Costa, Seguro e as sondagens

Sondagens: Costa e Seguro, duas faces da mesma moeda?

Janeiro de 2014: António José Seguro era líder do PS e os socialistas dominavam as sondagens com vantagens entre 8 e 13 pontos sobre o PSD. Janeiro de 2015: António Costa é líder do PS e domina as sondagens com vantagem para o PSD entre 6 e 11 pontos. A diferença é que Seguro à data era líder do partido há 26 meses, enquanto Costa o é há dois meses, mas, mesmo assim, os socialistas começam a olhar para a curva dos números com preocupação.

Leitura complementar: O Hollande de Lisboa?; Nuvens no horizonte de António Costa…; Dias difíceis no PS…

Nuvens no horizonte de António Costa… (2)

maioria silenciosa? Por Rui A.

O que me parece é que os portugueses não são parvos, ou não há tantos parvos como alguns julgam, e que existe uma significativa percentagem de eleitores que sabe muito bem o que aconteceu neste país, para os quais não são suficientes dois dedos de conversa para ficarem convencidos de que, afinal, nada de muito grave se passou antes do governo de Passos Coelho. Se esse número de eleitores silenciosos é uma maioria ou uma minoria, logo se verá. Mas desconfio que esta relutância do PS em falar claro aos portugueses sobre o que lhes aconteceu e sobre como lhes poderá assegurar que não voltará a acontecer, lhe irá sair caro.

Leitura complementar: Nuvens no horizonte de António Costa…

Nuvens no horizonte de António Costa…

Felizmente para António Costa, e ao contrário do que aconteceu com António José Seguro, a actual liderança do PS continua a contar com uma comunicação social dócil e amigável, mas nem mesmo essa realidade poderá valer-lhe se a sua liderança continuar a frustrar as expectativas criadas, como tem acontecido até agora: Sondagem PSD e CDS encurtam distância para PS de Costa

Em conjunto, os partidos da maioria crescem 2,3 pontos percentuais, enquanto os socialistas têm uma variação positiva de quatro décimas.

Quanto aos restantes partidos, os comunistas chegam aos 9,3%, o Bloco de Esquerda, atinge os 3,5%, enquanto as novas iniciativas políticas, o PDR, de Marinho e Pinto, e o Livre, de Rui Tavares, conseguem respetivamente 2,5% e 2%.

No âmbito da popularidade das figuras políticas, apesar de se manter em terreno negativo, destaque para a classificação atribuída a Pedro Passos Coelho, que regista, entre todos os líderes, a maior subida. O líder do Governo e do PSD regista uma subida de 3,6 pontos.

Estratégia de António Costa questionada por deputados

A estratégia do novo secretário-geral, António Costa, à frente do PS já está a ser questionada dentro do próprio partido. Na última reunião da bancada parlamentar socialista, alguns deputados criticaram o silêncio do PS em algumas matérias e pediram mais intervenção na praça pública. Além disso, há quem peça uma maior atividade parlamentar com a apresentação de mais iniciativas na Assembleia da República.

Sondagem eventos improváveis 2015

Podem votar em mais do que um evento.

António Costa visita Sócrates na prisão. Aceitam-se apostas!

antonio_costa_jose_socrates

O próximo primeiro-ministro

CostaSondagem da Eurosondagem para o Expresso e a SIC relativa ao mês de Dezembro:

  • PS:         37,5%
  • PSD:      25,2%
  • CDU:      10,1%
  • CDS/PP:  7,3%
  • BE:           3,3%
  • PDR:        2,2%
  • Livre:        1,7%

 

Esperemos pelo programa eleitoral. Claro que o programa de Governo será, depois das eleições, à semelhança do programa do PSD/CDS, muito diferente.

Espanha: PSOE 27%; Podemos 25%; PP 20%

Apesar de o Podemos ter deixado de liderar as intenções de voto, continuam a ser dados francamente preocupantes: Podemos pierde impulso tras la exposición de sus líderes y planes

Según el sondeo de Metroscopia para EL PAÍS, Podemos tendría una estimación de voto del 25%, superado por el 27% del PSOE y por encima del 20% que logra el PP. Hace un mes era el partido de Pablo Iglesias el que superaba a los dos que han gobernado en España en 26 años de democracia constitucional.

Continuar a ler

PS: 37%; PSD: 31%; CDU: 8%; BE: 6%; CDS: 5%

PS e Costa saem com “ferimentos ligeiros” do primeiro “choque” com prisão de Sócrates

O primeiro estudo de opinião publicado depois da detenção do primeiro-ministro projecta agora alguma luz sobre o seu impacto eleitoral: segundo o barómetro mensal da Aximage, cujo trabalho de campo foi efectuado entre 1 e 4 de Dezembro, a intenção de voto no PS cai ligeiramente de 38,5% para 37,4%. Porém, esta descida de 1,1 pontos percentuais é inferior à registada no mês anterior, de 1,7 pontos. Por outro lado, o PSD e o CDS não parecem beneficiar do caso pois as intenções de voto mantêm-se praticamente inalteradas.

