Liberdade e Segurança

Face a um ataque inexplicável, em que diversos cidadãos percam as suas vidas e o medo fique no ar, uma sociedade tem 2 opções: reafirmar os seus valores democráticos ou ir pela via do securitismo militarizado.

Face ao episódio de Utoya, a Noruega foi pelo 1º.

Face ao episódio de Aurora, os EUA enterram-se no 2º.

E pensar que os EUA já foram a terra da liberdade…

About these ads

23 thoughts on “Liberdade e Segurança

  1. É sempre muitíssimo complicado comparar os EUA com qualquer 1 país, sobretudo um país nórdico como a Noruega, uma país relativamente pequeno uma população bastante pequena também e mais ou menos homogénia. Contudo, “E pensar que os EUA já foram a terra da liberdade…” é uma conclusão perfeitamente razoável, no meu entender…

    Uma coisa que aprendi de Hayek foi que a segurança é quase antitético à liberdade (The Road to Serfdom), um aumenta à custa do outro. O problema é que a liberdade implica risco, e quanto mais se diminui o risco, aumentando assim a segurança, mais se perde em termos de liberdade. Esta condição não se limita ao Homem. Um cão, por exemplo, dentro de casa do seu “dono” tem infinitamente mais conforto e segurança do que um cão vádio…mas o cão vádio não tem dono…é perfeitamente livre! O pior é que essa segurança é apenas aparente, isto é, o cão sabe lá se o seu dono vai ser bom ou vai tratá-lo mal, ou até eventualmente atropelá-lo sem querer…é que a vida por si implica risco de uma forma ou de outra. (Jim Morrison disse: Five to one, One in five, No one here gets out alive!)

    Então estamos a entregar a nossa liberdade a troco de quê? Perguntem a um canário se prefere a segurança e conforto da sua jaula ou a quase morte certa da rua, mesmo no inverno!!!

    Parece que os americanos estão cada vez mais dispostos a entregar a sua liberdade em troca de uma “suposta” segurança…enfim, não é o primeiro povo a fazê-lo como Hayek bem sabia, e certamente não será o último!

    Resumindo: vida = risco; liberdade = risco, logo, vida = liberdade! Live free or die!

  2. Jaques, o seu silogismo é logicamente incorrecto, porque não é vida=risco mas sim vida => risco e liberdade=>risco. Como alguém que sabe lógica lhe poderá explicar, isso não permite comparar vida com liberdade.

    De qualquer forma o artigo compara a Noruega, onde a posse de armas é já restringida com registo obrigatório, com os EUA onde é permitido comprar armas em praticamente todos os locais sem registo, e onde o presidente se apressou a dizer que quaisquer medidas a tomar tem de ter em conta com a segunda emenda da constituição. E a ideia que passa é que os EUA é que estão a se tornar um pesadelo securitário?

  3. Este post atirou ao lado. Os valores democráticos afirmam-se pela liberdade. No estados unidos defende-se a liberdade ao não restringir o acesso a armas de fogo. Na Noruega, pelo contrário, é mais uma vez o estado a impor limites à liberdade individual. A segurança de uns é paga pelos impostos dos outros, do cidadão comum. A vida implica riscos, como já se disse acima. Não pode ser um acidente a pôr em causa a liberdade. Pela minha parte, eu sei bem como me defender. Não preciso da policia estatal para nada. Tenho ainda que pagar com os meus impostos quem quer viver em zonas menos recomendáveis ou de quem quer “ter” sem saber como “defender” com as própria mãos o que tem.

  4. O que se passa nos EUA é uma violação da Constituição de modo a ter controlo absoluto sobre todas as pessoas e os seus movimentos

  5. Quando um indivíduo com apenas 24 anos consegue adquirir 4 armas de fogo, incluindo uma espingarda semi-automática, compradas numa loja local 2 meses antes, 6,000 munições e um colete à prova de balas pela Internet, mais de 80 explosivos e, alegadamente, uma granada de fumo/gás sem chamar a atenção das autoridades isso, na minha opinião, significa que há falta de segurança, não o contrário. Não estamos a falar de uma arma para auto-defesa. Estamos a falar de um “puto” que conseguir adquirir um arsenal em menos de 2 meses.

  6. Os EUA não se enterram…. Só os jornais de esquerda falam do assunto e mesmo assim moderadamente pois sabem que muitos apoiam.
    Os gritos histéricos na maioria vêm da Europa e dos jornais europeus.
    O problema é que não existia ninguém armado no teatro.

    “…os EUA onde é permitido comprar armas em praticamente todos os locais sem registo..” isto é falso.

