environmentalism is a new incarnation of modern leftism

President of Czech Republic Calls Man-Made Global Warming a ‘Myth’ – Questions Gore’s Sanity

Czech president Vaclav Klaus has criticized the UN panel on global warming, claiming that it was a political authority without any scientific basis.

In an interview with “Hospodárské noviny”, a Czech economics daily, Klaus answered a few questions:

Q: IPCC has released its report and you say that the global warming is a false myth. How did you get this idea, Mr President?

A: It’s not my idea. Global warming is a false myth and every serious person and scientist says so. It is not fair to refer to the U.N. panel. IPCC is not a scientific institution: it’s a political body, a sort of non-government organization of green flavor. It’s neither a forum of neutral scientists nor a balanced group of scientists. These people are politicized scientists who arrive there with a one-sided opinion and a one-sided assignment. Also, it’s an undignified slapstick that people don’t wait for the full report in May 2007 but instead respond, in such a serious way, to the summary for policymakers where all the “but’s” are scratched, removed, and replaced by oversimplified theses.

This is clearly such an incredible failure of so many people, from journalists to politicians. If the European Commission is instantly going to buy such a trick, we have another very good reason to think that the countries themselves, not the Commission, should be deciding about similar issues.

Q: How do you explain that there is no other comparably senior statesman in Europe who would advocate this viewpoint? No one else has such strong opinions…

A: My opinions about this issue simply are strong. Other top-level politicians do not express their global warming doubts because a whip of political correctness strangles their voice.

Q: But you’re not a climate scientist. Do you have a sufficient knowledge and enough information?

A: Environmentalism as a metaphysical ideology and as a worldview has absolutely nothing to do with natural sciences or with the climate. Sadly, it has nothing to do with social sciences either. Still, it is becoming fashionable and this fact scares me. The second part of the sentence should be: we also have lots of reports, studies, and books of climatologists whose conclusions are diametrally opposite.

Indeed, I never measure the thickness of ice in Antarctica. I really don’t know how to do it and don’t plan to learn it. However, as a scientifically oriented person, I know how to read science reports about these questions, for example about ice in Antarctica. I don’t have to be a climate scientist myself to read them. And inside the papers I have read, the conclusions we may see in the media simply don’t appear. But let me promise you something: this topic troubles me which is why I started to write an article about it last Christmas. The article expanded and became a book. In a couple of months, it will be published. One chapter out of seven will organize my opinions about the climate change.

Environmentalism and green ideology is something very different from climate science. Various findings and screams of scientists are abused by this ideology.

Q: How do you explain that conservative media are skeptical while the left-wing media view the global warming as a done deal?

A: It is not quite exactly divided to the left-wingers and right-wingers. Nevertheless it’s obvious that environmentalism is a new incarnation of modern leftism.

Q: If you look at all these things, even if you were right …

A: …I am right…

Q: Isn’t there enough empirical evidence and facts we can see with our eyes that imply that Man is demolishing the planet and himself?

A: It’s such a nonsense that I have probably not heard a bigger nonsense yet.

Q: Don’t you believe that we’re ruining our planet?

A: I will pretend that I haven’t heard you. Perhaps only Mr Al Gore may be saying something along these lines: a sane person can’t. I don’t see any ruining of the planet, I have never seen it, and I don’t think that a reasonable and serious person could say such a thing. Look: you represent the economic media so I expect a certain economical erudition from you. My book will answer these questions. For example, we know that there exists a huge correlation between the care we give to the environment on one side and the wealth and technological prowess on the other side. It’s clear that the poorer the society is, the more brutally it behaves with respect to Nature, and vice versa.

It’s also true that there exist social systems that are damaging Nature – by eliminating private ownership and similar things – much more than the freer societies. These tendencies become important in the long run. They unambiguously imply that today, on February 8th, 2007, Nature is protected uncomparably more than on February 8th ten years ago or fifty years ago or one hundred years ago.

That’s why I ask: how can you pronounce the sentence you said? Perhaps if you’re unconscious? Or did you mean it as a provocation only? And maybe I am just too naive and I allowed you to provoke me to give you all these answers, am I not? It is more likely that you actually believe what you say.

20 pensamentos sobre “environmentalism is a new incarnation of modern leftism

  1. Pingback: O Indivíduo » Blog Archive » Václav Klaus sobre o aquecimento global

  2. Samuel

    Até que enfim um político que ousa a se pronunciar a respeito
    dessa grande armação chamada aquecimento global. Sempre suspei-
    tei que o aquecimento global não passa de um jogada polítca de um bando de salafrários da ONU. É evidente que o Al Gore quer
    chegar ao poder por meio dessa grande mentira.

  3. Você está tomando posição em um debate científico exclusivamente baseado em um posicionamento político prévio. Não vejo como algo de bom pode sair disso. Mesmo se a ONU for uma instituição ruim (o que não acho), isso obviamente não interessa às reações químicas que produzem a temperatura da Terra. Quem quiser se opor à ONU que proponha outras alternativas para lidar com o aquecimento global.

