A descristianização e o suicídio da Europa

Viva a Vénus capitolina! Por P. Gonçalo Portocarrero de Almada.

Esconder a Vénus capitolina e outras estátuas clássicas, que são honra e glória da civilização europeia, foi uma atitude vergonhosa. Que respeito merece um país que não assume a sua cultura e valores?

Continuar a ler

Como se escreve uma boa crónica

30-10-05-Frauenkirche-Dresden

Não é frequente ler-se uma boa crónica. Menos ainda uma excelente. Tive essa sorte no número de Dezembro da revista ‘The Oldie’, num artigo de William Cook sobre a sua viagem a Dresden, na Alemanha. Ou melhor: sobre as suas muitas viagens àquela cidade descaracterizada pelos bombardeamentos aliados na Segunda Guerra Mundial e após 40 anos de ditadura comunista.

Cook intitula a sua crónica de ‘Dresden’s miracle rebirth’. Ele começa-nos por contar que o seu pai nasceu naquela cidade durante a guerra e sobreviveu aos bombardeamentos de 1945. A primeira vez que Cook conheceu Dresden foi em 1995 e viu uma cidade cheia de 50 anos feridas. No entanto, foi regressando ao longo dos anos e sempre que o fazia encontrava-a melhor. Mais animada, mais arrumada, mais organizada, desenvolvida. Um sítio onde o bem-estar e a melhoria do nível de vida se sentia (e se sente) ao virar de cada esquina. A partir daqui, Cook guia-nos pelas principais atracções da cidade. Algo que faz muito rapidamente até porque o artigo não é longo, duas páginas apenas, ainda por cima com uma enorme fotografia da Frauenkirche de Dresden numa, e um anúncio à The Oldie Travel Insurance, na outra.

É a partir de certa altura, já perto do fim, quando Cook nos conta que no decorrer da sua última viagem decide visitar a casa onde o pai nasceu que a crónica atinge o seu auge. Ele esclarece-nos que, como a casa fica nos arredores, não foi atingida pelas bombas e ainda existe. Depois de convencer os seus actuais donos a entrar, dirigiu-se e deixou-se estar por uns momentos no quarto onde o pai nasceu e a avô assistia aos bombardeamentos pela janela. Ela fê-lo até ao dia em que apanhou o último comboio para Hamburgo antes da chegada do Exército Vermelho. Nessa outra cidade alemã, a avó partiu para Inglaterra onde viveu, o pai de Cook cresceu, mais tarde conheceu a mãe deste e ele depois nasceu. E é quando o cronista nos conta isto, ao mesmo tempo que contempla o quarto da avô e pensa na sorte que teve em existir e ser feliz, que nos tira o tapete do pés e nos faz perceber que está a compreender porque razão se encontra ligado a Dresden e a tem visitado tantas vezes durante tantos anos. É que, ao mesmo tempo que escreve, e se assim não é assim o parece, Cook compreende que, tal como aquela cidade, também a sua família, a sua avô, o seu pai e ele próprio renasceram. Naquele quarto, sobreviveu-se; noutro país, na Inglaterra, a vida surgiu novamente e seguiu o seu rumo até chegar aquele momento em que Cook e Dresden se encontram e se revelam no destino comum que os une.

É nesta altura, bem no fim da crónica, na última linha, que percebemos que o que acabámos de ler, apesar de inserido na rubrica de viagens, depois de um artigo sobre uma estância de esqui e antes doutro sobre uma viagem ao Japão, que não estivemos a ler um texto sobre um destino turístico, mas uma viagem pessoal, interior, de um homem e de uma cidade. Sabemos que fomos enganados e ficamos agradecidos por isso. Porque são partidas deste género que fazem uma boa crónica, que causam uma surpresa que vale a compra de uma revista.