Quanto ao efeito deste caso judicial na imagem de António Costa, os dados da Aximage são menos claros. Se, por um lado, a confiança do eleitorado em António Costa enquanto eventual primeiro-ministro cai de forma expressiva, por outro lado, a avaliação que lhe é feita enquanto líder partidário não só não cai, como até sobe ligeiramente (0,2 pontos).

Continuar a ler

UKIP e SNP

Are all bets off after fresh UKIP by-election victory?
Mapping UKIP’s polling strength

Labour faces massive losses to SNP at UK general election, poll shows

A propósito de hollandices…

PS perde fôlego em Novembro, PSD recupera

Os partidos reflectem esta tendência. Dos 40,2% de intenções de voto que reunia em Outubro, o PS passou para 38,5%. No PSD, o comportamento foi inverso: o partido de Passos Coelho subiu de 27,4% para 31,1%.

Leitura complementar: O Hollande de Lisboa?

Sondagem dá liderança ao Podemos em Espanha

Podemos à frente do PSOE pela primeira vez

“O Podemos provocou um sismo sem precedentes na política espanhola”. É assim que o El País noticia este domingo uma sondagem que coloca este partido, pela primeira vez, à frente de todos os outros nas intenções de voto dos espanhóis.

O Podemos alcança 27,7% dos votos, ultrapassando por pouco o PSOE com 26,2%. O PP, partido no Governo em Espanha, cai para 20,7%. Os votos em branco atingem um elevado valor de 18,2%.

Leitura complementar: A Europa face à ameaça centralista e construtivista.

PS 45%; PSD 28%; CDU 10%; BE 4%; CDS 4%

Sondagem da Católica coloca PS à beira da maioria absoluta

Assim, se as eleições fossem hoje – e respondendo já depois de António Costa assumir a liderança do PS – 45% dos inquiridos votariam no PS, percentagem que em anteriores cenários eleitorais já valeu ao PS uma maioria absoluta. No PSD votariam 28% da amostra e 4% no CDS-PP, o que representa para a atual coligação uma queda superior aos 10 pontos percentuais, face à última sondagem.

Continuar a ler

Como deverão ser conhecidos os membros do clã Costa/Sócrates?

O melhor selecionador português de sempre (republicação)

Inquérito: Quem foi o melhor seleccionador português dos últimos 30 anos?

Sondagens para as eleições europeias em Portugal

sondagens_europeias

Agregação de sondagens e análise de Pedro Magalhães: Sondagens europeias.

As cinco sondagens publicadas a partir da segunda metade de Março colocam o PS em vantagem sobre a coligação, com uma vantagem que oscila entre os 4 e os 8 pontos percentuais, sendo que a tendência parece ser de aumento dessa vantagem. A CDU aparece com valores entre os 9% e os 12%, BE entre 5% e 7%, ambos sem tendência clara. Esta semana deveremos conhecer outras, e veremos se há modificações de última hora, tendências novas ou tendências que se consolidam.

Leitura complementar: Programas e listas para as eleições europeias.

Marinho Pinto com possibilidades de ser eleito nas eleições europeias

A fazer fé nesta sondagem, Marinho Pinto será, por larga margem, o candidato melhor posicionado a beneficiar da concentração do voto de protesto, enquanto o actualmente eurodeputado Rui Tavares – outra possibilidade para o mesmo efeito dada a ampla cobertura e simpatia mediática de que goza – fica muito longe da fasquia necessária para ser eleito. Dia 25 se verá, até porque para valores pequenos, o impacto da margem de erro é naturalmente superior: Marinho e Pinto pode ser eleito eurodeputado

Marinho Pinto, ex-bastonário da Ordem dos Advogados, pode ser eleito eurodeputado nas eleições para o Parlamento Europeu do próximo dia 25 pelo Partido da Terra (MPT).Segundo uma sondagem CM/Aximage, realizada entre os dias 7 e 14 de maio, o cabeça de lista do MPT obtém 4,3% das intenções de voto, o suficiente para obter o passaporte para a Europa.

(…)

As intenções de voto no novo partido Livre (pela primeira vez considerado na sondagem), que tem como cabeça de lista Rui Tavares, fica-se pelos 0,8%.

“pink elephants will fly over Mare Nostrum”

France is the new cauldron of Eurosceptic revolution. Por Ambrose Evans-Pritchard.

Britain is marginal to the great debate on Europe. France is the linchpin, fast becoming a cauldron of Eurosceptic/Poujadist views on the Right, anti-EMU reflationary Keynesian views on the Left, mixed with soul-searching over the wisdom of monetary union across the French establishment.

Continuar a ler

Análise dos resultados das autárquicas: Porto, Gaia e sondagens

Devido à presença como comentador no Porto Canal, acabei por não escrever nada por aqui sobre as autárquicas.

