The Fed’s war on savings

The Fed’s Immiseration of People Who Live on Interest Earnings. Por Robert Higgs.

The link between the Fed’s policies and this undeniable effect is too direct and too obvious for anyone, including the Fed’s managers, to overlook or misunderstand. We may only conclude, then, that the Fed’s managers either (1) want to wipe out the retirees and others who rely heavily on interest earnings or (2) consider these people’s immiseration an acceptable price to pay in order to achieve other objectives. Can any decent person approve such policy making?

About these ads

8 thoughts on “The Fed’s war on savings

  1. Quem poupou e contava com o rendimento das suas poupanças está tão tramado como os que não pouparam e contam com a reforma da Seg. Social.
    Trata-se de gente perniciosa e exploradora que aufere “rendimentos do capital” – pecado mortal.
    Quem os ouve falar da necessidade de poupar, deve traduzir para – poupem para o Estado deitar a mão ao dinheiro.
    Os fundos de pensões da Banca e da PT foram só o princípio.

  2. Existem muitos instrumentos de poupança que não titulos de divida publica.

    Além disso vem aí a hiperinflação , que irá destruir essas poupanças !!!!!

  3. Os decisores políticos têm que tomar em conta, nas suas decisões, os interesses de muita gente. Não apenas, e eu diria que não principalmente, os interesses dos velhinhos que querem viver dos juros das suas poupanças.
    Mais importantes, em minha opinião, devem ser os interesses dos jovens que querem arranjar um emprego e que dificilmente o encontram.
    Se há erro que eu vejo nas políticas modernas, é precisamente que elas se dirigem prioritariamente à satisfação dos velhos e não dos jovens.
    Se há coisa que eu reparo é que, quando vou a um bom restaurante, o vejo sempre cheio de velhinhos, que parecem todos viver muito confortavelmente, a apaparicarem-se bem com o dinheirinho das suas reformas, enquanto que há tantos jovens no desemprego.

  4. Luis Lavoura, o problema é precisamente esse: o de haver gente que continua a achar que o “decisor político” é um ser iluminado e com super-poderes, que pode e deve por e dispor do futuro desta e das próximas gerações a ser bel-prazer, subsidiando isto e penalizando aquilo conforme acha mais apropriado, julgando-se com capacidade para prever e modificar o comportamento de dezenas ou centenas de milhões de pessoas. O problema são os efeitos secundários não esperados, que costumam ser devastadores (tal como a utopia comunista o foi, apesar de ter durado 80 anos).

    Essa arrogância será fatal, tal como o declínio europeu e americano bem o demonstram, onde os Estado arrecadam percentagens crescentes da riqueza produzida, num delírio que empobrece a todos. E a China ri-se (não obstante as crises que terá num futuro próximo, resultantes de bolhas especulativas no mercado imobiliário,).

    Ou será que um qualquer burocrata fechado num gabinete decide melhor o que eu devo fazer com o fruto do meu trabalho? Tendo em conta que quanto menos eu tiver, mais poder ele tem, o que acha que vai acontecer?

  5. Luís Lavoura, parece achar que a taxa de juro é algo que se pode manipular no sentido de ajudar este grupo contra aquele.

    Taxas de juro reais negativas é sinal de disfunção económica, Só por manipulação e/ou resultado do dinheiro hoje ser crédito aos bancos através de depósitos, o que leva a prémios de risco aceitando perder valor em termos reais.

    Mas a taxa de juro sobre moeda sem ónus só pode ser positiva porque as pessoas exigem um prémio para abdicar da capacidade de consumo hoje,

    É o facto do sistema em termos nominais permitir o crédito monetário por expansão monetária em vez de poupança que conduz a ideia do benefício das taxas de juro baixas… uma falácia… que nos custa as crises e o desemprego.

  6. As taxas de juros da divida publica dos EUA não são as taxas de juro unicas que existem.

    Quem quer investir as suas poupanças tem muitas forma de o fazer, em obrigações de empresas, ou acções preferenciais ou acções comuns.

    Até porque há quem diga que esses titulos são arriscados, como o S&P que acha que os EUA podem ficar sem dolares, um dia destes.

    Enfim, queixa-se de que existe um elevado risco da divida publica dos EUA , depois queixam-se que os juros são baixos.

    Decidam-se !

  7. #5 RXCorreia. Exactamente.
    “…Tendo em conta que quanto menos eu tiver, mais poder ele tem,…” e não esquecer: Mais rendimentos o burocrata tem!
    Têm visto muitos políticos, e ex-políticos, probrezinhos, a morrer à fome, ou a recorrer, insolventes, à Deco? :-)

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s