Arte

Para os saudosistas do velho Rivoli, um pequeno excerto da peça que hoje lá estaria se Rui Rio não fosse um vendido ao grande capital.

Os Monólogos da Azinheira

Acto 1
Entra um homem na casa dos 40 anos nu em palco agarrado a duas folhas de azinheira. Durante 5 minutos olha o público em silêncio enfrentando a vergonha (aliviada pelo facto de todos os cinco membros do público serem da sua família).

– Estou sozinho – diz a azinheira.

Apagam-se as luzes. A azinheira olha mais 5 minutos o público.
Aos 4 minutos e 25 segundos entra a funcionária da limpeza em palco. O público rejubila! Qual o significado daquela presença? Uns interpretam como sendo a vontade dos autores de fazer chegar a arte contemporânea a todas as classes. Outros como sendo a necessidade de tornar a arte mais limpa. Enquanto a plateia se mantém na dúvida, a senhora da limpeza apercebe-se que se enganou, que a peça não tinha acabado, e sai do palco.

– Onde está o meu tronco? – questiona-se a azinheira – Onde está o tronco de todos nós? – continua a questionar-se a azinheira.

A azinheira olha mais 5 minutos para o público.
A azinheira tem uma erecção. O público rejubila.
Fim do 1º acto.

Anúncios

13 pensamentos sobre “Arte

  1. Carlos Carvalho

    ahahahahaha!!! Lindo!

    Ja’ agora, bem haja Rui Rio pelo seu magnifico trabalho. Rui Rio e’ o Rudy Giuliani de Portugal.

  2. Joao

    isto faz-me lembrar o comentário do Himmler (não tenho a certeza se foi mesmo ele) sobre puxar da colt quando ouvia a palavra cultura…

  3. Carlos Pinto, um texto dramaturgico pode ser consideravelmente diferente na sua forma escrita da sua forma teatrializada.

    O texto que apresentas é de facto mauzito, mas não quer dizer que o espectáculo não possa ser melhor que o texto. A leitura e direcção que o encenador dá ao texto original, a capacidade de interpretação dos actores, a cenografia, o desenho de luz, etc. tudo isso faz parte de um espectáculo. E sem todos esses elementos não se pode fazer uma avaliação critica minamamente fundamentada.

  4. Carlos G. Pinto

    Alaíde, fui ao Rivoli vêr peças de teatro duas vezes (sou um inculto, eu sei). Acredita que uma delas foi bem pior, do meu ponto de vista inculto claro, que a pior encenação possível a ser feita a partir deste post.
    A virtude, ou não, deste post é deixar ao leitor a possbilidade de o encenar mentalmente. Pessoalmente, prefiro não fazer. 🙂

  5. «sou um inculto, eu sei»

    Carlos eu nao cometo o erro de achar que quem diz mal da cultura é um individuo inculto…

    eu já vi vários espectáculos no rivoli (de teatro,dança, novo circo), e por azar apanhei alguns maus. Mas genericamente a programação da isabel alves costa era equilibrada. entre espectáculos mais experimentais até aos blockbusters eram apresentados no rivoli – como deveria ser a prática de um teatro municipal. é pena que ambas as partes entrem numa radicalização do discurso que é contraproducente…

  6. “Carlos eu nao cometo o erro de achar que quem diz mal da cultura é um individuo inculto…”
    Eu não digo mal da cultura. Até porque não sei definir “cultura”. Reservo-me é ao direito de criticar, tal como muitos das ditas pessoas cultas, certas manifestações culturais, assim como as políticas públicas de apoio à “cultura”.

    Pessoalmente o que mais gostei de vêr no rivoli foram os infelizmente extintos café-blasfémias. Em relação ao resto, e pondo de parte posições políticas e gostos pessoais, penso que estamos genericamente de acordo.

  7. Miles

    Mas o pessoal sempre pode ir fazer esse teatro de formação de públicos para as estações do metro…

  8. carlos, o reparo que fiz à tua critica a esta possibilidade de manifestação artística, vai no sentido de o teres feito com uma base muito débil de argumentação, com um sentido de análise muito estreito.

    Por exemplo o argumento de muitos filmes do d. lynch é genericamente medíocre. no entanto a forma coo ele o filma, os seus actores transformam aquilo que é medíocre num bom objecto artístico, por vezes até extraordinário. podermos não gostar da estética do d. lynch, mas há que reconhecer-lhe a mestria na arte de filmar…

    «Em relação ao resto, (…), penso que estamos genericamente de acordo» 😀

  9. «Em relação ao resto, (…), penso que estamos genericamente de acordo»

    Soou a “és um troglodita, mas no bom sentido”. 😀

  10. E sem todos esses elementos não se pode fazer uma avaliação critica minamamente fundamentada.

    E sem crítica fundamentada é intelectualmente desonesto dizer “do meu dinheiro, nem mais um tostão para esses parasitas”.

  11. André, acho que a questão está mesmo no título do post Arte, e de facto o que eu estava a discutir era a potencialidade do texto enquanto objecto artítico, enquanto espectáculo de teatro. por isso achei que os dados que estão disponíveis – o texto – são insuficientes para fazer uma analise crritica do objecto artístico : espectáculo de teatro.

    [uma ressalva, naturalmente que nem toda a Cultura é Arte, mas tendencialmente a Arte é Cultura]

    Conhecendo de forma genérica a opinião de muitos insurgentes relativamente ao financiamento público da Cultura, compreendo de alguma forma que o Carlos se quisesse proteger, afirmando
    «sou um inculto, eu sei». Mas esquece que o nível cultural não pode ser avaliado somente pelo número de espectáculos que viu ou o nº de livros que leu, etc. O nível cultural pode ser avaliado pela capacidade de análise critica dos objectos artísticos…

    Mesmo em disciplinas como economia cultural [e aí na lse existem vários especialistas na matéria, e com posições muito pertinentes], essa análise critica é tida em conta. esta é uma mátéria bastante estudada, infelizmente eu não tenho a competência técnica para ir por aí… e limito-me a fazer uma apreciação mais linear.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.