O terror islâmico continua em missão

A lista que espera por sentença idêntica à que hoje foi aplicada na redacção do jornal Charlie Hebdo.

O nome do diretor do “Charlie Hebdo”, Stéphane Charbonnier, conhecido como Charb constava numa lista de “procurados” pela Al-Qaeda.

Charb foi morto no atentado ao jornal nesta quarta-feira (7), em Paris.

A imagem foi divulgada na edição de março de 2013 da revista Inspire, que é usada como propaganda pelos jihadistas do grupo.

wanted

Junto ao nome de Charb, aparecem outros ocidentais que desagradam aos extremistas.

Os outros oito desafetos da Al Qaeda que aparecem na foto são: O pastor americano Terry Jones, que costuma queimar o Corão, o político da extrema-direita holandesa Geert Wilders, o advogado e ativista americano Morris Sadek, famoso por criticar o islã, o autor britânico Salman Rushdie, que se tornou famoso pelo livro “Versos Satânicos”, no qual ataca o islã por sua intolerância para com outras religiões, a ativista somali Ayaan Hirsi, critica às praticas de mutilação genital feminina, praticadas por alguns grupos extremistas, e os dinamarqueses Carsten Juste, Flemming Rose, Lars Vilks e Kurt Weestergart, todos envolvidos em desenhos satíricos ao islã.

Nova oportunidade para os críticos de cartoons IV

Charlie Hebdo

Pelo menos 12 mortos num ataque terrorista ao jornal satírico francês Charlie Hebdo. As ameaças foram agora concretizadas.

A imagem faz parte do último tweet do jornal antes do ataque. É talvez a oportunidade para os afamados críticos dos cartoons se exprimirem em liberdade.

Antonio Costa, a meretriz hitleriana

IM

“(…)Eu defender o Correio da Manhã porque a maior parte do povo o lê é uma coisa populista e hitleriana, é um argumento hitleriano. O CM é o carro do povo, portanto, todos temos de ler o CM. O CM todos os dias atinge a dignidade das pessoas e nós todas aqui conhecemos pessoas que foram atingidas pelo CM. Portanto, tu dizeres que nós, de esquerda, gostamos do CM, gostamos do povo, logo temos de gostar do Cm… O CM é má fonte, é vergonhoso e eu não admito que me digam que, por ser de esquerda, tenho de gostar de um jornal que é muito popularucho. Acho isso uma coisa nojenta. O CM é uma vergonha e eu acho uma vergonha participar nele e, para mim, é prostituição ser colunista do CM!

Isabel Moreira, no programa Barca do Inferno.

Espero que este recado da Isabel Moreira ao Secretário-Geral do Partido Socialista, putativo candidato à chefia do próximo governo, actual Presidente da Câmara de Lisboa e colunista do Correio da Manhã se encaixe nos canais próprios que servem para enviar os recados políticos. Não acredito em mais nenhuma hipótese e parece-me ainda mais longínqua qualquer aproximação da deputada a um processo de auto-crítica..

Adenda: As outras meretizes do mesmo partido de Isabel Moreira que escrevem no CM são a Maria de Belém e o Eduardo Cabrita.

Olha que dois

MADUROPUTIN

 

A atribuição da responsabilidade a terceiros pelas consequências dos erros provocados pelos próprios grandes líderes, o inevitável culto do querido líder detentor exclusivo do patriotismo saloio que tão bem coabita com a corrupção e os oligarcas, os sistemas de partido relativamente único associado ao esmagamento das oposições políticas e a excessiva dependência das receitas do petróleo e do gás natural constituem alguns dos elos que unem Vladimir Putin a Nicolas Maduro. A última teoria da conspiração narrativa promovida pelos dois presidentes parece basear-se numa guerra de petróleo cujo objectivo é destruir a Rússia e a revolução chavista que tão bons resultados tem dado. De acordo com os acusadores, a culpa pela baixa do preço do petróleo é invariavelmente dos EUA.

The ‘Oil War’

“Did you know there’s an oil war? And the war has an objective: to destroy Russia,” said Venezuelan President Nicolas Maduro in a live television speech last week. “It’s a strategically planned war … also aimed at Venezuela, to try and destroy our revolution and cause an economic collapse. It’s the United States that has started the war,” Maduro said, and its strategy was to flood the market with shale oil and collapse the price.

