Da discriminação

Banco Mundial já tem novo presidente

Candidato proposto pelos EUA, Jim Yong Kim, inicia mandato a 1 de julho

Com certeza as eurodeputadas portuguesas e demais progressistas avulsos não vão deixar passar em claro mais esta afronta às mulheres. O norte-americano, médico e professor de políticas de saúde públicas Jim Yong Kim foi nomeado Presidente do Banco Mundial em detrimento da ex-Ministra das Finanças nigeriana Ngozi Okonjo-Iweala. Como escreveu O Impertinente em Nem todos os obamas de Obama fazem felizes os obamófilos: episódio (54) – há um mais igual do que outra 

Simone Veil disse um dia que a igualdades entre os sexos só seria alcançada quando um homem competente fosse substituído por uma mulher incompetente.

Se o critério for bom devemos concluir que Barack Obama, o campeão das minorias e das igualdades, está a ir ao arrepio do caminho para a igualdade profissional entre o homem e a mulher, porque está a defender a candidatura de um homem incompetente para o lugar de presidente do Banco Mundial contra a candidatura de uma mulher competente para esse lugar, negra e nacional de um país em desenvolvimento – no tempo em se chamavam os bois pelos nomes costumava designar-se por país subdesenvolvido.

O candidato de Obama é Jim Yong Kim, um professor de políticas de saúde pública, reitor de uma universidade em Nova Inglaterra, sem background como economista nem como gestor, admirador de Noam Chomsky e das políticas «igualitárias» praticadas em Cuba.

A mulher em causa é Ngozi Okonjo-Iweala, ministra das Finanças da Nigéria por várias vezes, conhecida pelo seu combate à corrupção, graduada em Harvard e no MIT, com 20 anos de trabalho no Banco Mundial e as melhores qualificações possíveis para o cargo.

Está bem, pronto. O Jim Yong Kim é um enviado do Obamessias, já sei.Ungido, portanto.

About these ads

2 thoughts on “Da discriminação

  1. “The World Bank has to be more than just another good aid agency,” said Nancy Birdsall, president of the Center for Global Development. “It has to take leadership on issues of pricing, markets, weak institutions . . . on the fact that a whole bunch of middle-income countries don’t look to the World Bank for money.” no Washington Post… e que bem me parece, controlar, regular, intervir e uns bailouts a bancos irresponsáveis.

    Para tarefas ignóbeis só pode ser escolhido um fantoche ignóbil…

  2. ” It has to take leadership on issues of pricing, markets, weak institutions ” – claro que não podia ser uma tipa que tem no curriculo o combate a outras formas de corrupção.

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s