Verifico com agrado que a minha ausência não prejudicou a qualidade da cobertura eleitoral insurgente mas, mesmo sem tempo para uma análise mais aprofundada, há algumas breves notas que não quero deixar de registar: Continuar a ler

Maus sinais para o PSD em Gaia e Gondomar

Como é óbvio, nem todas as sondagens merecem a mesma credibilidade e em Portugal há frequentemente alguns casos difíceis nesta área, mas reacções generalizadas contra sondagens são quase sempre um mau sinal para as respectivas campanhas.

Percebe-se a preocupação com a possibilidade de derrota nas duas autarquias referidas – em especial no caso de Gaia – mas o PSD faria melhor em olhar para dentro e para a responsabilidade das decisões internas – nomeadamente no processo de escolha de candidatos – relativamente às dificuldades que agora enfrenta: PSD luta contra sondagens e tenta evitar derrota em Gaia e Gondomar

Ao final da tarde de ontem, na sede de candidatura do candidato a Gaia, Carlos Abreu Amorim, o ambiente era belicoso, mas taciturno. Uma sondagem que deverá ser publicada esta quarta-feira, explica o retrato. “Na semana passada, foram-me ditos os dados de mais uma sondagem que sairá no JN. Não acredito”, disse o presidente da distrital do PSD Porto, Virgílio Macedo. Para debelar a sondagem, desfavorável a Abreu Amorim – candidato para quem as sondagens são “instrumentos políticos para influenciar a opinião” – Macedo recorreu a outra sondagem encomendada esta terça-feira pelo próprio PSD “a uma empresa de Lisboa”. (…) Mais curto nas palavras, Abreu Amorim disse que as sondagens são “trambicadas e marteladas”.

Continuar a ler

Sondagem Gaia: Guilherme Aguiar 28,4%; Eduardo Rodrigues 27,1%; Carlos Abreu Amorim 24,5%

Se pelo Porto, não obstante o apoio do CDS a Rui Moreira e as divisões internas, as coisas parecem relativamente bem encaminhadas para o PSD, em Gaia o panorama neste momento é pouco menos do que catastrófico.

Além do muito real risco de perder um dos principais municípios do país onde contava com uma confortável maioria absoluta autárquica, o PSD (que se apresenta em Gaia, recorde-se, coligado com o CDS) arrisca um cenário verdadeiramente dantesco. Considerando a escassa margem de vantagem de Guilherme Aguiar para Eduardo Rodrigues é perfeitamente possível que o PSD não só fique em terceiro lugar como perca a Câmara de Gaia para o PS, com todo o forte impacto negativo que isso implicaria não só a nível local mas também a nível nacional.

Menezes na frente no Porto

Não obstante a oposição aberta de Rui Rio ao candidato do seu próprio partido, Luís Filipe Menezes continua a liderar com uma vantagem considerável as intenções de voto no Porto.

Nada está decidido, mas suspeito que a hiper-agressividade das críticas dirigidas contra Menezes do interior do PSD, juntamente com o cortejo de algumas figuras que se têm agregado em torno de Rui Moreira e uma excessiva colagem ao CDS, dificultam mais do que ajudam a afirmação da candidatura do próprio Rui Moreira que, à partida, pelo seu perfil pessoal e notoriedade, teria boas condições de elegibilidade.

É de notar também a continuação do fraco desempenho de Manuel Pizarro nas sondagens, sendo que é bem possível que o comportamento do eleitorado que tradicionalmente vota PS venha a ser decisivo na definição do vencedor das autárquicas no Porto.

PS 37%; PSD 28%; PCP 11%; BE 7%; CDS 6%

Pode não ser irrevogável, mas a aparente penalização da deplorável conduta de Paulo Portas e do seu CDS é um sinal positivo: Portas em queda livre: O CDS-PP está em queda livre no barómetro mensal

Entre os meses de Junho e Julho, o partido de Paulo Portas passou de 9,4 por cento para 5,8 por cento, ou seja, menos 3,6 pontos percentuais, em plena crise política. O PSD sobe dos 23,2 % para os 28%, encurtando a distância face ao PS.

Leitura complementar: As “aventuras nocturnas” de Paulo Portas em Lisboa; Portas só sai à força; Cavaco Silva e a instabilidade; Portas vai finalmente mostrar o guião ?; Uma “irrevogável” falta de vergonha na cara.

PS 34%; PSD 24%; PCP 13%; CDS 9%; BE 9%

A extrema-esquerda acima dos 20% e PSD e CDS com menos de um terço das intenções de voto

É de realçar ainda que o trabalho de campo da sondagem decorreu entre 28 de Junho e 2 de Julho: i/Pitagórica. Esquerda com 56% no parlamento. PSD bate mínimos

PS, PCP e BE reúnem a maioria mais alargada desde o início do barómetro. Intenção de voto no PSD é agora de 23,7%

Continuar a ler