Russia’s President Vladimir Putin agrees. “We all see the lowering of oil prices,” he said recently. “There’s lots of talk about what’s causing it. Could it be an agreement between the U.S. and Saudi Arabia to punish Iran and affect the economies of Russia and Venezuela? It could.” The evil Americans are at it again. They’re fiendishly clever, you know.

We are hearing this kind of talk a lot these days, especially from countries that have been hit hard by the crash in the price of oil. Last Thursday, Brent crude hit $55 per barrel, precisely half the price it was selling for last June. The Obama administration’s announcement last week that it is preparing to allow the export of some U.S. oil to foreign markets may send it even lower (U.S. crude oil exports have been banned since 1973).

Che Economics aplicado na Venezuela II

NM

No Verão passado, o governo da Venezuela entendeu “fazer uma revolução dentro da revolução”, 15 anos após o chavismo ter iniciado o seu reinado. O conjunto de medidas  visava atacar os problemas: a inflacção anual que ultrapassa os 63 por cento, a falta de produtividade, a escassez de bens essenciais e de divisas. A forma encontrada não poderia ser mais mágica – apostar no aprofundamento do modelo socialista.

Na vertigem socialista, o executivo de Nicolás Maduro nomeia Orlando Borrego, antigo colaborador de Che Guevara, como mentor da reestruturação da administração venezuelana.
Mais recentemente, Nicolás Maduro apelou aos trabalhadores que tomem conta das empresas que estejam a boicotar a economia nacional como parte de uma suposta estratégia da oposição política ao seu governo. “Os trabalhadores com a lei na mão devem tomar essa unidade produtiva e continuar a trabalhar para a colocar a funcionar. Contem os trabalhadores da pátria com todo o apoio do Presidente operário para recuperar as empresas que a burguesia abandona”, afirmou o Presidente no Congresso Nacional de Trabalhadores Socialistas. “Avançaremos para uma revolução no estado que nos permita atingir a eficiência socialista na acção do governo junto do poder popular”, prometeu ainda Nicolás Maduro.
A intelectualidade reinante parece não entender que a saída do capital provoca menos investimento, menos produção e, por fim, mais pobreza. A descida do preço do petróleo é mais um prego na revolucionária escola Che Economics que tão bons resultados tem dado à Humanidade..

Leitura complementar: Che Economics aplicado na Venezuela.

A investigação jornalística de 2014

Vai direitinha e por aclamação para a iraniana Press TV. Graças ao gigantesco trabalho de investigação e de infografia, revela à humanidade que as ilhas sauditas de Tirana e Sanafir encontram-se há décadas silenciosamente ocupadas por Israel. .

Compreender o putinismo XII

Imagem de Tom Parfitt/The Telegraph

Imagem de Tom Parfitt/The Telegraph

Os mortos não existem. De quando em vez a Rússia troca prisioneiros de guerra na qual a Rússia não participa.

Por agora, o Kremlin está a resolver a não crise, obrigando as empresas a converterem dólares em rublos e a emprestá-los para que as dívidas em dólares possam ser pagas. A Santa Mãe Rússia está bem e recomenda-se.

Viva o socialismo, abaixo os gelados burgueses

Imagem de  Omar Veliz/ El Nacional

Imagem de Omar Veliz/ El Nacional

Contra a submissão ao poder maléfico do capitalismo. Contra  o culto frio dos números e a fúria individualista devastadora. Lutemos pois contra tudo o que  só a revolução socialista é capaz de garantir à Humanidade culta. Viva a pátria. Vivam  as medidas socialistas patrióticas. Viva o socialismo de rosto humano patriótico.

O Natal russo

putin2

Putin ordena limite ao preço da vodka. Em prol da segurança alimentar, imagino.

O presidente russo Vladimir Putin ordenou a seu governo nesta quarta-feira que contenha o aumento dos preços da vodca, enquanto ele luta para preservar sua popularidade em meio a uma grave crise econômica.

Putin disse em uma reunião com oficiais do governo e governadores regionais que os altos preços da vodca incentivam a produção de bebidas falsificadas, que trazem mais riscos para a saúde das pessoas do que o álcool produzido legalmente.

