Leitura recomendada

“Luta de gerações” de Paulo Soares Pinho no Diário Económico.

Os líderes dos parceiros sociais têm em comum o facto de pertencerem, maioritariamente, à 3ª geração. Aos sindicais interessa preservar os benefícios da sua geração, passando os custos para a seguinte. Idêntica posição tem a actual geração de líderes empresariais, a quem cabe o pagamento de parte substancial dos custos do sistema. Assim, gera-se entre eles um entendimento tácito no sentido de ír adiando as decisões.

O facto de a taxa de sindicalização ser baixa entre os membros da 2ª geração, só reforça essa posição sindical, se é que não é consequência da mesma. Os sindicatos, hoje, comportam-se nesta matéria mais como defensores dos interesses de uma determinada geração do que em defensores de uma classe. Ou seja, para este efeito, revelam-se obsoletas as instituições esculpidas pela luta de classes, transformando-se os círculos de concertação social em locais de encontro dos líderes de uma mesma geração. O que significa que a reforma do sistema implica, também, o repensar das instituições de debate da mesma, como forma de todas as partes interessadas poderem, objectivamente, discutir o tema e tentar atingir um possível consenso.

Até que uma tal (difícil) reforma institucional tenha eventualmente lugar, o sistema vigente impõe a mais fácil das soluções: a geração no poder impede qualquer modificação no sistema, preservando os seus direitos e impondo às gerações mais jovens a obrigação de os pagar. Esta, contudo, pode ser uma vitória pírrica.

Quando as actuais 2ª e 1ª geração chegarem ao poder, os custos do elevado numero de pensionistas a seu cargo, predominantemente a actual 3ª geração, poderão ser incomportáveis. Porventura, à nova “geração no poder” não restará outra solução do que reduzir os benefícios dos pensionistas, os quais serão apanhados de forma totalmente desprevenida: convencidos da inalienabilidade dos seus direitos, nunca na sua fase activa sentiram a necessidade de criar o seu próprio sistema de previdência individual, pelo que estarão totalmente impreparados para a crise do sistema que poderão enfrentar no final das suas vidas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.