Um modelo sem futuro…

Cortes nos depósitos em Chipre podem chegar aos 60%
Líder da igreja ortodoxa do Chipre quer demissão de ministro das finanças

“Rajoy pede margem a Bruxelas para aumentar o défice para 6%”
Banco de Espanha prevê que o desemprego supere os 27% em 2013

França falhou objectivo do défice em 2012
Imposto de 75% será pago pelas empresas, diz Hollande

Draghi convenceu Presidente italiano a não se demitir para evitar crise nos mercados
Alemanha insiste que resgate de Chipre não é modelo para futuro

About these ads

Peter Schiff Update – the Lance Amstrong Economy & Cyprus honesty

N’O Insurgente há pessoas mais académicas – como o AAAlves ou o Filipe por exemplo – e se vocês os conhecerem creio que se tornará óbvio o que eu quero dizer. Falar com eles é mais como falar com uma versão moderna de Hayek – excepto quando o André usa camisola em V, pois aí é igual!

Bem, eu sou mais do género do Schiff ou do Rogers. Financeiro, gosto de ter uma linguagem acessível, sacrifico estudar a ontologia e a epistemologia (que hei-de estudar melhor – um dia) para estudar movimentos de tipos de activos (para saber para onde vamos) ou como argumentar com pessoas inteligentes mas sem conhecimento profundo de economia teórica (como os meus clientes) e por vezes flirto com a política. Por isso fica aqui mais um update dele.

Lance Amstrong Economy (link)

Já agora, sobre o Chipre (link):

O Acordo do Chipre

Resumindo a notícia da Bloomberg relativa ao acordo sobre o Chipre:

  • Será aplicada uma taxa de 40% sobre depósitos acima de 100.000 euros no Banco do Chipre – o maior banco do Chipre, que se irá apoderar de activos viáveis do Banco Popular do Chipre (o segundo maior banco da ilha).
  • O Banco Popular do Chipre, detido em 84% pelo estado, será desmantelado, o que acarreterá grandes perdas para os depositantes com mais de 100.000 euros (os depósitos até 100.000 euros ficam cobertos pelo fundo de garantia de depósitos), para os detentores de obrigações do banco assim como para os seus credores.

O Chipre como vacina para a zona euro ? (2)

Chipre, uma cobaia de Merkel para impor bail-ins aos PIIGS? Por Hélio Beltrão.

Leitura complementar: O Chipre como vacina para a zona euro ?

Chipre, Rússia e União Europeia (2)

With Russia “Demanding Cyprus Out Of The Eurozone” Here Is A List Of Possible Russian Punitive Reprisals

As has been made abundantly clear on these pages since the breakout of the latest Cyprus crisis, the Russian policy vis-a-vis its now former Mediterranean offshore deposit haven-cum-soon to be naval base, has been a simple one: let the country implode on the heels of the Eurozone’s latest humiliating policy faux pas, so that Putin can swoop in, pick up assets (including those of a gaseous nature, much to Turkey’s chagrin) for free, while being welcome like the victorious Russian red army saving Cyprus from its slavedriving European overlords (a strategy whose culmination Merkel has very generously assisted with).

Chipre, Rússia e União Europeia

Russian Ties Put Cyprus Banking Crisis on East-West Fault Line

With just 860,000 people and a gross domestic product of only $23 billion, the Republic of Cyprus makes an unlikely strategic prize. But it sits atop a web of overlapping and potentially volatile fault lines — between East and West, the European Union and Russia, and Greece and Turkey, whose troops occupy the northern part of the island. It also has natural gas in the waters off its coast toward Israel. Nobody knows for sure yet how much — that may become clearer later this year when Houston-based Noble Energy carries out a new round of exploratory drilling.

Continuar a ler

Endgame no Chipre…

Eurogrupo admite “todos os cenários” na solução para o Chipre
Rússia recusa emprestar mais dinheiro a Nicósia
Parlamento cipriota aprova controlo de capitais na banca
Taxa sobre depósitos acima dos 100 mil euros em Chipre pode ir até aos 25%
Igreja Ortodoxa pede para Chipre começar a pensar numa saída do euro

O Chipre como vacina para a zona euro ?

A conjunção destas notícias com estas sugere que há quem esteja a pensar utilizar o caso do Chipre como uma espécie de vacina para os restantes países da zona euro.

Não nego que uma vacina possa ser útil mas ao ser induzida desta forma torna-se uma jogada de muito alto risco. Como escrevi em Maio de 2012 numa breve análise sobre a situação grega para o Institute of Economic Affairs, o melhor (ou menos mau) que podia ter acontecido para a zona euro nas eleições gregas teria sido uma vitória do Syriza seguida de uma saída tão ordeira quanto possível da Grécia da moeda única.

Entretanto, o impasse manteve-se e a situação política, económica e social na zona euro agravou-se. Seja qual for o caminho agora, será mais complicado e perigoso.

Os depósitos bancários estão seguros ?

Seja pela via mais comum do imposto inflacionário ou pela menos comum (mas mais transparente) via do confisco directo de depósitos bancários, a essência da moeda fiduciária numa economia dominada pelo estatismo é isto: predação de recursos, redistribuição para os grupos politicamente mais poderosos e destruição de capital.

Leitura complementar: Chipre recebe bail-out (actualizado).