A concepção liberal de liberdade

The liberal conception of freedom has often been described as a merely negative conception, and rightly so. Like peace and justice, it refers to the absence of an evil, to a condition opening opportunities but not assuring particular benefits; though it was expected to enhance the probability that the means needed for the purposes pursued by the different individuals would be available. The liberal demand for freedom is thus a demand for the removal of all manmade obstacles to individual efforts, not a claim that the community or the state should supply particular goods. It does not preclude such collective action where it seems necessary, or at least a more effective way for securing certain services, but regards this as a matter of expediency and as such limited by the basic principle of equal freedom under the law. The decline of liberal doctrine, beginning in the 1870s, is closely connected with a re‑interpretation of freedom as the command over, and usually the provision by the state of, the means of achieving a great variety of particular ends

in “Liberalism” de F.A.Hayek

0 pensamentos sobre “A concepção liberal de liberdade

  1. Eu teria dito “Uma concepcao de liberdade”. O liberal seria, na minha frase, redundante. Na tua frase, reforca o tom de que a unica “liberdade” que merece o nome de “liberdade” e’ essa que transcreves… Confesso que me inclino mais para respeitar a pluralidade de concepcoes de liberdade que existem na filosofia politica, para la’ das minhas preferencias pessoais.

  2. …ou, naturalmente, “A minha concepcao de liberdade”. (I.e., a concepcao de liberdade que me e’ mais proxima/cara, nao sendo necessariamente a unica [que considero aceitavel de um ponto de vista liberal, passo a redundancia]).

  3. …menos as concepções dos liberais-clássicos/ austríacos/ ancaps/ libertarians/ objectivistas/ whatever, essas não têm direito a achar-se superiores às outras. Uma espécie de relativismo portanto. Uma pessoa pode defender determinadas ideias à vontade, mas não pode fazê-lo porque acha que são melhores que outras. E quem o faz não é liberal. Uma certa lógica boomeranguiana…

  4. Por vezes questiono-me se ainda é permitido termos algum tipo de convições.

    Ainda, não sei. Eu sei que as ideias que eu defendo permitem até que as pessoas se organizem em comunas – desde que não “organizem” os outros à força. É uma perspectiva muito diferente de quem quer estabelecer “equilíbrios”, decerto muito respeitadores das liberdades individuais, por via administrativa e emanando de uma super-centralidade.

  5. Pingback: O Insurgente » Blog Archive » A Concepção Liberal de Liberdade (2)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.