ToZé Seguro automutila-se!

Em entrevista à RTP, António José Seguro, secretário geral do Partido Socialista, disse (video):

Eu fui muito claro e só tenho uma palavra. A Taxa Social Única é inaceitável, porque é imoral. E não tem nada a haver com políticas de austeridade. Trata-se de uma transferência de rendimentos (…) do trabalho para as entidades patronais e isto é imoral. Eu disse na quinta-feira que existe uma linha que separa a austeridade da imoralidade. E essa linha foi ultrapassada.

Então e quando o Estado nos retira rendimentos via IVA, IRS (e tantos outros impostos) e os transfere para obras públicas, parcerias público-privadas, “projectos de interesse nacional”, subsídios a empresas “amigas”, etc? Isso não é igualmente (ou mais!) imoral?

ToZé, há uma linha que separa os vertebrados dos invertebrados. E o senhor ultrapassou-a!

About these ads

20 thoughts on “ToZé Seguro automutila-se!

  1. E já agora, ao dizer que mesmo que o governo volte atrás com a medida da TSU ele vota na mesma contra o orçamento, também não foi um tiro no pé?

  2. Pior ainda, foi o partido de António José Seguro (com o conluio dos sindicatos) que aprovou o infame código contributivo dos Trabalhadores Independentes onde, ao invés de um aumento de 64%, se prevêem aumentos de 300, 400 ou 500% das taxas a entregar ao Estado (não dedutíveis em sede de IRS) … “para bem do Trabalhador”, como me explicou por escrito um dirigente sindical de esquerda.

    De facto, se não consigo compreender a inversão de ideias do Senhor Ministro Mota Soares logo após ter sido eleito (atitude que me parece perfeitamente indigna), ainda menos compreendo a atitude do PS e dos sindicatos: afinal o problema não é que existam aumentos demenciais de contribuições. O problema para a esquerda é que estas sejam pagas pelos seus associados e militantes.

    Se forem os malandros dos Trabalhadores Independentes, já não há qualquer problema, até é bom para eles, mesmo que paguem o dobro e ainda paguem impostos por cima das contribuições.

    37 anos após o PREC… o PREC continua bem vivo em Portugal.

    Se não fosse tão dramático, se os condenados independentes não tivessem casas para pagar e filhos para criar, seria mesmo de rir à gargalhada.

  3. O Seguro é fraco , mas consegue ser melhor que o Passos, vejam lá como vamos !

    Ricardo cerqueira,

    Nunca é demais denunciar a aldrabice dos descontos absurdos dos recibos verdes e da conivencia do Passos e do CDS com este escandalo.

  4. O Seguro nunca irá a lado nenhum. Se alguma hipótese se vislumbrar de haver mudança de governo o Tózézito é imediatamente trocidado pelo partido sejam eles socratinos, costinos, etc.

  5. “O Seguro é fraco , mas consegue ser melhor que o Passos”

    Passos é um homem com H, inteligente e sexy q.b. Seguro faz lembrar um menino mimado, tem o carisma de uma batata e o sex-appeal de um repolho.

  6. A Tina é muito racional nas análises que faz do Passos !

    Principalmente sobre as surpresas que ele tem acerca da taxa de desemprego e da baixa do PIB e das receitas fiscais.

    O Passos é mesmo tonto !

  7. “Trabalhadores Independentes, já não há qualquer problema, até é bom para eles, mesmo que paguem o dobro e ainda paguem impostos por cima das contribuições.”

    Claro! A Esquerda quer destruir os trabalhadores independentes para os sindicalizar e PSD e CDS fazem-lhes o favor por uma qualquer troca de favores que não sabemos.

  8. Pingback: Para que serve o governo? « O Insurgente

  9. “Principalmente sobre as surpresas que ele tem acerca da taxa de desemprego e da baixa do PIB e das receitas fiscais.”

    Eu explico. A taxa de desemprego, PIB, receitas fiscais, era tudo alimentado artificialmente com dinheiro emprestado que entrava a jorros em Portugal. Agora o dinheiro acabou e isso é refletido nesses indicadores. Por exemplo, não havendo dinheiro emprestado para obras públicas, como escolas, TGVs, etc, não se emprega tanta gente na construção civil, o desemprego aumenta e as receitas fiscais diminuiem. No tempo de Sócrates houve de facto meses com crescimentos económicos superiores a 1. Mas isso foi um feito muito fácil considerando que para isso, em 6 anos, ele pediu dinheiro emprestado num valor equivalente à dívida que se tinha acumulado desde o 25 de Abril de 1974.

  10. tina, o deficit real em 2011 foi de 8% e será de 6,5% em 2012.

    dinheiro artificial portanto.

    tanta conversa fiada !

    O Passos / Gaspar é nabo pois destruiu as expectativas do sector privado logo em Setembro de 2011.

    A partir daí é sempre a descer, com os nabos a ficarem supreendidos.

    quem é nabo não deve aceitar ser primeiro ministro e quem não percebe de macroeconomia não deve aceitar ser ministro das finanças , principalmente numa crise destas que necessita de conhecimento e inteligencia.

  11. tina, o deficit real em 2011 foi de 8% e será de 6,5% em 2012.

    Muito bom, considerando que Sócrates deixou um défice de 1O%, que os juros a pagar são elevadíssimos e que as poupanças têm aumentado. Estamos finalmente a ir no bom caminho. I Love PPC.

  12. Pois, a curva de Laffer. Mas é muito provável que os efeitos de poupanças e menos investimento público tenham sido mais importantes na diminuição da receita fiscal. Como sempre, ninguém fala destes porque não lhes interessa.

  13. Quem falar o sr. Seguro pensa que ele aterrou de paraquedas o ano passado em Portugal; que os anos do governo de Sócrates esteve no estrangeiro a fazer um curso de ética politica; mas não este cavalheiro esteve seis anos sentado na bancada do PS na assembleia da república. Quantos comentários á politica deste país durante esse tempo quantas intervenções na assembleia? Não pretendo insultar ninguém mas o homem faz-me lembrar, com o seu sorriso maroto, o Benny Hill quando via uma garota em trajes menores e à mão de semear, é uma pena que essa garota se chame Portugal.

  14. Eu gostei mesmo foi das alternativas do Seguro: ah e tal bombas low-cost, o QREN, o BCE e reconversão de 3.000 milhões do dinheiro para a banca (como se retirar parte do dinheiro cativo para a recapitalização dos bancos não tivesse impacto nenhum na sua disponibilidade de concessão de crédito). Isto sem esquecer o visionário “teria feito diferente há um ano”.
    Mais um especialista em medidas inúteis, avulsas e caras. Não que esteja surpreendido.

  15. Alguns PSD’s parecem um pouco nervosos com a ideia do imposto sobre as PPP’s apresentada pelo Seguro !

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s