  4. Pingback: O Insurgente » Blog Archive » Vaclav Klaus vs. Al Gore

  5. Eu tenho muito carinho por todos os políticos, comentadores políticos ou opinion makers de andar por casa que fazem afirmações bombasticas em contra da teoria do aquecimento global mas ao parecer nao publicam em revistas especializadas nem costumamm ser listados em congressos cientificos. Fazem tudo isso nas suas horas livres e querem colocar em causa o consenso cientifico sobre um tema em um espaço publico. A democracia desde logo o permite mas o bom senso nao tanto. Mas bom senso é algo que desconhecem AA, AAA e VK. Deixar que vivam na sua mais-pura-ingenuidade-disfarçada-de-ironia, e evitarmos por nossa parte os efeitos secundarios nos nossos aparelhos digestivos que o cosumo de tais productos discursivos pode acarretar.

  6. Marco

    Nossa que porcaria de entrevista, esse velho está gagá? O aquecimento global não existe??? Vcs moram em outro planeta?

    Não eram os raios cósmicos que estavam aquecendo o planeta? Agora nem o aquecimento existe mais? Vcs são piadistas…

  7. Marco,

    Leia com mais atenção:

    Man-Made Global Warming a ‘Myth’ / Global warming is a false myth

    O que VK põe em causa é o mito que a actividade humana seja a geradora do Aquecimento Global – e não, por exemplo, factores que não compreendemos, como sejam os raios cósmicos, ou outros ciclos naturais da Terra.

  8. Hilariante que AA “se cosidere” a si, ao seu amigo AAA e ao seu ídolo checo comum, o primeiro ministro Vaclav Klaus, como herdeiros de Galileu na sua luta contra a “escolástica” comunidade científica. O mundo ao contrário este, onde tantos comentadores políticos e políticos de uma certa direita alienada, em geral fundamentalista cristã pelo menos no mundo ocidental, e em geral com formação científica nula em matéria de geofísica, quando não em qualquer matéria científica que seja, se consideram a si mesmos como herdeiros de Galileu, e aos cientistas, estes “aristotélicos”, como a nova Inquisição. O mundo a fazer o pino no entanto é também revelador. É que as coisas mudaram, a demagogia vai a votos e nem sempre ganha, o que obriga em tais casos a que a irracionalidade, que antes se sentia naturalmente muito mais confortável na posição de verdugo, tenha agora que apelar ao estatuto de vítima.

  9. Pingback: O Insurgente » Blog Archive » Galileu e a Escolástica

  10. RJMF, gostamos muito de colocar os nosso leitores num estado hilariante, e agradecemos quando nos retribuem a atenção. Achar que possamos ser anti-escolásticos, ou anti-aristotélicos é delicioso…

  11. AA leia as aspas. Elas estão lá por alguma razão…
    Coisa curiosa essa de te deliciares com a ironia que não és capaz de reconhecer?

  12. Significa que escolásticos e aristotélicos sois vós apesar da arrogância do teu “e pur si muove!”… Aliás é engraçado ver depois o AAA a dizer-se realmente escolástico em post posterior, supostamente “rebatendo” os comentários aqui colocados. Me contrarestou somando…

  13. Caro RJMF,

    Muito liberalismo deve aos escolásticos tardios de Salamanca, como à metafísica de Aristóteles.

    É por isso que é estranhíssimo ver quem apareça por cá, sem a mínima noção do que está a dizer, a alegar que somos herdeiros de Galileu em lutas ficcionadas contra “escolásticos” e “aristotélicos”; e mais surreal é ver a mesma pessoa a tentar emendar a mão, contradizendo-se, dizendo que afinal esses seres míticos… somos nós. Lutamos contra nós próprios. Interessante.

    Mas nada disso importa. O que importa é que não havia mesmo nada a dizer. Estamos habituados a atordoadas gratuitas, mas esta série de facto primou pela sua desinspiração absoluta…

  14. Não perderei mais tempo por aqui. Mas estais todos realmente absolutamente enlouquecidos, para além de insensíveis a toda espécie de ironia (o que dentro do que cabe já era de se esperar), se acreditais que alguma vez os pensei herdeiros de qualquer coisa próxima de Galileu. Pelamordedeus!

  15. A rapidez da blogosfera, e em particular dos seus comentários, é absolutamente insensível a qualquer espécie de ironia, como prova a “discussão” que mantive aqui. A ironia na blogosfera te transforma em obscuro, ou no caso suicida de que te expliques, nem que seja com bonecos, em contraditório. Acontece que a blogsfera não só é insensível à ironia como já desconhece o seu significado. Ocorre ironia quando, pelo contexto, pela entonação, pela contradição de termos, sugere-se o contrário do que as palavras ou orações parecem exprimir.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.