Estranho

Mais uma sondagem (desta feita da Marktest) a dar a vitória ao sim no referendo sobre a despenalização do aborto. Até aqui nada de novo. O que estranhei (embora sem acesso directo aos resultados da sondagem) foi a divisão entre apoiantes dos dois lados.

Não é suposto que quem vota sim o faça porque se pretende acabar com um flagelo social que afecta principalmente as mulheres economicamente menos favorecidas, pondo em risco a sua saúde ao recorrerem a abortos realizados em condições médicas precárias? E que para além disso as mulheres são donas dos seus próprios corpos? Então alguém me pode explicar o seguinte, se faz favor?

São sobretudo os homens, os mais jovens e os de classe média-alta os mais favoráveis à interrupção voluntária da gravidez a pedido da mulher, nas dez primeiras semanas de gestação em estabelecimento de saúde devidamente autorizado.

Em contrapartida, as mulheres, os mais idosos e os de classe baixa são os mais reticentes nesta matéria.

Anúncios

7 thoughts on “Estranho

  1. nuno nasoni

    Parece que os homens jovens, urbanos e de classe média-alta têm sido os alvos mais eficazes das campanhas a mostrar o umbigo das jovens urbanas e de classe média-alta.

  2. A. Pinto

    Você é um idiota. Ou isso, ou não pensa enquanto escreve. Para pessoas que distorcem relatórios, que não sabem aceitar a realidade, que recorrem constantemente à falácia para atingir fins que se sabem socialmente nocivos, só resta o insulto, que é gratuíto.

    Sim, metam-se na prisão as mulheres que passam pelo drama do aborto e, já agora, instauremos os autos de fé nas praças aos Domingos…. é engraçado como o debate do referendo da “despenalização” é distorcido para o debate da “validade do aborto”, como se as pessoas fossem votar a favor ou contra o aborto. Uma pessoa pode ser contra o aborto e ser a favor da despenalização.

    Em relação ao seu post, este consiste num distorção tremenda: pelo facto de numa sondagem a opinião ter ido num determinado sentido, tal significa que a realidade social é de acordo com o que essa sondagem reflecte? A sondagem demonstra uma tendência de opinião, nada mais. A sondagem não é sobre que camadas sociais fazem abortos, mas sim quais são a favor do aborto. Não distorça as coisas, como disse, não seja idiota. Toda a gente sabe quem vai a Espanha abortar e toda a gente sabe quem não tem possibilidade para fazê-lo e o faz correndo risco de vida. Não venha com dados que não são relativos a isso, tentando deturpar uma realidade que é do conhecimento geral.

    Para finalizar, gostei ontem de ver essa Tété (nome em si abortivo) enterrar-se completamente, tendo sido os seus argumentos ignorantes e falaciosos completamente cilindrados em directo na TV. Também foi hilariante usarem o argumento do direito à vida dos deficiencte, quando o que se discutia era a “despenalização”, referindo que agora vai ser uma rebaldaria de abortos e os deficientes já não vão ter direito à vida. Nojento.

    (E o argumento manipulado de que o número de abortos subiu nos países que o liberalizaram? Pois subiu, porque o aborto antes era ilegal e não se tinham dados sobre o número de abortos ilegais praticados.)

  3. A. Pinto

    Perguntar a uma pessa se é a favor do aborto, não é determinar o que faria nessa situação. Ou acha que é uma decisão assim tão simples de tomar?

  4. A. Pinto

    Leia-se uma pérola dessa Alexandra Tété n’O Público, “fetologia”…. Como? Semelhante ramo científico existe? Claro que não, mas como a senhora é um manacial de sabedoria, resolveu fundá-la perante os nossos olhos.

    A Titi fez-me um Tété (tétélogia)

  5. Luis Moreira

    Eu nunca gostei da Edite Estrela ( a pior presidente da Câmara de todos os tempos! Estive numa reunião com ela por causa do ex-futuro-hospital de Sintra e a mulher é um monumento á vaidade! ), mas não posso deixar de reconhecer que ela no Pós e Contras cilindrou a Zita ( também com os ziguezagues desta era fácil )e derrotou clamorosamente as ” Tias “, muito “pró vida ” ” muito queridas”!

    O que está em jogo é saber se deve ou não haver despenalização! A Lei não obriga ninguem a abortar!

    Ainda gostava de saber como é que estas senhoras só têm os filhos que têm! Não farão truca-truca?

    Antes de responderem não esqueçam que estas ” Tias ” são as mesmas que não aceitavam o preservativo!

    Truca-truca só para conceber!

    Pois!

  6. mas por que perdem tempo a escrever sobre tété (s) que para acertarem numa – em regra evidência – dizem e escrevem mil disparates, sendo que destes 500 contradizem os outros???

  7. ainda e sempre a tété:
    embora já de segida me penitencie por ter estar a dar para a causa dela – que não é mais do que “que falem dela…” – era muito bom que este tipo de “pequeninas” se fossem enterrar num “remotor” de teias de aranha e não na tv ou nos pasquims. E quanto aos “pequeninos” – porque também os há… – que fossem servir de “remotores”. Claro que nada disto lhes tirava a categoria de “pequeninos”, mas que a atmosfera nacional e, quiça, mundial ficaria mais despoluída… ai isso ficava! Pelo menos durante “9 meses”…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s