Anotação breve

No seguimento da crise vivida no blogue da revista Atlântico, muito se escreveu sobre a intolerância do André Azevedo Alves, de este ser simpatizante da extrema-direita, não aceitar o contraditório e por aí fora.

O Insurgente foi criado pelo André Azevedo Alves e pelo Miguel Noronha. Tem sido um sucesso. Não apenas pelo elevado número de visitas diárias mas, essencialmente, devido ao pluralismo que aqui se vive. Uma pluralismo que, por si só, devia refutar qualquer tentativa menos séria de acusar este blogue de ser o quer que seja de menos próprio.

Escrevi já neste blogue coisas sobre as quais os André Azevedo Alves discorda profundamente. Nunca da parte dele ouvi uma crítica, uma chamada de atenção. Nunca senti qualquer intolerância. Sempre respeito. Sempre uma enorme consideração.

O segredo do Insurgente está neste ponto: Apesar das diferença de opinião sobre assuntos concretos, falamos para fora. Não nos perdemos em quezílias. Isto é difícil de compreender, porque é raro. Como difícil é de acreditar na facilidade com que o blogue foi criado. Se foi desenvolvendo. Sem projecto pré-definido, sem regras pré-estabelecidas. Com a maior das informalidades, sempre com base no bom senso, no acordo mútuo e na boa educação. No respeito e na confiança.

Várias vezes me chamaram de fascista. Uma acusação que sempre me fez rir por geralmente ser feita por socialistas que defendem mais Estado, mais regulamentação, mais intervenção na educação, e por aí fora. O desnorte desta gente entristece-me mas nunca me fez desistir. Tenho a certeza que o André Alves nunca desistirá por idiotices do mesmo género.

Há um combate ideológico a ser travado nos próximos tempos. Pela parte que me toca, julgo que o Insurgente estará na linha da frente. Na luta por menos Estado na economia e na sociedade. Liberdade na educação, podendo os pais escolher as escolas e o que vai ser ensinado aos seus filhos; liberdade de reforma; liberdade laboral: liberdade de viver a vida de acordo com as crenças de cada um.

Pessoas como o Daniel Oliveira preferem discutir com quem concordam à partida. Também há quem queira perder tempo a falar com as paredes. É mais fácil e eu compreendo. O Daniel até nos pode tentar colar à ‘salazarenta e beata direita nacional’; São ‘tiques’ do passado. No que toca aos últimos 50 anos, não somos nós quem tem telhados de vidro.

Anúncios

22 pensamentos sobre “Anotação breve

  1. RMR

    Vai ser, de facto, precisa muita coragem para travar esse combate ideológico. Como estão na linha de frente, estão mais expostos. De mais coragem vão precisar, o que não parece ser problema.
    Que o Insurgente prossiga este caminho.
    Ao André Azevedo Alves, a minha solidariedade.

  2. Nos ultimos 50 anos, os senhores ditos “liberais” têm muitos telhados de vidro. Quanto á liberdade de cada um viver conforme as suas crenças… peço imensa desculpa, mas a vossa demagogia já não me convence. Como é que alguém pode aformar tal coisa, quando é contra o casamento homossexual, é contra o divorcio por vontade de um dos conjugues, faz apologias ao salazarismo, desconfia do direito de greve, e além do mais defende Freidman, o autor que preferia uma ditadura com economia liberal, do que uma democracia com alguma regulação de mercado?

    Por muito que admire a vossa capacidade intelectual e o gosto do combate politico que vocês travam pelos vossos ideais, não posso deixar de referir, que entre a extrema esquerda e vocês, no aspecto da demagogia e da imparcialidade de avaliação de diversas situações, são identicos. Simplesmente alteram as lentes conceptuais com que observam os diferentes acontecimentos. Resumindo, se são o oposto da extrema esquerda, são extrema direita, com uma diferença da extrema direita a que estávamos habituados, em vez de serem anti-semitas, são islamofóbicos. São outro tipo de extrema direita. Mas continuem com este blog, o combate politico so se faz se existirem rivais, e vocês são rivais com que tenho imenso gosto em prtilhar este combate, embora estejamos em campos diferentes.

  3. Ricardo

    André fica-te bem essa declaração de amiguismo ao AAA. Mas no meio desta “crise” da Atlântico há aspectos irrefutáveis e que foram (uma vez mais) evidenciados, designadamente:
    Que o AAA fez inúmeras vezes faz apologia a valores e situações concretas da extrema-direita; que o AAA é homofóbico; que o AAA é intolerante e mal educado.
    Perante os exemplos (posts) que evidenciam isso, aceito que tu não tenhas essa mesma percepção e que aches que são apenas constatações que o AAA faz, sem contudo, se comprometer. Mas as coisas são clarinhas como a água. Também há na esquerda quem considere o Chavez um exemplo de democrata.
    Em ambas as situações não há nada a fazer. São percepções diferentes. Pessoalmente, não tenho quaisquer dúvidas de que o AAA é tudo aquilo que lhe acusam.

