Ir de férias é perigoso

Vai uma pessoa espairecer por uns dias e, quando regressa, verifica que este país e o Mundo, que pareciam não ter muito mais por onde nos surpreender (pelo menos em tão curto prazo), não deixam de nos deixar boquiabertos.

Ao que parece, em tão curto espaço de tempo, verificou-se que o papel timbrado da direcção da Polícia Judiciária anda pelas ruas, e que a denúncia (mesmo que anónima) de que a PJ investiga e o Ministério Público não acusa é vista com mera bonomia e complacência soft de Agosto silly-season. Nem os respectivos Director e Procurador Geral são questionados nesse sentido, nem se vêm na necessidade de vir a público conjuntamente negar o que tiverem a negar. Nem sequer devem ter suado um bocadinho.

Aparentemente, vivemos há 33 anos em plena democracia liberal com contornos de ordem espontânea hayekiana. Thatcher, ao que parece, andou por cá mas parece que ninguém notou (nem nota).

Uns rapazotes, daqueles a quem os jogos da Playstation já não davam pica, travestiram a eterna Eufémia de verde e entretiveram-se a fazer campanha contra os trangénicos, com o patrocínio não-espontâneo de um proprietário agrícola, e com o aplauso rápido da esquerda-fracturante. Tudo espontâneo. O próprio porta-voz da acção aparentemente parece que só se passeava por ali e decidiu falar ao ver algo do seu agrado.

Confunde-se desobediência civil com agressão e pratica-se a cobardia do assobiar para o lado, do bater e do esconder a mão, do não assumir dos actos que se presume serem vistos como acertados e justos pelos seus autores. Ghandi, onde quer que esteja, deve ter visto e não deve ter ficado satisfeito.

Por essas e por outras, parece que a Fox News já chegou a Portugal, mas que se entretém a entrevistar figuronas de extrema-esquerda em termos que aparentemente não condizem com o seu livro de estilo.

Lá por fora (e com as naturais consequências por cá), rebentou uma bolhinha do crédito mal-parado americano. Os bancos descobriram, em choque, que se calhar andaram a emprestar mais dinheiro do que deviam, e que afinal, se calhar, não iam ver uma boa parte de volta. A solução: entram em campo os génios dos bancos centrais. Afinal, para combater as consequências de se ter andado a emprestar o que não se devia, nada como pôr (again) a rotativa a trabalhar, e injectar dinheiro fresco e barato para que os desgraçados e vitimas bancos pudessem debelar o prejuízo e, quem sabe, emprestar mais uns cobres. Afinal, quando não são rosas, senhor, há sempre o milagre da multiplicação das notas para marcar o ponto. E, afinal, não nos podemos esquecer a quem temos que agradecer a frescura da economia mundial.

Por cá, a fogueira bem alimentada incendiou o pânico bolsista dos pequenos investidores, bem esclarecidos por corretoras opinion-makers e gestores de fundos. Houve acções vendidas a pataco em desespero, queda global do índice, acompanhado pelo natural esfregar das mãos de corretoras, opinion-makers e gestores de fundos que alegremente puderam (re-)compor os portfolios na baixa do mercado.

Enquanto isso, e já nos tempos finais, descobriu-se que a ETA anda aí. Amigos e amigas, já vem daí Baltazar Garzón partilhar das luzes da ribalta do nosso MP, e já se movem as massas para importarmos um problema que nunca foi nosso, e para ajudarmos a recompor os cacos dos discursos voluntariosos que anunciava que ia resolver o problema na mesa das negociações, e que a polícia não era a solução. Agora, é polícia, é MP, é trans-fronteiriço e, pelos vistos, até digno de acesso a relatórios das nossas secretas.

Isto não se pode tirar os olhos desta gente…

3 thoughts on “Ir de férias é perigoso

  1. Pingback: blogue atlântico » Blog Archive » Em tão curto espaço de tempo

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s