlos Carvalho

    Aparentemente a Quercus esta’ atrasada em relacao aos outros movimentos ambientalistas. Segundo um relatorio publicado recentemente no NYT e no Boston Globe, as lampadas fluorescentes que supostamente vao salvar o mundo de morrer afogado, contem mercurio. Sim, mercurio, um produto toxico que potencialmente trara’ problemas maiores e a mais curto prazo do que o afogamento no ano sabe-se la’ quando.

    Aparentemente este mercurio nao preocupa ainda os ambientalistas portugueses.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.