Pingo Doce: promoção de 1º Maio esmaga boicote


Consta que o(s) boicote(s) ao Pingo Doce não estão a ser particularmente bem sucedidos…

Loucura no Pingo Doce em dia de saldos
Milhares de madeirenses tentam aproveitar promoção do Pingo Doce
Descontos do Pingo Doce provocam caos nas lojas

1º de Maio subversivo (II). Por LR.

Alexandre Soares dos Santos (esse malvado que mudou a sede da holding para o “paraíso fiscal” holandês, lembram-se?…) e a sua cadeia Pingo Doce fizeram um apelo ao trabalho no dia do trabalhador. Os sindicatos não gostaram e apelaram ao boicote por parte dos consumidores. Estes – que serão maioritariamente trabalhadores – mandaram-nos às malvas, marimbaram-se para as “manifs” (o “fascista” do S. Pedro também mostrou mais uma vez que está feito com o grande capital…) e plantaram-se às entradas dos supermercados Pingo Doce em longas filas, suportando estoicamente a intempérie para beneficiar de descontos nunca vistos. Numa vergonhosa traição à classe, numa cedência inadmissível à alienação consumista e ajudando o infame capitalismo a mostrar que é possível a confluência de interesses entre classes ditas antagónicas.

Leitura complementar: Hoje não há “inocentes” no Pingo Doce.

About these ads

25 thoughts on “Pingo Doce: promoção de 1º Maio esmaga boicote

  1. Como não tenho qualquer respeito por feriados políticos, ainda por cima estes que foram instituídos pela súcia fanático-comunista saída do 25 de Abril, não me sinto nada perturbado pelo sucesso desta campanha do Pingo Doce.
    O que mais me faz sorrir, e já sorrio há muito por causa deles, é a forma como se esquecem do factor humano nesta questão. Ao ler o que leio pelos blogues proto-comunistas por aí fora disponibilizados, parece que o Pingo Doce sequestrou parte considerável do consumidor e o obrigou a comprar produtos.

    Estes socialistas de meia-tigela esquecem-se que os primeiros a derrubar a ideia de comunidade são os próprios constituintes. O individualismo, goste-se ou não, é uma das poucas características genéticas do Homem.

    Abraços liberais

  2. Considerando que a maior parte dos bens hoje vendidos era de 1ª necessidade (a julgar pelas reportagens), fazer ironia com a fome dos outros não é apenas de péssimo gosto, é também ilustrar até que ponto esta sociedade está em ruptura total…

  3. Um simples gesto demonstrativo do que é realmente o poder. De uma simples cadeia de Distribuição.
    Que sirva de aviso aos demagógicos, há muito tempo insignificantes, sindicatos. E ao Governo.
    O “povinho” aguenta muito coisa. Não aguenta, sim, é a loja do pão fechada. Assim percebe-se, claramente, quem tem a chave da loja na mão. Para abrir … e para fechar.
    Votos, unção de uma Assembleia da República, de um Presidente ou mesmo de um Cardeal, é um tipo de poder assaz fátuo. A Maria Antonieta explica.

  4. “O “povinho” aguenta muito coisa. ”
    Foi “o povinho” que escolheu ignorar os apelos ao boicote, ir ao Pingo Doce e não ir às manifs. Pelos vistos o auto-intutilados “líderes da classe operária” não lideram grande coisa.

  5. O que se passou hoje foi VERGONHOSO. E’ vergonhoso obrigar os trabalhadores a trabalhar num feriado, ainda para mais simbólico como o de hoje. O que devia ser para os trabalhadores do Pingo Doce um dia de descanso, foi um dia absolutamente stressante, degradante. Para estes e para os portugueses que embarcaram nesta “orgia” consumista. Uns por necessidade, outros por fussanga, a ponto de comprarem o que nao precisavam. Nao sou de esquerda, nao tenho particular simpatia pelo primeiro de Maio, mas acho deplorável o oportunismo da Jerónimo Martins. Isto nao tem nada a ver com uma economia de mercado, até porque o mercado das grandes superfícies em Portugal e’ um oligopólio dominado pela Sonae e pela JM. Portugal esta na mão de espertalhões que se comportam como oligarcas.

  6. “Isto nao tem nada a ver com uma economia de mercado,”
    Claro que não. Aliás, “economia de mercado” é terceiros impedirem as pessoas de trabalhar e fazer compras porque acham que uma determinada data é “simbólica”. Eles é que sabem. Eles decidem que o pessoal deve ir à manif e não às compras. Assim é que é democratico.

  7. O que é vergonhoso é a sua opinião Lionheart. As pessoas adquiriram coisas que vão melhorar a sua vida por muito menos custo ou seja menos trabalho.
    Você como todos os mercantilistas defende a escassez.

  8. liberais encantados com o sucesso de uma empresa oligopolista. portugal. e viva o ron paul.