    Para ler uma história recente:

    http://www.utne.com/mind-body/women-with-guns-zm0z12jazros.aspx?page=1

    “…Texas Department of Public Safety data show that the fastest-growing group of concealed handgun owners in the state has been, for at least five years, black women.

    Gun ownership has long been considered a traditionally white male patriotic expression of identity, privilege, and power. When I told one of my college buddies that I was learning to shoot, she asked if I had suddenly become a Republican. Men with guns abound: Charlton Heston is the pop culture patriarch of contemporary gun culture, but we’ve also mythologized cowboys like John Wayne, action figures like Rambo, Clint Eastwood, and Arnold Schwarzenegger, and self-styled wild men like Ted Nugent, to name just a few. The sharp converse of these proud white patriots, of course, are black men with guns, almost always classified in popular culture as amoral gangsters whose firearms are procured for drug trafficking and gangbanging.
    In the black community, the social and economic tension between black men and women has made black women appear to have increasingly more in common with white men than black men. Black women, like white men, are often the heads of household, often the primary or sole breadwinners in their homes, and they are simultaneously admired and hated (often by black men) for their successes…”

  7. O problema é que não existia ninguém armado no teatro.

    Ou seja, em vez de um gajo aos tiros, teríamos dois…

  8. ““…os EUA onde é permitido comprar armas em praticamente todos os locais sem registo..” isto é falso.”

    Ver (por exemplo) http://en.wikipedia.org/wiki/Gun_laws_in_the_United_States_%28by_state%29

    A maioria dos estados permite a compra de armas sem necessidade de registo e sem licenciamento do utilizador. Alguns estados (mais notavelmente nas costas) exigem isso. Não estava a dizer que existem tantas lojas de armas como supermercados, mas a situação é muito diferente nos EUA e na Noruega…

  9. “O problema é que não existia ninguém armado no teatro.”

    “Ou seja, em vez de um gajo aos tiros, teríamos dois…”

    Segundo a imprensa foi lançada uma granada de gás que criou um cortina de fumo. Mesmo que alguém tivesse uma arma era completamente irrelevante já que a cortina de fumo impedia qualquer tipo de defesa eficaz. Por outro lado, isso acabou por permitir que muitos não tivessem sido atingidos mortalmente como infelizmente aconteceu na Noruega.

  10. Caro João Branco,

    Agradeço o input e a explicação! Contudo, volto a afirmar que a vida sem liberdade não é uma vida digna de ser vivida por um ser humano. Que a afirmação “Live free or die” até será um pleonasma uma vez que sem liberdade não estamos de facto vivos na plenitude da palavra. Pelos seus comentários creio que neste ponto poderá concordar comigo…

  11. “Ou seja, em vez de um gajo aos tiros, teríamos dois…”

    E? o problema é os bons não terem armas também. Se na Noruega outro tivesse uma arma o assassino pelo menos teria de combater e teriam sido salvas dezenas de vidas no melhor dos casos.

    Aliás como aconteceu também no Colorado ainda não há muito tempo. Um mulher segurança matou um tipo que queria matar uma data de pessoas.

  12. A quem pretender comparar a liberdade nos EUA com a liberdade num qualquer país europeu recomendo a leitura do seguinte artigo:
    “Finland: female gets 1.2 years probation for fighting off her attackers” (http://vladtepesblog.com/?p=47453)

  13. “E? o problema é os bons não terem armas também.”

    Então a solução para o problema dos maus andarem armados é que os bons também tenham armas consigo e não que se impeçam os maus de obterem as armas em primeiro lugar…?

    Aliás, como ninguém diria que este mau em particular, James Holmes, era um dos maus porque na realidade tudo indicava que era um dos bons, a coisa é ainda mais surreal: a solução para o problema dos bons que andam armados que afinal são maus, mas que ninguém diria que são maus, é armar os outros bons que pelos vistos também podem ser maus…

  14. se um louco quiser cometer um atentado à bala, consegue-o, seja nos EUA ou na Noruega, como já ficou provado. Mesmo que proibam todas as armas nos EUA os loucos continuarão a prepertar assassinatos se a sua loucura assim os levar a isso. Tudo o resto, é conversa da treta.

  15. lucklucky,

    “E? o problema é os bons não terem armas também”

    É exactamente esse o problema. A falta de armas nos EUA. Só existem 300 milhões de armas para 307 milhões de habitantes. Só falta armar 7 milhões.

    * As of 2009, the United States has a population of 307 million people.