Leitura complementar: Entretanto na frente russa.

Rússia em modo vintage

putin1

Crise, qual crise? Está proibida, a crise.

Authorities in the Central Russia’s Kaluga Region have banned the use of the word ‘crisis’ in public and the measure is already helping to attract investors, according to the local governor.

It is possible that the crisis exists, but we forbid the use of this word,” the Russian News Service (RSN) radio quoted Anatoly Artamonov as saying on Tuesday.

The governor added that the Kaluga Region authorities were not planning a policy response to the current “inconvenient moment,” but instead chose to hold a major internal audit of the investment policy and legislation in order to create a better business environment.

Da bestialidade e irracionalidade do terror

Foto de Mohammad Sajjad/AP

Foto de Mohammad Sajjad/AP

Taliban Attack on School in Pakistan Kills More Than 100.

Leitura complementar: O Público continua a chamar aos assassinos, “combatentes dos taliban paquistaneses “. Os tais bravos combatentes queimaram vivo um professor e decapitaram várias crianças.  Não são separatistas, são assassinos III.

Está de parabéns o pequeno Napoleão do Kremlin

Google Pulls Out Of Russia

Google is going to close its engineering office in Russia, the Financial Times says.

Russian authorities have been cracking down on internet activity throughout 2014.

In Russia, a new law forces tech companies to keep all data about Russians inside the country’s borders.

 

Os cartoons prejudicam a saúde

cartoon

 

Indonesian police accused the top editor of a leading English-language newspaper of blasphemy after the paper published a cartoon depicting the flag of the Islamic State of Iraq and Al-Sham that allegedly insulted Islam.

As trapalhadas de Costa não pagam taxa

ac

Contra o bota-abaixismo, a Taxa turística avança em Lisboa apesar das trapalhadas.

Leitura complementar: A longa marcha da Taxa Costa.

Entretanto, na Rússia

Grozny

A imagem não é uma recordação de nenhuma das duas guerras da Chechénia, retata o ataque de hoje à “Casa da Imprensa”, local onde se encontravam os media locais.

Chechen gunmen under siege in school after several killed in clashes with police.

 

 

 

Soares continua fixe

soares

O pior tem sido os oceanos, que se expandiram, tanto no Atlântico como no Pacífico, e no seu furor estão a matar as faunas e a destruir as praias.

 

Perante a indiferença familiar e face ao impedimento do detido 44, proponho um programa de opinião do doutor Mário Soares, na RTP, no intervalo dos jogos da Liga dos Campeões.

BE: à meia dúzia é melhor e mais barato

be

De acordo com a sua constituição presumidamente revolucionária, o Bloco de Esquerda (BE) “é um movimento de cidadãs e cidadãos” que assume entre outras coisas fundamentais para a modernidade progressista a “forma legal de partido político” mas que também concebe  ser reconhecido como “movimento” que inspira e é inspirado por “contribuição convergentes de cidadãos, forças e movimentos” que se “comprometem com a defesa intransigente da liberdade e com a busca de alternativas ao capitalismo”. Para além dessa tarefa hercúlea de procura e dissimulação envergonhada do comunismo, o BE “pronuncia-se por um mundo ecologicamente  sustentável ” e sonha com a “transformação social, e a perspectiva do socialismo como expressão da luta emancipatória da Humanidade contra a exploração e a opressão”. Honra seja feita ao BE, será  difícil a todas as forças, grupos e ajuntamentos de esquerda inovar tanto nos mesmos desejos, chamando-lhes outros nomes mais ou menos convergentes e com idênticos objectivos. Para a humanidade permanecer a par das novidades, o Observador trata de dar a conhecer O Bando dos seis: quem é quem na nova direção do Bloco de Esquerda.

Compreender o putinismo XI

ARGENTINA-RUSSIA-KIRCHNER-PUTIN

Algo completamente inesperado e que ultrapassa o desinteressado apoio aos apoiantes.