  9. Será que por acaso voces sabem que houve trabalhadores que quiseram trabalhar hoje para ganhar mais uns trocos,não sejam fundamentalistas colocam~se num gheto,o povo gostou os trabalhadores ganharam mais deixem~se de fantasias que só colocam os de esquerda num beco sem saida

  10. Acima de tudo foi uma experiência social interessante para mostrar porque existem preços.

  11. A Pingo Doce só “acerta” no dia do trabalhador. Nos outros engana os clientes.

  12. O Marx explica isso tudo. As massas alienadas precisam das vanguardas esclarecidas para lhes mostrar o Verdadeiro Caminho. Algo falhou na mensagem das vanguardas, mas nada que uns pelotões de fuzilamento e uns mandatos de captura em branco não resolvessem

  13. Pingback: Rescaldo do Dia do Consumidor « O Insurgente

  14. Depois do dia de hoje, acho que merecemos toda a austeridade que nos impõem. É uma palhaçada. Depois de terem criticado o Pingo Doce por ter mudado a sede para a Holanda, é uma hipocrisia as pessoas fazerem o que fizeram hoje. Isto só comprova o estado em que estamos. Bastou o “dono” acenar com um biscoito que os “cães” foram logo atrás. ESTAS PESSOAS NUNCA MAIS TERÃO MORAL ALGUMA PARA PROTESTAR SEJA O QUE FOR.

  15. mtas pessoas k esta contra as pessoas k foram ao pingo doce, n sabem o k é ter mais 50 euros no fim do mes…

  16. O post do Pedro Ribeiro, http://osdiasuteis.blogs.sapo.pt/591114.html, descreve, na minha opinião, o problema da melhor forma.
    Se fosse uma campanha da FNAC, ninguém ficava ofendido com os trabalhadores, pois estão habituados a trabalharem sempre que é necessário. Nem com os descontos!!
    Imaginem que era a Apple a fazer o mesmo. Grandes elogios iriam aparecer pela oferta desse monstro da economia, que ajudava os tugas a terem o melhor da tecnologia a um mais preço simpático.
    Os que criticam a abertura dos hipers nos feriados são os mesmos que depois choram o enorme desemprego que se sente!! Se as empresas não vendem, não podem pagar os salários.

  17. Sr Luis, essa treta de que trabalhar nos feriados cria mais emprego não passa de areia para os olhos. Eles não contratam ninguém para trabalhar nos feriados, o que fazem é aumentar o horário dos trabalhadores já contratados. As empresas não vendem? Está-me a dizer que o Pingo Doce não vende o suficiente para pagar os salários dos seus trabalhadores? Não sei em que mundo é que vive, mas neste o grupo Jerónimo Martins é um dos mais ricos (se não o mais) de Portugal…

  18. Pingback: Alexandre Soares dos Santos, um exemplo de coragem e determinação « O Insurgente

  19. Não vou discutir quem tinha ou não tinha possibilidade de gastar 100€ em compras. Tenho no entanto a certeza que os REAIS necessitados deste país não usufruíram desta acção. Também não vou discutir a questão do 1º de Maio.

    Garanto sim que ontem, informamos que ainda temos condições de apertar mais o cinto.
    Não pensemos que o imposto que vai recair sobre as grandes superfícies vão ser pagos por eles. Não. O que nós transmitimos ontem foi que ainda temos condições de pagar o efeito desse imposto nos produtos que iremos comprar a essas superfícies, seja com cartão de crédito ou não. Os dados foram lançados ontem, hoje os cálculos estatísticos foram apurados:

    * x com cartão de crédito
    * Y em dinheiro vivo
    * Produtos de 1ª necessidade
    * Produtos de 2ª necessidade
    * Produtos de nenhuma necessidade

    end procedure

  20. E esta avaliação vai continuar.agora com o IKEA . Só que desta vez será avaliado a percentagem de quem tem dinheiro para gastar em produtos que não são de 1ª necessidade.

    “partir de hoje e ate ao dia 13 de Maio, o IKEA presenteia todos os seus clientes com uma grande promoção em várias centenas de artigos: 50% de desconto direto sobre o preço marcado.
    Prepare já uma viagem à sua loja favorita do IKEA e desfrute desta magnífica promoção.”

  21. Seria importante saber quantos dos produtos vendido a 50% de desconto pelo Pingo Doce são importados.
    Que faz a Jerónimo Martins para reduzir a nossa dependência alimentar do exterior?

  22. O autor que deste blog, que saiba que os “coitadinhos” dos trabalhadores do pingo doce vão ter o pagamento do dia 5x superior. ou seja para quem recebe 25, vai receber num dia o que ganharia numa semana, ou seja, 125. Para além disso recebem também o direito ao desconto de 50% para ser usufruido durante esta semana. E agora, onde estão as políticas grevistas e sindicalistas? A maior parte dos que criticam são uns snobs que se devem julgar muito superiores, pois provavelmente tem tudo. Já agora,se algum dos vossos patrões vos pagasse o dia de feriado a 500% não iam trabalhar? ah pois, gostariam era de ser empregados do Pingo Doce…Sabe tão bem dar estas chapadas de luva branca…

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s