    * Based on production data from firearm manufacturers, there are roughly 300 million firearms owned by civilians in the United States as of 2010. Of these, about 100 million are handguns.

    http://www.justfacts.com/guncontrol.asp

  16. “Então a solução para o problema dos maus andarem armados é que os bons também tenham armas consigo e não que se impeçam os maus de obterem as armas em primeiro lugar…?”

    Sim. Porque é impossível e sequer desejável controlar tudo.

    “É exactamente esse o problema. A falta de armas nos EUA. Só existem 300 milhões de armas para 307 milhões de habitantes. Só falta armar 7 milhões.”

    A liberdade de porte de arma não parou de aumentar nos EUA e os assassínios descem desde os anos 70.

  17. “A liberdade de porte de arma não parou de aumentar nos EUA e os assassínios descem desde os anos 70.”

    Os homicios estavam, em 2009, no mesmo nível que em 1964. É a partir dos anos 70 que eles começam a subir, não a descer, atingindo o pico nos anos 90. E os crimes violentos, em 2009, estão ao mesmo nível de 1973.

    “In 2004, there were 5.5 homicides for every 100,000 persons, roughly three times as high as Canada (1.9) and six times as high as Germany (0.9). Most industrialized countries had homicide rates below the 2.5 mark.”

    O número de armas tem vindo a aumentar mas a segurança não segue a mesma curva.

    http://en.wikipedia.org/wiki/Crime_in_the_United_States

  18. Pode-se até regulamentar as armas de fogo, mas é impossível regulamentar a loucura, há uns dois anos atrás malucos andaram a matar quase meia centena de crianças em escolas da China armados tão somente de facas de cozinha.

  19. Os dados da wikipedia são contraditórios com o gráfico da OCDE em relação o pico http://dailycaller.com/2011/09/28/gun-crime-continues-to-decrease-despite-increase-in-gun-ownership/. Eu também tenho outros dados que falam do início de noventa com um pico equivalente ao pior dos anos 70.

    “O número de armas tem vindo a aumentar mas a segurança não segue a mesma curva.”

    Falso. A fonte que apresentou demonstra isso. O crime tem vindo a descer.

    Mais uma referência:
    FBI: Violent crime rates in the US drop, approach historic lows

    http://usnews.msnbc.msn.com/_news/2012/06/11/12170947-fbi-violent-crime-rates-in-the-us-drop-approach-historic-lows?lite

    E pode ver aqui a evolução das leis cada vez mais liberalizadas em geral nos diversos estados de porte de arma desde os anos 90, atente no gráfico animado http://en.wikipedia.org/wiki/Concealed_Carry_in_the_United_States

    O crime não tem que ver com armas tem que ver com cultura e muitas vezes culturas de subgrupos e não de toda a população do Estado.
    As variáveis mais importantes -não necessariamente motivo que saltam à primeira vista no crime violento são o sexo e a idade e depois a raça com os asiáticos os menos criminosos. É nesses dados que aparecem as maiores discrepâncias.
    Nos EUA DC District of Columbia é o Estado com mais crime por 100000 habitantes e um dos com leis mais restritas.

  20. O artigo linkado não é representativo da reacção dos EUA, pelo contrário. Reflecte a reacção de um grupo que é minoritário e eleitoralmente reduzido a alguns bastiões urbanos povoados com latte liberals e minorias. Se há uma batalha política com prognóstico positivo no futuro previsível é esta – as vitórias dos grupos pró-2nd Amendment nas últimas 3 décadas foram substanciais, estão solidifcadas e eu não vejo de onde possam surgir ameaças que as coloquem em causa.

    Comentário por lucklucky — Julho 22, 2012 @ 15:58

    A posse de armas foi durante décadas a única linha de defesa dos pretos no Sul contra linchamentos que tinham a conivência tácita (quando não a participação) da polícia. Até há pouco tempo: eu ainda conheci um dos fundadores dos Deacons for Defense and Justice.

  21. O problema do lobby pro-gun control é que utilizam os mesmos argumentos utilitaristas que foram utilizados nestes comentários. Mesmo que fossem bons, e não são, não seriam efectivos porque a maioria dos Americanos é imune a esse tipo de estatísticas – mesmo que elas sugerissem que mais gun control diminuiria o crime, a violência, etc.

    A propósito deste episódio, o Ice-T, insuspeito de simpatias conservadoras, resumiu as coisas de forma lapidar:

    “It’s legal in the United States,” the rapper said. “The right to bear arms is because that’s the last form of defense against tyranny. Not to hunt. It’s to protect yourself from the police.”

  22. Pingback: The last form of defense against tyranny « O Insurgente

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s