In campaign against truth, Mr. Putin wields fear and economic force

(…)The autocrat’s success in walling off Russians from alternative sources of news and information, culminating now in his campaign against the country’s last independent television channel, provides a case in point. The channel TV Dozhd (meaning “rain”) was founded five years ago, when state television had become so soporifically subservient that “most people we knew had stopped watching,” as Mikhail Zygar, Dozhd’s 33-year-old editor in chief, recalled during a recent visit to The Post. Dozhd offered real news and balanced commentary. “Give TV one more chance” was its pitch. It soon built an audience of 20 million (in a nation of 142 million). (…)

Meanwhile, Mr. Zygar said, official propaganda has become less soporific and more engaging — moving from “North Korea-style” to “Fox Media-style,” he said. “Flames of hatred toward ‘Ukrainian fascists’ and ‘American aggressors’ can be seen in the eyes of every presenter, and it’s very effective. And there is no alternative, except for us.”

Mr. Putin keeps at the ready the possibility of methods harsher than advertising bans. Parliament extended the “anti-extremism” law this year in a way that allows prosecutors to charge pretty much any critic with a crime. “Hypothetically, if some news show guest says that Crimea should be returned to Ukraine, I could be thrown in jail for five years,” Mr. Zygar said. But, he noted, “It’s much easier to get rid of us with economic pressure.

 

Soltem os prisioneiros

Socrasmandela

Sem dúvida, a mesma luta contra a opressão.

O deputado socialista Fernando Serrasqueiro foi o primeiro a fazê-lo, no Facebook, evocando, de forma subliminar, o exemplo de resistência de Nelson Mandela, o mais famoso prisioneiro político do último século.

Serrasqueiro, ex-secretário de Estado e amigo pessoal de Sócrates, manifestou a sua solidariedade através de um poema, intitulado Invictus, famoso por ter servido de apoio ao activista político Mandela, nos anos que passou na prisão-ilha de Robben Island. E reproduziu-o, sem comentários, duas horas depois do despacho do juiz Carlos Alexandre que enviou o ex-primeiro-ministro do PS para uma prisão em Évora.

Haverá pontos de contacto entre Mandela, prisioneiro político do regime racista sul-africano durante 27 anos, e Sócrates, detido por corrupção, branqueamento de capitais e fraude fiscal? Há pelo menos um exemplo de resistência na adversidade, que Serrasqueiro quer transmitir ao amigo e camarada de partido.

Mandela disse que lia o poema Invictus (traduzindo: jamais derrotado) para encontrar força e apaziguar o sofrimento, superando momentos de dúvida. “Sob as garras cruéis das circunstâncias / eu não tremo e nem me desespero / Sob os duros golpes do acaso / Minha cabeça sangra, mas continua erguida”, lê-se na segunda estrofe do poema vitoriano.

(Agradeço ao leitor JP a indicação do assunto).

Atenção aos direitos humanos no continente e ilhas

Luís Filipe Meneses.

O Ministério Público confirmou a investigação ao antigo autarca por suspeitas de corrupção para enriquecimento pessoal. Já foi pedido o levantamento do segredo bancário do autarca.

 

Alberto João Jardim.

O presidente do Governo Regional da Madeira escreveu esta terça-feira no Jornal da Madeira que a mediatização da detenção do ex-primeiro-ministro José Sócrates (sem referir o seu nome) reflecte uma “situação preocupante dos Direitos Humanos em Portugal”.

“O que vimos nos últimos dias, à volta de um caso inaceitavelmente mediatizado com o maior desrespeito e falta de caridade, também põe em causa o aparelho de Justiça e a comunicação ‘social’ que temos em Portugal, porque parece estarmos ante mais uma demonstração da preocupante situação dos Direitos Humanos no nosso País”, escreve Alberto João Jardim na sua coluna de opinião no Jornal da Madeira (JM).

 

Soares preocupado com Sócrates

SS

O antigo Presidente da República escreve, hoje, no Diário de Notícias que sábado, dia de detenção de José Sócrates, «o país foi confrontado com um acontecimento que deixou os democratas imensamente preocupados».

Breakfast in America

A liderança política de Obama continua de vento em popa. Depois de ter apanhado uma sova dos republicanos, despede Chuck Hagel, provavelmente o mais republicano dos seus Secretários.

Entretanto, o neo-falcão candidato presidencial Rand Paul pretende que seja formalmente declarada guerra ao Estado Islâmico.