SARAMAGO E A UNIÃO IBÉRICA

Será a opinião do escritor ou será ‘His Master’s Voice’ ?

A entrevista do ‘Ignoble Nobel’ ao Diário de Notícias, em que ele se pronunciou sobre uma futura União Ibérica, tem vindo a suscitar diversas e interessantes reacções.

Os mais velhos recordam que houve um tempo em que o PCP não tolerava sequer a menção de qualquer colaboração com Espanha, nem com os comunistas espanhóis. Esses, que sofreram muito mais às mãos do Generalíssimo do que algum dia os comunistas portugueses às mãos de Salazar…

Será que a posição de Saramago reflecte um volte face do PCP? Hoje não existe nem Franco nem Aznar à frente do governo do país vizinho. Mas existe, isso sim, um simpático Zapatero.

E apesar dos defeitos do nosso PM, Zapatero será bastante mais do agrado dos comunistas portugueses. Especulação? É bem possível que Saramago estivesse a falar sozinho do fundo da sua incomensurável vaidade. Ou não? A ver vamos.

Anúncios

19 thoughts on “SARAMAGO E A UNIÃO IBÉRICA

  1. Este hombre está como una cabra. Ni caso a lo que diga. Está en España, se apunta a todas las fiestas en las que se ataque a Aznar y no hace nada más.
    Aquí desde luego, fuera de los “radical lefties” no se le presta demasiada atención…

  2. Pingback: Some very funny links « Spanish Pundit

  3. Luís Oliveira

    Quando há uns posts atrás chamei ao Michael Moore o maior atrasado mental do planeta, tinha-me obviamente esquecido do Saramago. O meu pedido de desculpas a ambos.

  4. Pingback: La nueva idea del Nobel Saramago: Iberia « Spanish Pundit en español

  5. Miles

    Quando este sistema político tiver “secado” tudo à sua volta e não vir fontes de rendimento não se admirem se não aparecerem muitos mais “SARAMAGOS”.
    O pessoal vende-se por um prato de lentilhas.
    Chato mesmo é a constituição prever o dever de resistência por todos os cidadãos, o que implica que qualquer um pode varrer traidores…

  6. José F.

    Cara Patricia,
    Parece-me que a opinião de Saramago não é tão despropositada quanto algumas pessoas querem fazer crer.
    Em primeiro lugar por razões históricas. Houve sempre em Portugal um movimento integracionista mais ou mlenos forte consoante as alturas. Efectivamente nós (Ibéricos) perdemos uma oportunidade de ser uma grande potência europeia porque faltou a frente atlântica a que corresponde a costa portuguesa. Não foi aliás por acaso que as coroas francesa e inglesa sempre apoiaram a independência de Portugal.
    Agora, chegados à actualidade, se a Espanha evoluir como é previsivel para uma Confederação de Estados, Portugal ficará isolado na sua perificidade se não fizer parte dessa Confederação. No que me diz respeito, sinceramente, estou cansado de ser periférico e ainda por cima não ter ligações de jeito para a Europa.
    Não compreendo que apenas haja um comboio por dia para Madrid (que é a capital mais próxima) e que a viagem dure uma noite completa!!!
    É por isto que considero que José Saramago tem razão. A questão é sempre o tempo. Quando caiu o muro de Berlim ninguém pensava que fosse tão cedo. Quanto anos vai ainda durar/aguentar a “nossa” democracia?

  7. Mário Pereira

    Em primeiro lugar, julgo que quase ninguém leu a entrevista do Saramago. Eu, por acaso, li. Aliás, só comprei o jornal por causa disso, uma vez que o panorama da nossa imprensa está tão negro que não me apetece comprar jornais, não confio neles. Os desportivos estão para os homens como as revistas femininas para as mulheres, ou seja, não são verdadeiramente informação, jornalismo, mas sim puro entretenimento. Os outros, habitualmente considerados “de referência”, estão pelas ruas da amargura. Expresso, Sol, Público, Diário de Notícias, estão todos nas mãos de grandes grupos económicos e, como tal, são a voz do dono (vide o caso da licenciatura do Sócrates e o tratamento que teve por parte do Público, do Belmiro Azevedo, muito desagradado com o comportamento do Governo na OPA à PT). Fantasmas? Pois sim… Digo antes que nada acontece por acaso. Aliás, o Saramago refere na entrevista mais duas questões interessantes: uma a questão da Palestina/Israel. Por causa disso, chamam-lhe anti-semita, aniquilando completamente, com um simples rótulo, a sua credibilidade, sem sequer se falar do assunto em si. Outra questão interessante é o nosso modelo de democracia. Como ainda não conseguimos arranjar um sistema melhor, achamos que é inaceitável questionar esta “democracia”. Sobre isto, limito-me a dizer que se o Salazar viesse agora a Portugal, com certeza que pensaria: “Como é que não me lembrei disto?” Afinal, para manter o povo controlado não é precisa censura, nem polícia política. Debaixo da capa da democracia, o verdadeiro poder, o económico, consegue ter muito mais sucesso do que numa ditadura, porque não se desgasta tanto e tem a “legitimidade do voto”. Entretidos com os seus consumozinhos domésticos (casinhas, carrinhos, feriazinhas, joguinhos de futebol…), os povos ocidentais deixam o terreno livre para as grandes multinacionais ganharem cada vez mais dinheiro à sua custa. Em relação à questão central, a da união ibérica, e, contrariamente a alguns dos que têm opinião oposta, sem ofender ninguém, penso fundamentalmente que não deve ser um tabu. Devemos ter a capacidade de discutir o assunto sem ficarmos agarrados a um passado de conflitos e desconfianças mútuas com os, apesar de tudo, nuestros hermanos. Hoje os tempos são outros. Pela parte que me toca, a ideia não me repugna, até porque não se trataria de uma conquista, mas sim de uma união voluntária entre dois povos. Julgo que teríamos mais a ganhar do que a perder.