Bocas revolucionárias, uni-vos

maduroboca

No seguimento da revolução perpétua venezuelana, a camarada Ministra da Saúde educa o Povo a não se vergar aos pérfidos desejos dos profissionais que estão ao serviço do capitalismo selvagem e do consumismo em estado puro. A curto prazo, sorrir pode vir a não ser o melhor remédio para os venezuelanos mas os revolucionários devem permanecer unidos no combate à crise económica. A receita é tão simples: basta não usar escova e pasta de dentes mais do que uma única vez por dia. Já a revolução é feita 365 dias por ano.

La ministra de Salud, Luisana Melo, aseguró que la escasez de crema dental en el país se debe a que la gente se cepilla los dientes tres veces al día, cuando según ella “con una vez es más que suficiente”.

 

Adenda: O texto é humorístico. A Ministra da Saúde referiu-se ao excesso de consumo.de medicamentos,  para justificar a sua escassez no mercado. Torna-se cada vez mais difícil distinguir ficção da triste realidade na Venezuela.

“examples of breath-taking stupidity”

guia-imigrantes

“Na Alemanha não se dão palmadas no traseiro das mulheres”. O novo guia para imigrantes

A Alemanha tem sido um dos destinos de eleição para a maioria dos refugiados que têm chegado à Europa, naquela que é a maior vaga de imigração desde a Segunda Guerra Mundial. Por isso, foi lançada uma aplicação que serve de guia de comportamento aos migrantes que cheguem ao território germânico.

Por exemplo, explica-se que na Alemanha quando duas pessoas se cumprimentam dá-se os bons dias e olha-se nos olhos. Para além disso, não se dão palmadas no traseiro das mulheres e tanto homens como mulheres podem escolher livremente com quem formam casal ou que religião praticam.

Não acontece muitas vezes, mas neste caso vou recorrer a um artigo de Zizek com que concordo parcialmente: Slavoj Žižek: The Cologne attacks were an obscene version of carnival

This is why the naive attempts to enlighten immigrants (explaining to them that our sexual mores are different, that a woman who walks in public in a mini skirt and smiles does not thereby signal sexual invitation, etc.) are examples of breath-taking stupidity – they know this and that’s why they are doing it. They are well aware that what they are doing is foreign to our predominant culture, but they are doing it precisely to wound our sensitivities. The task is to change this stance of envy and revengeful aggressiveness, not to teach them what they already know very well.

Colónia e o mulherio perfumado e descascado

Sami Abu-Yusuf, o imã da mesquita Al Tawheed, situada nos arredores da cidade alemã de Colónia.

Sami Abu-Yusuf, o imã da mesquita Al Tawheed, situada nos arredores da cidade alemã de Colónia.

Estão avisadas, mulheres. Para não serem violadas. só têm de cumprir os preceitos do senhor Sami Abu-Yusuf.

Warning women against “adding fuel to the fire”, the Imam of a Salafist Cologne mosque has said the victims of the New Year’s Eve attacks in that city were themselves responsible for their sex assault, by dressing inappropriately and wearing perfume.

Speaking to major Russian channel REN TV, Imam Sami Abu-Yusuf’s remarks came during a 12 minute segment bringing Russians up to date with the latest developments in the migrant invasion of Europe. Sandwiched between eyewitness-footage of migrantrampages in Cologne, women being sexually assaulted by apparently Arab gangs, and a segment on a surge of interest in self defence courses in Germany the Imam told the interviewer: “we need to react properly, and not to add fuel to the fire”.

Explaining in the view of Salafist Islam why hundreds of women found themselves groped, sexually assaulted and in some cases raped by gangs of migrant men in cities across Germany the Imam said: “the events of New Year’s Eve were the girls own fault, because they were half naked and wearing perfume. It is not surprising the men wanted to attack them. [Dressing like that] is like adding fuel to the fire”.

Dilemas progressistas do “tempo novo” (2)

Transgender women ‘attacked in the street’ by north African teenagers in Germany

Three teenagers have been arrested after two women said the youths attacked them when they realised they were transgender

Dilemas progressistas do “tempo novo”

A escolha de Sofiactivista. Por José Diogo Quintela.

