Socialismo de supermercado, segundo Chávez

Carne de vaca e de frango, leite e queijo fresco são alguns dos alimentos que, nos últimos dias, voltaram a desaparecer dos supermercados de Caracas, agora de prateleiras vazias, escreve a Lusa.

Da lista de produtos ausentes constam também o feijão preto, sardinhas enlatadas, açúcar refinado, óleo vegetal, margarina e maionese. Em causa está a tabela de preços máximos de venda ao público, estabelecida pelo Executivo em Fevereiro, os atrasos da Comissão de Administração de Divisas na concessão de dólares para importações e a Lei Especial de Defesa Popular contra o Açambarcamento, Especulação e Boicote, que estabelece penalizações que vão desde encerramento e multas à expropriação de estabelecimentos comerciais.

Desde a última quarta-feira que os proprietários de 180 talhos, do Estado de Bolívar (600 quilómetros a Sudeste de Caracas) se declararam em «hora zero»: não compram nem vendem carne de vaca, argumentando que sofrem prejuízos avultados na comercialização e preservação daquele produto.

Nos Estados de Carabobo, 250 quilómetros a Oeste de Caracas, e de Zúlia, 650 quilómetros a Oeste da capital, têm-se registado manifestações de açougueiros e talhantes pedindo um subsídio para a carne de vaca ou uma revisão dos preços fixados pelo Executivo.

Em Caracas, se os consumidores procurarem longamente por pequenos e grandes fornecedores, podem encontrar alguns dos produtos desaparecidos, cujas vendas estão limitadas a pequenas quantidades por pessoa.

A excepção era a rede de Supermercados Cada que foi encerrado durante 72 horas pelo Instituto Nacional de Defesa do Consumidor, por vender a carne em peças inteiras, com mais de seis quilogramas, argumentando que perdia dinheiro se contratasse talhantes para as cortar.

O presidente do Conselho Nacional de Comércio (Consecomércio), Noél Álvarez, advertiu, hoje, que há uma tendência generalizada para reduzir as existências, porque o período de armazenagem desceu de 30 para 18 dias, para evitar penalizações por açambarcamento dos produtos.

Notícia do PD, via 25 cm’s de neve.

Anúncios

0 pensamentos sobre “Socialismo de supermercado, segundo Chávez

  1. Maravilha, o mercado eh implacavel. Agora vai surgir a pior faceta, o mercado NEGRO. Vamos ver pessoas contrabandeando esses itens, vendendo a precos altissimos, a quem se disponibilizar a pagar… Sera que vai aumentar a violencia? Matarao por uma peca de carne? Interessante o “laboratorio” do tio Chavez.

  2. Pingback: O Insurgente » Blog Archive » Mais um passo socialista…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.