  4. Do desfile de adjectivos em tom de panegírico, a fazer lembrar aqueles tempos em que intelectuais próximos do PC eram obviamente brilhantes, nada tenho a dizer.
    Só não percebo todo este exercício de “vitimização” em torno da figura do AAA. Mas afinal o que lhe fizeram assim de tão grave?
    Ofendem-se por muito pouco…Ou então é uma coisa muito portuguesa: nada melhor do que engendrar uma vítima para suscitar uma vaga de fundo.

    P.S. E o que dizer de toda esta dramatização, “a liberdade de cada um viver a sua vida de acordo com a suas crenças” está por acaso ameaçada (isto não é muito diferente dos que dizem que o fascismo está ao virar da esquina…) ? O AAA tem toda liberdade de elogiar o senador Joseph McCarthy , embora este tenha arruinado a vida de muitos. Não consta que por causa disso o AAA tenha sido despedido do seu emprego ou vítima de tortura nalgum cadafalso politicamente correcto.

  5. Só queria dar os parabéns a O Insurgente pois para mim é o melhor blogue dos que leio diariamente.

    Quanto às acusações do AAA pertencer à extrema direita, estou certo que o AAA não precisa de advogado de defesa, mas pelos posts que leio dele no blogue essa conclusão é no mínimo ridícula!

    Pelo que li, ele apenas chamou a atenção para a diferença de tratamento entre a extrema direita e a extrema esquerda pelo Estado e comunicação social! Se isto lhe dá automaticamente direito a um cartão de militante do PNR, então estou certo que o PNR terá, para sua própria surpresa, uma horda de militantes que são de extrema direita, só ainda não sabem que são de extrema direita!

    Enfim, a manipulação costumeira da extrema esquerda de dedo leve no gatilho que, mal pode, dispara o “fascista” que traz sempre debaixo da língua.

    Não percebem ou não querem perceber que a extrema direita partilha mais princípios com a extrema esquerda do que com o liberalismo.

    Em resumo: se o AAA fosse realmente de extrema direita, então, pelas ideias que expõe neste fórum, eu diria que ele não faz a mínima ideia do que é a extrema direita…

  6. “No que toca aos últimos 50 anos, não somos nós quem tem telhados de vidro.”

    É preciso ter uma certa lata para dizer coisas destas. Qualquer pessoa de direita, mais ou menos democrática, tem de ter cuidado quando critica a esquerda portuguesa – pelo simples facto de a esquerda não ter implantado nenhuma ditadura em Portugal.

    Se isto é verdade em geral, é-o ainda mais quando a pessoa de direita que diz isto é, objectivamente, salazarista.

  7. Friedman, o autor que preferia uma ditadura com economia liberal, do que uma democracia com alguma regulação de mercado

    Esta tem piada. Primeiro pela “alguma regulação”, depois pelo facto de que a suposta citação seria de Hayek e não Friedman. A citação correcta é “Mi preferencia personal se inclina a una dictadura liberal y no a un gobierno democrático donde todo liberalismo esté ausente e é retirada de uma entrevista de Hayek a um jornal Chileno (El Mercurio). De qualquer modo o contexto não tem nada a ver com o que sugere. Uma tradução da entrevista completa em inglês pode ser vista aqui.

  8. Se isto é verdade em geral, é-o ainda mais quando a pessoa de direita que diz isto é, objectivamente, salazarista.

    Sendo que o conceito de “objectivamente” do Igor é “qualquer disparate que me apetece arremessar a pessoas contra as quais não consigo apresentar nenhum argumento racional e por isso prefiro entrar por tretas e falácias”.

  9. Tanto paninho quente. O que se tentou fazer com o André Azevedo Alves foi a típica purga estalinista. A novidade é alguma da chamada “direita liberal” mostrou aquilo que realmente é, uma extrema-esquerda encoberta, os verdadeiros nazis do século XXI. Esta gentalha execrável faz ilações sem qualquer nexo, vendo indícios de salazarismo, extrema-direita nos comentários que não estão vendidos à sociopatia revolucionária. Eles não conseguem provar nada, nunca passam do “então não se está mesmo a ver que”, que é o sublime apelo aos sub-nutrido mentais, aos débeis de carácter. Na verdade, com as suas simulações patéticas de indignação, que não passam de tentativas de extermínio de carácter, dão apenas argumentos definitivos para uma conclusão objectiva: são filhos da puta, sociopatas dementes.

  10. Friedman Khalo

    “Tanto paninho quente. O que se tentou fazer com o André Azevedo Alves foi a típica purga estalinista. A novidade é alguma da chamada “direita liberal” mostrou aquilo que realmente é, uma extrema-esquerda encoberta, os verdadeiros nazis do século XXI.”

    Epa, chorei a rir com esta. Há cabeças mesmo confusas… mas, sim senhor!, pelo menos da côr à discussao.

    O AAA escreveu durante muito tempo posts nos quais perfilou posiçoes que agora lhe sao apontadas. Nao entendo de onde vem esta campanha de vitimizaçao do menino! Posts ambíguos sobre a ditadura e Salazar, posts claramente homofóbicos, apologia da “irreverência intelectual” de estudos que provam a menor aptidao intelectual das pessoas de cor, ambiguidade em relaçao ao PNR, etc. foram sempre a ordem do dia e nao sao uma questao de má-fé de quem os lê. É má-fé por parte de quem os escreve.