Sucede que os bandos de predadores sexuais coincidem com os grupos de pobres refugiados. O que faz com que as mulheres vítimas de ataque coincidam com os membros da sociedade ocidental que, de forma preconceituosa e apesar da galderice da indumentária que indicaria outra disposição, se recusaram a participar no divertido pagode multicultural.

E agora? Ou o activista pugna pelos refugiados e é machista, ou pugna pelas mulheres e é racista. Que discriminador discriminar? Julgo que a forma justa de desempatar é descobrir quem emite menos CO2. Caso persista o empate, é decidir pelo grupo que tem maior rácio de vegans.

Devemos ter compaixão. Não pelas mulheres, que não tinham nada de estar ali a provocar. Nem pelos emigrantes, que exageraram na intensidade dos rituais de acasalamento. Compaixão pelos activistas, forçados a uma escolha que os traumatizará para sempre. Os militantes politicamente correctos jamais olvidarão o dia em que foram obrigados a optar por um histerismo e a renegar outro. Essa data viverá para sempre na infâmia. Impossível esquecer a Mágoa de Colónia.

O chavismo é um sinal de mudança que dá força para seguir a mesma linha

Maduroinfo

A revolução encontra-se numa fase que exige cada vez mais formação nos valores de Chávez, no combate diário nas ruas, criando, construindo e fazendo a revolução. Depois aparecem os resultados.

Maduro decreta el «estado de emergencia económica» durante sesenta días en Venezuela

El nuevo ministro de Economía, Luis Salas, ha anunciado que el Ejecutivo podrá dictar «las medidas económicas que considere convenientes», saltándose el poder otorgado a la mayoría opositora de la Asamblea

El Gobierno de Nicolás Maduro ha declarado este viernes el «estado de emergencia económica» en Venezuela para enfrentar la «guerra económica» que supuestamente sufre el país caribeño orquestada desde sectores de la derecha nacional e internacional. La Asamblea Nacional tendrá ocho días a partir del lunes para analizar el decreto.

«El Ejecutivo nacional podrá dictar las medidas que considere convenientes. Podrá asignar recursos extraordinarios a proyectos presentes o no en el presupuesto», ha asegurado el ministro de Economía, Luis Salas, en rueda de prensa.

La Gaceta Oficial ha publicado el decreto 2.184 por el cual el Palacio de Miraflores declara el «estado de emergencia económica» en todo el territorio venezolano durante 60 días para contrarrestar «una verdadera guerra económica».

Maduro ha denunciado desde su llegada al poder, en 2013, la existencia de un plan internacional para asfixiar económicamente a Venezuela y provocar así la caída de su Gobierno.

Venezuela sufre desde hace años una crisis económica, agravada por la caída del precio del petróleo en el mercado internacional, que ha desabastecido de productos básicos los comercios y ha disparado la inflación.

Gregos descobrem como acabar de vez com a austeridade

TspirasMarisa

E revelam ao mundo um caminho nunca trilhado.

Eurogroup chief Jeroen Dijsselbloem on Thursday said Greece had “fully accepted” that the International Monetary Fund take a role in its third bailout programme despite Athens earlier saying the fund is no longer needed.

“(Finance Minister Euclid) Tsakalotos confirmed to me that the Greek government accepts that the IMF needs to be part of the process,” said Dijsselbloem, who is also Dutch finance minister, as he arrived for talks with his eurozone counterparts.

“It was absolutely clear to him, it was part of the agreement this summer,” he said, referring to Greece’s 86 billion euro ($92 billion) rescue programme.

António Costa declarou que a “Vitória do Syriza é um sinal de mudança que dá força para seguir a mesma linha”

Os bandidos do Podemos

Los diputados «estrella» de Podemos

Un asesor del régimen de Chávez, un ex miembro de ETA y un encausado por agredir a un policía son algunos de los perfiles de los cargos públicos del partido de Iglesias.

