Mitos com pés de barro

Temos dois pontos de venda, um em Lisboa, outro no Porto. No dia 26 mantivemos ambos abertos e foi o segundo dia com maior facturação no ano. Em Lisboa nas ruas em volta todo o comércio se encontrava aberto, no Porto estava tudo fechado.
Quando intelectuais avulsos se perguntam a que se deve o declínio do Porto e das suas gentes deviam olhar para a massa que os cerca. O que é feito da ética de trabalho que caracterizava os portuenses? Morta, enterrada, paz à sua alma. Já nem o exemplo do Estado nos acode.

0 pensamentos sobre “Mitos com pés de barro

  1. nuno nasoni

    Sou portuense e choca-me o declínio desta região.

    Devo dizer que concordo com o espírito do post. Os primeiros responsáveis pelo declínio do Porto são os portuenses, que têm vindo a perder o espírito inconformista que sempre caracterizou a cidade. O Porto sempre se fez à custa do esforço próprio – nunca esperou pelo Estado ou por Lisboa para se desenvolver. Neste momento, esse espírito está pelo menos adormecido. Pessoas como o Belmiro de Azevedo são exemplos cada vez mais isolados.

    Acrescento ainda que normalmente utilizo o comboio para vir trabalhar. Hoje, trouxe o carro. As ruas estão desertas! Parece que toda a gente está de férias. Onde normalmente se encontra filas intermináveis, hoje só se para nos semáforos! Estranha crise…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.