Aspiradores e causas fracturantes

Caro Rodrigo,

Ainda bem que chamaste a atenção para o luto de Fernanda Câncio pelo falecimento do seu aspirador. É justo reconhecer a dor de uma activista de causas fracturantes que tanto tem lutado pela consagração do pleno reconhecimento legal da livre escolha dos afectos contra as forças reaccionárias e obscurantistas que insistem em defender princípios obsoletos como o direito à vida.

Julgo no entanto que é injustificável o tratamento a que sujeitas o teu aspirador (ainda que saúde o facto de teres salientado implicitamente a igualdade de género na distribuição de tarefas domésticas ao sugerires que em tua casa tanto homens como mulheres lidam com o aspirador). Não se tratando de meras coisas humanas como os fetos, creio que os aspiradores devem merecer-nos um pouco mais de respeito. Importa lembrar que os aspiradores prestam importante serviços mesmo a mulheres emancipadas e pós-modernas como Fernanda Câncio. Por isso mesmo, os aspiradores – tal como, aliás, as empregadas domésticas que servem mulheres emancipadas e pós-modernas – não devem ser tratados a pontapé nem é aceitável que, numa sociedade que acabou de entrar no Século XXI, tardemos em confrontar o dilema moral provocado pela necessidade de nos desfazermos deles de forma condigna.

A conquista de direitos cívicos para os aspiradores (nomeadamente a possibilidade de um aspirador se poder casar com o dono nos casos em que ambos entendam ser esta a forma adequada para manifestar a sua livre escolha de afectos) pode não estar na linha da frente das causas fracturantes, mas deve cada vez mais ser encarada como uma prioridade. Para que tal aconteça, são precisos mais manifestos sinceros e corajosos como o de Fernanda Câncio, uma activista conhecida por publicar sob a forma de notícias relatos fiéis e emocionais de casos dramáticos que nos motivam a todos a agir.

Advertisements

0 thoughts on “Aspiradores e causas fracturantes

  1. Nuno

    Cruzes. Tanto ressabiamento. Ainda assim, foi preciso um post da Fernanda Câncio para te obrigar a escrever um post com mais de um parágrafo. Quer dizer…para escreveres um post. Os outros são citações.

  2. Caro André,
    Eu compreendo a f., pois eu próprio tenho uma relação afectiva com as coisas. Lá em casa faz-me companhia, quando escrevo no Blue Lounge ou no Insurgente, uma instalação, um polvo estilo comic, às cores e com olhos grandes, e que representa, para mim, o Estado Tentacular:) Já dei por mim a debater Hayek e Rand com o polvo…
    Sou a favor da igualdade de géneros e da especificidade dos afectos; aliás, em matéria de aspiradores, sou até polígamo, pois tenho três, um deles encaixotado nos arrumos.
    Bem, o meu vôo vai partir, sete horas e meia de seca pela frente…
    Um abraço,
    RAF

  3. me

    “Por isso mesmo, os aspiradores – tal como, aliás, as empregadas domésticas que servem mulheres emancipadas e pós-modernas – não devem ser tratados a pontapé (…)”
    Devo concluir, então, que as empregadas domésticas que servem homens tipo AAA o devam?

    RAF, desculpe a intrusividade, mas já que tem três aspiradores sugiro-lhe que ofereça um, ou dois, à Ajuda de Berço.

    AMP

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s