Leitura complementar: De Estaline, Hitler, Hugo Chávez,  Kim-jong-un a Pabo Iglésias: o uso dos petizes na propaganda política.

pablo

Mein Kampf na revista Sábado

Esta semana e na próxima a revista Sábado vai lançar dois volumes da edição anotada da obra de Adolf Hitler:

image

Especialista em conflitos internacionais, D. C. Watt foi o responsável pelo lançamento do livro de Hitler pela primeira vez na Grã -Bretanha depois da Segunda Guerra Mundial. “Porquê então ressuscitar Mein Kampf?”, perguntou no prefácio. “Temos de o compreender”, respondeu o historiador. Recordou que a obra é uma “introdução ao pensamento e à metodologia de Adolf Hitler”, que foi seguido por “uma nação civilizada” e foi “o produto da filosofia europeia e dos desenvolvimentos políticos europeus”. 

O estudo do livro, acrescentou, é também importante “para podermos perceber e reconhecer” os inimigos da democracia. Além disso, Mein Kampf, escreveu, “constitui o exemplo clássico de literatura política ‘negra’”: um equivalente da Bíblia para quem transforma a política em religião.

Excelente iniciativa. Uma versão anotada da obra de Karl Marx (Das Kapital) também seria útil.

Suicídio civilizacional

Do temor que nos assola. Por José Manuel Moreira.

Ora, um tal desprezo pela herança cultural – assumido pelos seus beneficiários directos – pede causas. Uma delas é a perda de fé no cristianismo: religião a que a maioria dos ocidentais diz aderir. Mal que afecta dirigentes políticos e até religiosos, unidos na equivalência moral entre culturas e nas dúvidas sobre se a sua fé é verdadeira. O que ajuda a perceber como um mundo tão próspero deu azo a sociedades tão à deriva: repletas de pessoas inseguras do seu valor e envergonhadas do seu património cultural. Talvez o historiador Arnold Toynbee tenha razão ao dizer que as mais sérias ameaças vêm de dentro: “As civilizações morrem por suicídio, não por assassinato”.

Sócrates em digressão

. Considerem-se convidados*.

socras

 

* Todos a Vila Real de Santo António. Não sejam indiferentes e levem fotocópias de elevada gramagem.

Subsídios…

Depois de ter defendido um modelo de negócio (?) para os jornais, em que estes não deveriam ser orientados pelo lucro, tentando perpetuar, como muito bem diz Jorge Costa aqui n’O Insurgente, “esta mania de ter direito a parasitar alguém para poder fazer qualquer coisa cuja justificação está acima do consentimento das pessoas comuns expresso no ato simples, honesto, inequívoco e livre de pagar para a poderem ter”, Alexandra Lucas Coelho insiste na mesma tecla, desta vez com um texto sobre os coitadinhos dos escritores que não têm subsídios para poder investigar e escrever as suas obras.

No entanto, quando me falam de subsídios do Estado para apoiar actividades de criação intelectual como, por exemplo, a literatura ou o cinema, a minha pergunta é a de sempre: por que haveriam de os receber?

Nunca ninguém me conseguiu dar uma boa explicação.

É certo que Alexandre Lucas Coelho também fala de um outro facto: de muitos organizadores de eventos literários esperarem que os escritores compareçam à borla nos eventos que organizam. Para este problema, penso que, como posição de princípio, este artigo Borlas nunca mais de Miguel Esteves Cardoso responde bem à questão.

 

O diabo e José Mourinho

The devil and José Mourinho

A week after the win over United last season, Chelsea drew 0-0 at Arsenal, to which the home fans chanted: “Boring, boring Chelsea”. Mourinho responded sarcastically. “People talk about style and flair but what is that? Sometimes I ask myself about the future, and maybe the future of football is a beautiful green grass carpet without goals, where the team with more ball possession wins the game. The way people analyse style and flair is to take the goals off the pitch.”