    E quanto a esta bonita elegia à excelente educaçao de AAA, em oposiçao à índole insultuosa do seu recente detractor, resta dizer que o recurso ao insulto gratuíto e à insinuaçao mesquinha foram constantes nos seus paupérrimos escritos. Excessos na adjectivaçao de potenciais adversários sempre foram imagem de marca de AAA. (Uma vez chegou a tratar alguém por “verme”)

  11. Uhhh os meninos queques andam irritados comigo.

    Andam? Você lá saberá. Não percebo é o que é nós temos a ver com isso e porque vem desabafar para aqui.

  12. «Epa, chorei a rir com esta.»

    Estratégia típica dos nazis do século XXI. Tentar colocar os outros no ridículo através de atitudes ridículas.

    Mas os insurgentes ainda perdem tempo a discutir questões económicas? Ainda não perceberam que os novos revolucionários já se converteram, de uma forma ou de outra, ao capitalismo? Os novos totalitarismos têm que se combater na sua linguagem, nos seus neologismos, na denúncia das técnicas de extermínio de carácter.

  13. “apologia da “irreverência intelectual” de estudos que provam a menor aptidao intelectual das pessoas de cor”

    Na altura também me interroguei sobre a tal irreverência intelectual dos tais estudos. Percebi imediatamente em face das atordoadas com que tais estudos foram brindados pela blogosfera!

    Mas alguém aqui n’O Insurgente disse que as pessoas de cor deveriam ter menos direitos que os brancos? E que os brancos deveriam ter menos direitos que os asiáticos????

    Qual é o problema de se investigar ou de se constatar que há diferenças genéticas a nível de inteligência entre as várias raças humanas? Alguém neste blogue utilizou esse argumento para hierarquizar raças? Para sugerir diferenças em termos dos direitos fundamentais dos cidadãos?

  14. pedro oliveira

    Não conheço o Tiago nem o André, sou da provincia e de uma vila pequena(Porto de Mós), onde discutir ideias não é fácil, por isso não me surpreende que duas pessoas com ideias diferente se tenham aborrecido e tenham entrado em ruptura, geralmente é assim quando os recursos acabam.Neste país no “nacional porreirismo” as vozes fora do alinhamento, sejam de esquerda ou de direita são normalmente mal tratadas, é melhor deixar andar a “carneirada”. Comigo também não contem e, concordo completamente com isto:” Na luta por menos Estado na economia e na sociedade. Liberdade na educação, podendo os pais escolher as escolas e o que vai ser ensinado aos seus filhos; liberdade de reforma; liberdade laboral: liberdade de viver a vida de acordo com as crenças de cada um.”
    pedro oliveira
    http://vilaforte.blog.com

  15. pedro oliveira

    Não conheço o Tiago nem o André, sou da provincia e de uma vila pequena(Porto de Mós), onde discutir ideias não é fácil, por isso não me surpreende que duas pessoas com ideias diferente se tenham aborrecido e tenham entrado em ruptura, geralmente é assim quando os recursos acabam.Neste país no “nacional porreirismo” as vozes fora do alinhamento, sejam de esquerda ou de direita são normalmente mal tratadas, é melhor deixar andar a “caneirada”. Comigo também não contem e, concordo completamente com isto:” Na luta por menos Estado na economia e na sociedade. Liberdade na educação, podendo os pais escolher as escolas e o que vai ser ensinado aos seus filhos; liberdade de reforma; liberdade laboral: liberdade de viver a vida de acordo com as crenças de cada um.”
    pedro oliveira
    http://vilaforte.blog.com

  16. Friedman Khalo

    “Qual é o problema de se investigar ou de se constatar que há diferenças genéticas a nível de inteligência entre as várias raças humanas?” (para começar esse tema de investigaçao nao existe por absurdo infrutífero. A afirmaçao de Watson nao se apoiava em nenhum estudo. Apoiava-se na observaçao do comportamento dos seus empregados de casa.)

    Constatar? Os preconceitos nascem sempre da ignorância. Diferenças nas capacidades intelectuais nunca foram traço distintivo entre raças. Essa ideia nasce do preconceito, e por sucessao lógica, da ignorância. Nao existem coeficientes de inteligência associados a cada raça. Se bem que, ao ler este blog, começo a duvidar….

    Acho piada à questao dos direitos… de certeza que nao vê nenhum atropelo aos direitos fundamentais do Homem ao dizer que “tive muitos empregados pretos e muitos deles eram idiotas. Logo estou em posiçao de ir para a imprensa afirmar que os pretos sao menos inteligentes que os brancos”

  17. “Nao existem coeficientes de inteligência associados a cada raça.”

    Existem existem Frieda, e olhe que o dos asiáticos é superior ao dos brancos veja lá. Gandas racistas pá!

  18. João

    “Existem existem Frieda, e olhe que o dos asiáticos é superior ao dos brancos veja lá. Gandas racistas pá!”

    Dá-se num sítio tira-se doutro. consta que são menos favorecidos noutras áreas, igualmente úteis.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.