LIÇÕES DO CONCURSO

Orientações para os colaboradores deste blogue

É evidente que depois de três décadas o espírito do PREC sobrevive e agita-se. E que conta com o beneplácito de alguns meios da comunicação social. O absurdo concurso da RTP e os seus reflexos confirmam mais uma vez que o fanatismo e a cegueira em certos sectores não diminuíram e que em trinta anos estes aprenderam muito pouco. Os colaboradores neste site são aconselhados a assimilar as seguintes regras de autocensura.
1. Qualquer tentativa de uma análise objectiva do Estado Novo chama-se “branquear o fascismo”.
2. Uma tal análise terá sempre que ser prefaciada com uma ritualizada condenação de repressão, partido único, censura, presos políticos, etc. Pode-se consultar a lista completa em alguns dos comentários neste site. Não cumprir esta regra será interpretado como aprovação dessas práticas.
3. O analista terá que assegurar que nunca, em situação alguma, irá mencionar Salazar num sentido favorável mas sempre num sentido pejorativo.
4. O analista não deve falar da ameaça comunista sob pena de ser acusado de obsessivo.
5. Não ousar menção desfavorável da ex-URSS ou dos seus satélites.
6. Todos os aspectos negativos da sociedade portuguesa na vigência do Estado Novo terão que ser atribuídos ao regime.
7. É aconselhável também que o analista esteja consciente de que tudo que ele escreve sobre este tema irá ser deformado.
8. O analista do Estado Novo deve lembrar sempre que está a ser vigiado por qualificados peritos em branqueamento, especialistas nesta arte, a qual aplicam diariamente a regimes em todos os continentes. E que estes peritos, por conseguinte, sabem detectar qualquer sinal de branqueamento nos outros.

4 pensamentos sobre “LIÇÕES DO CONCURSO

  1. Jose Sarney

    Lembro-me sempre, quando leio artigos como este seu, de George Orwell.

    Nunca nos vergaremos, nem a Salazar, nem ao “Politicamente Correcto” de Abril!

    Nunca.

  2. lucklucky

    “Não ousar menção desfavorável da ex-URSS ou dos seus satélites”

    Então não podemos dizer que os 6(Classe Kirov e Maxim Gorky) e mais modernos dos 9 cruzadores da Marinha Socialista Soviética na Segunda Guerra Mundial foram contruídos com tecnologia e peças da Italia de Mussolini (os Fascistas até atrasaram o fornecimento de motores aos seus cruzadores!)? e o sétimo foi comprado á Alemanha Nazi a quando do pacto Ribbentrop-Molotov…

    E os Couraçados que não chegaram a ser concluídos que também eram de um projecto fascista mussoliniano?!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.