It’s a fine, memorable image – but then the devil always has the best lines. Part of Mourinho’s appeal is his cynical charm. Even Milton seemed to relish Satan’s role rather more than those of the denizens of heaven: he was, as William Blake observed, “of the devil’s party without knowing it”.

The irony of Mourinho’s position is that if, as it often seems, he has allowed his philosophy to be defined in opposition to Barcelona – he is that which they are not – then he is still allowing Barcelona to dictate terms. As the obsession with Guardiola suggests, Mourinho may have rejected Barcelona as they rejected him, but as the anti-Barcelona he is still defined by them. It may be that the negativity that induces places limitations on how long he can prosper.

Compreender o putinismo XXXIV

putinismo

A economia russa vai de vento em popa, em mais um episódio de tudo em família.

The son-in-law of Vladimir Putin stands to benefit from $1.75 billion in cheap finance from the Russian state, a Reuters examination of public documents shows. The money will help fund a petrochemical project at a company in which Kirill Shamalov, husband of Katerina Tikhonova, the Russian president’s younger daughter, has a significant interest.

Shamalov is a major shareholder in Sibur, Russia’s largest processor of petrochemicals. This month Sibur obtained $1.75 billion from Russia’s National Wealth Fund to help build a huge new plant in Tobolsk, Siberia.

According to corporate documents, Sibur was able to borrow the money at a current interest rate of 2 percent. That is a bargain, according to financial analysts. Artyom Usmanov, an analyst at investment firm BCS, said borrowers on the Russian bond market would expect to pay over 7 percent interest for such a loan. Irina Alizarovskaya, an analyst with Raiffeisenbank called the financing “quite cheap.”

Noutro capítulo do putinismo, blogar não é de todo aconselhável a quem preza a sua liberdade. Principalmente quando se critíca a intervenção russa na Ucrânia.

A Russian court on Wednesday sentenced a blogger to five years in jail for what it said was his extremist activity on the Internet after he urged people to attend a protest against high transport fares and criticized Russian intervention in Ukraine.

Vadim Tyumenstev, 35, from the Siberian region of Tomsk, was also banned from using the Internet for three years in a case which Russian human rights activists said violated his rights to a proper defense.

Tyumentsev irked local authorities in Tomsk with a series of blogs in which he accused them of corruption and incompetence. He had also sharply criticized pro-Kremlin separatists in eastern Ukraine, saying he did not see why ordinary Russians should go and fight with them.

 

Dois documentos

Os que gostam de rock’n roll não podem perder estes dois documentos. A vida de uma das últimas estrelas do rock (já não restam muitos, assim de repente só me ocorre o Keith Richards). Godspeed Lemmy.

lemmy_book

lemmy_dvd

Mensagem de Natal ao Banif

Espero que todos nós saibamos estar à altura das nossas responsabilidades, contribuindo para um país mais justo, humano e solidário.

António Costa.

Nova oportunidade para os críticos televisivos

Zuhair Kutb foi condenado a quatro anos de prisão (dois serão efectivos). Está impedido de escrever durante década e meia e de sair da Arábia Saudita por um período de cinco anos. Foi ainda multado em mais de 26 mil dólares. O crime do escritor saudita? Ter defendido na televisão a transformação da Arábia Saudita numa monarquia constitucional.

 

Compreender o putinismo XXXIII

TOPSHOTS Russian President Vladimir Putin takes part in a joint press conference with EU Council president and European Commission President on January 28, 2014 following an EU-Russia summit at the EU Headquarters in Brussels. "The EU needs +to clear the air+ with Russia at this summit as sharp differences over the Ukraine crisis and eastern Europe test relations", a senior EU official said. AFP PHOTO / GEORGES GOBETGEORGES GOBET/AFP/Getty Images

 AFP PHOTO / GEORGES GOBETGEORGES GOBET/AFP/Getty Images

O essencial da conferência de imprensa do Presidente da Santa Mãe Rússia, Vladimir Putin.

Sepp Blatter deserves Nobel peace prize