  8. antónio afonso sousa

    -Não acredito que Saramago creia no que disse.-Penso que usou o tema mais como provocação e não por convicção.
    -O que é saudável.
    -Saramago conhece bem a História de Portugal, conhece bem o carácter do Povo Português e sabe perfeitamente que os Portugueses nunca iriam aceitar fazer parte de Espanha como Província da mesma. -Sabe também que a Catalunha o País Basco, Galiza,Astúrias,Andaluzia etc não são propriamente províncias de uma nação mas sim eles próprias são Nações. Que reivindicam do Estado Espanhol, mais Autonomia.
    E então no Pais Basco a coisa é mais profunda, os Basco não são um Povo qualquer.

  9. antónio sousa

    Continuando:
    –Quanto à entrevista e a mesma não ter tido muita repercussão nos mídia tanto nacionais como espanhóis, ela deve-se à questão dos impostos é que aqui Saramago toca com o dedo na ferida de muitos pseudnacionalistas que quando toca pagar os seus impostos à pátria, o seu nacionalismo vai pela sanita abaixo mais rápido que a velocidade da luz.

  10. Lusitanus

    “…Mas a divisão do mundo não era o único assunto pendente entre os reinos ibéricos. Os reis católicos tinham várias filhas, mas apenas um filho, Juan, de saúde frágil. A filha mais velha, Isabel, era casada com o príncipe Afonso de Portugal desde a infância. Se Juan morresse sem deixar herdeiros, o mais provável seria Afonso, único filho de João II, tornar-se rei não só de Portugal, mas também de Castela e Aragão. Esta ameaça à coroa espanhola era bem real: Fernando de Aragão e Isabel I de Castela tentaram todas as vias diplomáticas para dissolver o casamento, sem qualquer sucesso. Finalmente, em 1491, o príncipe Afonso morre em consequência de uma misteriosa queda de cavalo durante um passeio à beira do rio Tejo. A ligação dos reis católicos ao acidente nunca foi provada, mas eram eles quem mais tinha a ganhar.”

    Se o filho de D.João II não tivesse morrido hoje o País Ibérica era um dos mais desenvolvidos do mundo e muito superior a Inglaterra,França,Alemanha,com a união das riquezas,conhecimentos e poder vindo dos Descobrimentos dos dois paises era logico um enorme poderio na Europa e no Mundo.O único problema seria a ETA,se Espanha se juntar a Portugal trára atentados terroristas,e não queremos isso.

  11. Paulo soares

    Amigos Espanhois e Portugueses, eu sou Brasileiro que esta morando na Espanha.
    As relaçoes dos naturais ou descendentes dos dois paises no Brasil, é muito boa e penso que se acontecer seria muito beneficiosa para os dois povos.
    Tambem penso que seria uma guia para a uniao dos paises da AMERICA-LATINA que começaram uma relaçao económica com o MERCOSUL (Brasil, Argentina, Uruguay, Paraguai, e o Chile associado )
    Na verdade sao muito parecidos no seu jeito, tanto que no Brasil nao da para perceber as diferenças.

    Tchao…um abraço para todo o mundo.

  12. Joao

    Sá os idiotaé que não acreditam no integracionismos e na unidadade. Porque não saimos da união Europeia? já que é uma união

  13. I’m Portuguese from my own soul. i was born in Lisbon, i didnt studied much, just few 24 years in arts. I know the past of my people in all world as i also know the past of Castella, Aragon & Leon. Yes we are very diferent.For example we dont got “the siesta”. If somebody joined Portugal and Spain, it was just a desaster, like Tito did in old Yugoslavia, even we look similar, Black Pig from Alentejo (Portugal), is not Iberian Pig, baby fishes from Mediterraneo are not adult fishes from The Atlantic Ocean. Picasso was an artist that became famous with Guernica- Spanish civil war exposure, as i remember 25 of April in Portugal was made without a single drop of blood, to give the freedom to other people from a lot of countries and free up this country from a fascist regime. I respect ALL Spain and i’m so polite as i am in my own country, without deserts of land and soul. I’m sorry but i am portuguese and Portugal just belong to Iberian peninsule (part of land surrounded by SEA). We both speak latim languages and our language became from Galaico. Lusitânia (Portuguese kind), was a very small place, they were never defeated by Romans.Man could change time and place. Essences? Never! Water will be allways water no matter if it got gas or colour, it will be WATER with gas or it will be WATER with colour. I’m sorry that Portugal got the biggest cost of Europe, but somebody did that and we must respect what the others did. Jose Saramago is not the only one considered in the world as a writer, got a lotttttttttttttt more by the honesty and love for human kind. So i think its better to stay like we are and i agree with nostros ermanos.
    Thank you for your kindness and attention.
    With my kindest regards

    João Lopes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s